quinta-feira, 5 de junho de 2008

uma voz que clama no deserto


Hoje participei do processo eleitoral da Apeoesp.... Vi e conversei com muita gente.... Gente descontente, oprimida, com baixa estima, também trabalhadora e batalhadora.... Também haviam alguns viuvos e viuvas do Che que acham que eleição é baderna e ser da oposição é dizer não e complicar as coisas....
Estes dias estava me sentindo como João.... Uma voz que clama solitária no deserto...
Parecia que só eu sofria, enchergava e gritava pela causa.... Mas ainda tem um grupo que sonha como eu, em uma educação de verdade, justa e eficiente....
Também fiquei triste porque soube de mais um colega que apanhou na escola. desta vez não foi de aluno, mas da mãe dele.
Engraçado como isso não vai para a mídia..... Agora, se fosse o contrário!!!!?????!!!!!!

Levanta a voz e grita................. porque se os homens se calarem, as pedras falarão


O Grito
1893. Tèmpera s/ prancha, 83,5x66 cm. Edvard Munch, Oslo

Nenhum comentário: