terça-feira, 1 de julho de 2008

estou com medo


Evangélicos invadem Congresso contra projeto que criminaliza homofobia

GABRIELA GUERREIRO
RENATA GIRALDI
da Folha Online, em Brasília 25/06/2008 - 17h07

Um grupo de evangélicos tentou invadir o Congresso Nacional nesta quarta-feira em protesto contra a aprovação do projeto que criminaliza a homofobia (discriminação contra homossexuais) no país. Cerca de mil evangélicos fizeram uma manifestação em frente à sede do Legislativo para evitar a votação do projeto. Os manifestantes querem ter o direito de criticar a homossexualidade, sem punições estabelecidas na legislação.

"Senhor, sabemos que há uma maquinação para que esse país seja transformado numa Sodoma e Gomorra [cidades bíblicas que teriam sido destruídas pelos excessos cometidos por seus moradores]. Um projeto desses vai abrir as portas do inferno", disse o pastor.

Alguns dos manifestantes conseguiram ingressar no Senado e foram recebidos na presidência pelo senador Magno Malta (PR-ES). Evangélico, Malta ocupa interinamente a presidência uma vez que o senador Garibaldi Alves (PMDB-RN) está fora de Brasília. O pastor Silas Malafaia, da Assembléia de Deus, entregou um documento para Malta contra a aprovação do projeto. "Esse projeto de livre expressão sexual abre as portas para a pedofilia. É uma afronta à Constituição e à família", disse o pastor.

O deputado Miguel Martini (PHS-MG), que integra a frente parlamentar em defesa da família e da vida, disse que o projeto quer "calar a boca" dos cristãos contrários à homossexualidade. "Nós amamos os homossexuais, porque são nossos irmãos, mas não amamos o "homossexualismo'. É um grande combate que estamos enfrentando entre luz e trevas. Não aceitamos discriminação de ninguém, mas não aceitamos sermos discriminados em nossas convicções religiosas."

(leia o texto na íntegra) http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u416125.shtml


Estes dias atrás, invadiram um centro espírita no rio e quebraram tudo. Agora querem o direito de falar "mal" de determinadas minorias (que não são tão minorias). É certo que se criem leis, melhor, o correto era ensinar desde pequenos a respeitar as opções de cada um, mas já que não se dá mais educação em casa, que se criem leis para todas as minorias, inclusive, gordos, brancos ( são minoria), carecas.............

Meu maior medo é que cada vez mais, pessoas fanáticas, estão sendo eleitas por um ou outro grupo de também fanáticos.

O mandato é para o bem comum, e não de determinadas classes. Logo, vão precisar de leis pra proteger católicos, espíritas, ateus..............................


Socorrooooooooooooooooooooooooooooo, Senhor!!!!!

Nenhum comentário: