segunda-feira, 30 de junho de 2008

carinho

O mundo anda tão corrido que não temos "tempo" de fazer carinho nas pessoas. Um bom dia corrido e olha lá!
Temos tempo pra reclamar, pra fazer hora-extra, pra ficar em fila de banco, mas não para sorrir, abraçar, dar um beijo, telefonar...................
Hoje tirei a tarde/noite para fazer um carinho para uma pessoinha linda que o Papai do céu colocou na minha vida.................

fiz pra vc Val um mundinho



Aula de cidadania

Cerca de 60 mil professores participaram da assembléia realizada no vão livre do Masp e decretaram: a GREVE CONTINUA!

Os professores repudiaram os “ajustes” no Decreto 53037/08 propostos pela Secretaria da Educação e exigem a revogação do mesmo. Além disso, reivindicam reajuste salarial que reponha as perdas acumuladas desde 1998; garantia de emprego a todos os docentes; melhorias nas condições de trabalho para a garantia de um processo de ensino-aprendizagem com qualidade, entre outros itens.

Mais uma vez, a categoria deu nota zero ao governo estadual pelos ataques à escola pública, pelo desrespeito contra alunos e professores e pelo autoritarismo adotado pela Secretária Maria Helena Guimarães de Castro.

Após a assembléia, os professores realizaram uma grande passeata até a sede da Secretaria da Educação denunciando à população os ataques contra a escola pública e esclarecendo o porquê da greve da categoria.

A próxima assembléia será realizada no dia 04, às 14 horas, na avenida Paulista, cenário ideal para dar visibilidade ao legítimo movimento da categoria em defesa da escola pública de qualidade para toda a população. Na quinta-feira, 03, as subsedes devem realizar atos regionais.

Ministério Público do Trabalho reconhece justeza da greve

“...Com a ausência da Secretária, pode-se intuir a intenção de não responder a qualquer tentativa de entendimento”. Com esta declaração, a Procuradoria Regional do Trabalho, após audiência de mediação ignorada pela secretária, encerra sua ata afirmando que instaurará instância para garantir dissídio coletivo (veja anexo).

A ação do Ministério Público do Trabalho demonstra a justeza de nossa greve e a intransigência por parte da S.E. Além disso, após denúncia da APEOESP da ilegalidade no ato de contratação de eventuais para cobrir as aulas dos professores em greve, o Ministério solicitou relação de escolas com estes casos que servirá de embasamento para a instauração de instância. As subsedes devem enviar a relação (nome da escola, nº de eventuais e se há casos em que estão lecionando disciplinas diferentes de sua formação) para o fax (11) 3350.6123, até 30 de junho.

É imperativo, diante deste novo fato, que os representantes da APEOESP reforcem as visitas às escolas, apresentem as argumentações do MPT buscando ampliar o movimento grevista até a conquista da vitória.

A instauração de dissídio, forçando o governo a atender as reivindicações, demonstra da greve em defesa da escola pública e dos direitos dos professores e alunos.

O Centro do Professorado Paulista e a Afuse (Sindicato dos Funcionários de Escolas) também decidiram paralisar as atividades a partir desta segunda-feira.

PARA GARANTIRMOS VITÓRIAS, É IMPRESCINDÍVEL A PARTICIPAÇÃO DE TODA A CATEGORIA NA GREVE. PELA REVOGAÇÃO DO DECRETO; REAJUSTE SALARIAL; MELHORES CONDIÇÕES DE TRABALHO AOS PROFESSORES E DE APRENDIZAGEM AOS ALUNOS E EM DEFESA DA ESCOLA PÚBLICA!

Ministério Público do Trabalho reconhece intransigência da secretária e
ajuizará dissídio coletivo

A Procuradoria Regional do Trabalho da 2ª Região, órgão do Ministério Público do Trabalho, convocou a APEOESP e a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo para uma audiência de mediação, que aconteceu no Núcleo de Dissídios Coletivos nesta sexta-feira, 27, às 10h50. O objetivo era propor um acordo para solução do conflito trabalhista.

Representaram a APEOESP o presidente Carlos Ramiro de Castro, os diretores Francisco Assis Ferreira, José Geraldo Corrêa Júnior e o advogado César Pimentel. A secretária de Educação, Maria Helena Guimarães de Castro, não compareceu à audiência e nem mandou representante.

A ausência da secretária da Educação foi entendida pela procuradora Oksana Maria Dziura Boldo como descaso e por isto ela decidiu dar entrada com dissídio coletivo no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para resolver o impasse. Ficou registrado em ata que a ausência da secretária da Educação na audiência “demonstra como o governo é contra o diálogo e desconsidera a situação da educação no Estado” e que a titular da Educação vem sistematicamente desrespeitando os professores e a Educação Pública.

Decreto 53037

A APEOESP apresentou à procuradora a pauta de reivindicações da categoria, o Decreto 53037/08, de 28 de maio, as alterações feitas pelo Decreto 53161, de 24 de junho, e a Lei 1041/08. Os diretores do sindicato explicaram que há na rede hoje cerca de 95 mil professores admitidos em caráter temporário, com larga experiência na rede, e que o decreto propõe a realização de avaliação anual; reivindicaram a realização de concurso classificatório, levando-se em conta a experiência destes professores. Argumentaram ainda que o decreto limita a remoção dos professores efetivos, e que a rotatividade – questão alegada pela SEE para a edição do decreto – não é causada pela remoção, mas entre os ACTs que todos os anos se vêm obrigados a mudar de escola.

Reposição das perdas salariais

A APEOESP informou que os professores estão sem reajuste há três anos, e explicou porque o reajuste anunciado pela Secretaria da Educação, de 5% mais a incorporação da GTE (Gratificação por Trabalho Educacional), foi rejeitado pela assembléia realizada no dia 20 de junho, e que a categoria reivindica reajuste salarial que reponha as perdas acumuladas, e que retroajam a março.

Substituição dos professores em greve é ilegal

A APEOESP apresentou à procuradora o documento da Secretaria da Educação determinando a convocação de professores eventuais para substituir os grevistas. A procuradora entendeu como ilegal a medida, e solicitou que o sindicato entregue lista de escolas onde os eventuais estão trabalhando para caracterizar prova concreta da ação governamental, e assim acionar a Secretaria de Estado da Educação.

----------------
Now playing: One Republic - Apologize
via FoxyTunes

Primeira Vez

Musica linda..........

sexta-feira, 27 de junho de 2008

MP entrará com ação de dissídio para professores de SP


O governo estadual de São Paulo não mandou representante à audiência de mediação convocada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT-SP). A procuradora Oksana Boldo entendeu a falta como omissão e decidiu, então, dar entrada em ação de dissídio no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), na terça-feira, para resolver o impasse.

Quem sabe assim ele paga?

eventual é crime

LEI Nº 7.783, DE 28 DE JUNHO DE 1989. Publicada no DOU de 29/06/1989

Dispõe sobre o exercício do direito de greve, define as atividades essenciais, regula o atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade, e dá outras providências.
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1º É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender.
Parágrafo único. O direito de greve será exercido na forma estabelecida nesta Lei.
Art. 2º Para os fins desta Lei, considera-se legítimo exercício do direito de greve a suspensão coletiva, temporária e pacífica, total ou parcial, de prestação pessoal de serviços a empregador.
Art. 3º Frustrada a negociação ou verificada a impossibilidade de recursos via arbitral, é facultada a cessação coletiva do trabalho.
Parágrafo único. A entidade patronal correspondente ou os empregadores diretamente interessados serão notificados, com antecedência mínima de 48 (quarenta e oito) horas, da paralisação.
Art. 4º Caberá à entidade sindical correspondente convocar, na forma do seu estatuto, assembléia geral que definirá as reivindicações da categoria e deliberará sobre a paralisação coletiva da prestação de serviços.
§ 1º O estatuto da entidade sindical deverá prever as formalidades de convocação e o quorum para a deliberação, tanto da deflagração quanto da cessação da greve.
§ 2º Na falta de entidade sindical, a assembléia geral dos trabalhadores interessados deliberará para os fins previstos no "caput", constituindo comissão de negociação.
Art. 5º A entidade sindical ou comissão especialmente eleita representará os interesses dos trabalhadores nas negociações ou na Justiça do Trabalho.
Art. 6º São assegurados aos grevistas, dentre outros direitos:
I - o emprego de meios pacíficos tendentes a persuadir ou aliciar os trabalhadores a aderirem à greve;
II - a arrecadação de fundos e a livre divulgação do movimento.
§ 1º Em nenhuma hipótese, os meios adotados por empregados e empregadores poderão violar ou constranger os direitos e garantias fundamentais de outrem.
§ 2º É vedado às empresas adotar meios para constranger o empregado ao comparecimento ao trabalho, bem como capazes de frustrar a divulgação do movimento.
§ 3º As manifestações e atos de persuasão utilizados pelos grevistas não poderão impedir o acesso ao trabalho nem causar ameaça ou dano à propriedade ou pessoa.
Art. 7º Observadas as condições previstas nesta Lei, a participação em greve suspende o contrato de trabalho, devendo as relações obrigacionais, durante o período, ser regidas pelo acordo, convenção, laudo arbitral ou decisão da Justiça do Trabalho.
Parágrafo único. É vedada a rescisão de contrato de trabalho durante a greve, bem como a contratação de trabalhadores substitutos, exceto na ocorrência das hipóteses previstas nos arts. 9º e 14.
Art. 8º A Justiça do Trabalho, por iniciativa de qualquer das partes ou do Ministério Público do Trabalho, decidirá sobre a procedência, total ou parcial, ou improcedência das reivindicações, cumprindo ao Tribunal publicar, de imediato, o competente acórdão.
Art. 9º Durante a greve, o sindicato ou a comissão de negociação, mediante acordo com a entidade patronal ou diretamente com o empregador, manterá em atividade equipes de empregados com o propósito de assegurar os serviços cuja paralisação resultem em prejuízo irreparável, pela deterioração irreversível de bens, máquinas e equipamentos, bem como a manutenção daqueles essenciais à retomada das atividades da empresa quando da cessação do movimento.
Parágrafo único. Não havendo acordo, é assegurado ao empregador, enquanto perdurar a greve, o direito de contratar diretamente os serviços necessários a que se refere este artigo.
Art 10 São considerados serviços ou atividades essenciais:
I - tratamento e abastecimento de água; produção e distribuição de energia elétrica, gás e combustíveis;
II - assistência médica e hospitalar;
III - distribuição e comercialização de medicamentos e alimentos;
IV - funerários;
V - transporte coletivo;
VI - captação e tratamento de esgoto e lixo;
VII - telecomunicações;
VIII - guarda, uso e controle de substâncias radioativas, equipamentos e materiais nucleares;
IX - processamento de dados ligados a serviços essenciais;
X - controle de tráfego aéreo;
XI compensação bancária.
Art. 11. Nos serviços ou atividades essenciais, os sindicatos, os empregadores e os trabalhadores ficam obrigados, de comum acordo, a garantir, durante a greve, a prestação dos serviços indispensáveis ao atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade.
Parágrafo único. São necessidades inadiáveis, da comunidade aquelas que, não atendidas, coloquem em perigo iminente a sobrevivência, a saúde ou a segurança da população.
Art. 12. No caso de inobservância do disposto no artigo anterior, o Poder Público assegurará a prestação dos serviços indispensáveis.
Art. 13 Na greve, em serviços ou atividades essenciais, ficam as entidades sindicais ou os trabalhadores, conforme o caso, obrigados a comunicar a decisão aos empregadores e aos usuários com antecedência mínima de 72 (setenta e duas) horas da paralisação.
Art. 14 Constitui abuso do direito de greve a inobservância das normas contidas na presente Lei, bem como a manutenção da paralisação após a celebração de acordo, convenção ou decisão da Justiça do Trabalho.
Parágrafo único. Na vigência de acordo, convenção ou sentença normativa não constitui abuso do exercício do direito de greve a paralisação que:
I - tenha por objetivo exigir o cumprimento de cláusula ou condição;
II - seja motivada pela superveniência de fatos novo ou acontecimento imprevisto que modifique substancialmente a relação de trabalho.
Art. 15 A responsabilidade pelos atos praticados, ilícitos ou crimes cometidos, no curso da greve, será apurada, conforme o caso, segundo a legislação trabalhista, civil ou penal.
Parágrafo único. Deverá o Ministério Público, de ofício, requisitar a abertura do competente inquérito e oferecer denúncia quando houver indício da prática de delito.
Art. 16. Para os fins previstos no art. 37, inciso VII, da Constituição, lei complementar definirá os termos e os limites em que o direito de greve poderá ser exercido.
Art. 17. Fica vedada a paralisação das atividades, por iniciativa do empregador, com o objetivo de frustrar negociação ou dificultar o atendimento de reivindicações dos respectivos empregados (lockout).
Parágrafo único. A prática referida no "caput" assegura aos trabalhadores o direito à percepção dos salários durante o período de paralisação.
Art. 18. Ficam revogados a Lei nº 4.330, de 1º de junho de 1964, o Decreto-Lei nº 1.632, de 4 de agosto de 1978, e demais disposições em contrário.
Art. 19 Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Brasília, 28 de junho de 1989; 168º da Independência e 101º da República.


http://www.trt02.gov.br/geral/tribunal2/Legis/Leis/7783_89.htm

pensamento dia


Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las.
Não há nada de errado com aqueles que não gostam de política, simplesmente serão governados por aqueles gostam.
Educação gera conhecimento, conhecimento gera sabedoria, e, só um povo sábio pode mudar seu destino.

(thanks Guto)

a ultima da novela


Vivemos em um mundo em que a troca de valores é constante.
Em uma novela, a população torceu para que a prostituta cafajeste se desse bem. Não querem que o vilão se dê mal no fim da novela.
O enfoque que a mídia tem dado as paralisações é parecido com as novelas, pois os vilões viram mocinhos e aqueles que estão lutando por seus direitos viram vilões. Isso me faz lembrar em como fizeram a cabeça da população contra os comunistas e hoje fazem com as greves, como se lutar por seus direitos fosse uma coisa imoral.
As únicas notícias que se tem da greve são: professores atrapalharam o trânsito, estudantes são prejudicados, governo diz que as mudanças são para melhora da educação, etc.
Na época da ditadura (segundo meu professor de história do Brasil na faculdade), os professores eram obrigados a seguir um livro de capa verde, para que somente ensinassem o que o regime mandava e se o professor falasse ou insinuasse algo sobre o momento que acontecia, era morto ou torturado (e outras coisinhas mais). Hoje o governo repressor do PSDB criou um jornaleco, uma espécie de cartilha, cheio de erros de concordância, de digitação (ah! Ensino com C não é erro de digitação como foi alegado, pois não é uma letra próxima do S), com enunciados incompletos e atividades que estão fora do contexto dos alunos.
Outro ponto a retratar aqui é a chantagem que muitos diretores estão fazendo com os professores, ligando para suas casas e intimando-os a voltarem sob a alegação que colocarão profs. eventuais em seus lugares. Esse é o ensino de qualidade? Quantas vezes você teve aula com eventual e ele verdadeiramente trabalhou? Conheci professores eventuais que brincavam de beijo, abraço e aperto de mão, durante as aulas. Que ficavam somente batendo papo com os alunos, estudando para suas provas. Ganhando sem trabalhar, ou melhor, ganhando para “cuidar” da sala como se fossem babás.
É claro que também existem professores eventuais sérios, mas ultimamente a maioria esta lá somente pra tentar pagar a faculdade.
Outro ponto que ninguém toca é a falta de interesse da maioria dos alunos em estudar, muitos só vão para responder chamada, afinal não reprova mais, sabendo ou não.
É hora de dizer NÃO, há hipocrisia desse governo que mente que dá educação de qualidade.
Ah! Os professores que trocavam de escola, o faziam no período que antecede as aulas, o que caracteriza mais uma grande mentira desse partido que só vive de engodo.
A greve continua...........

Amigos pela fé - Anjos de Resgate

Aos meus amigos......................

Adriana e Walmir Alencar - Abraço de Pai

...........nas tardes encontrou, saudade em meu lugar................

Quando A Chuva Passar | Ivete Sangalo | ORIGINAL

Pra relaxar.............
A chuva há de passar e o tempo abrir para nós.

quarta-feira, 25 de junho de 2008

tá na imprensa

24/06/2008 - 19h10
Secretaria da Educação apresenta mudanças em decreto; sindicato rejeita

a Folha Online

A Secretaria Estadual da Educação de São Paulo anunciou na tarde desta terça-feira novos ajustes ao decreto 53.037, de 2008, que trata do sistema de contração e substituição de professores. A medida não agradou os professores, que, em protesto, iniciaram uma greve no último dia 6.
As mudanças anunciadas pelo governo tratam do limite de faltas, que passará de 10 para 12, da possibilidade de substituição aos professores que tiraram licença no ano anterior e da remoção nos primeiros três anos de trabalho para quem já é concursado.
Em reunião realizada na tarde de hoje, representantes da secretaria apresentaram as modificações a líderes sindicais. De acordo com o presidente da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), Carlos Ramiro de Castro, a proposta não convenceu. "Essas mudanças não resolvem nosso problema. Alterou quase nada", disse.
O decreto governamental afirma que os professores não poderão pedir transferência durante o estágio probatório (os primeiros três anos de trabalho). Com a mudança anunciada, a regra passará a valer apenas aos professores admitidos a partir de 28 de maio (data da publicação do decreto). "Isso só vale para os já concursados. Quem entrar pelo próximo concurso não poderá pedir transferência durante o estágio probatório", reclamou Castro.
Sobre o aumento de duas faltas, o presidente da Apeoesp foi lacônico. "Dez para 12 não resolve muito."
Castro acrescentou que as principais reivindicações dos professores ainda não foram atendidas pelo governo. "Queremos um concurso para que os 100 mil professores temporários sejam efetivados".
Para o líder sindical, a proposta do governo não deverá passar na assembléia marcada para acontecer na tarde desta sexta-feira (27), no vão do Masp. "Pedimos para que a secretaria nos comunique uma nova proposta até quinta-feira [26]."
Paralisação
O sindicato apresentou na noite de ontem (23) uma nova projeção da greve. Segundo a Apeoesp, mais de 80% das escolas estaduais aderiram à paralisação.
O governo, porém, rebate o número e diz que menos de 2% da categoria está de braços cruzados.
A secretaria acrescenta, por meio de nota, que o protesto dos professores é infundado, pois o decreto traz "uma mudança que visa apenas a melhorar as condições de ensino". Segundo levantamento do governo, somente em 2008 cerca de 40% dos 130 mil professores efetivos trocaram de escolas.

incrível!!! a Folha não decaptou a gente

Folha de São Paulo, 24 de junho
Na prática, professor tem reajuste menor que divulgado

CINTHIA RODRIGUES Colaboração para a FOLHA

O reajuste de cerca de 12% no salário-base anunciado na semana passada pelo governo José Serra (PSDB) aos professores significa, no bolso, 5,41%. Isso porque o governo decidiu incorporar ao salário uma gratificação de R$ 80 que já é paga a todos os professores (menos os inativos) desde 2000. Na prática, esse valor apenas vai mudar de lugar no contracheque. O índice de reajuste real no salário dos docentes já havia sido criticado pelo presidente da Apeoesp (sindicato dos professores), Carlos Ramiro de Castro, durante assembléia realizada na última sexta-feira (20) em São Paulo e que decidiu pela continuidade da greve.
Hoje, um professor de 1ª a 4ª série em início de carreira recebe R$ 1.166,83 de piso, mais uma gratificação de R$ 80 por "trabalho educacional", uma outra de R$ 175,03 (15% do piso) chamada de "atividade magistério", mais R$ 80 de "gratificação geral" e R$ 32 de "prêmio de valorização".
Ou seja, rendimento total de R$ 1.533,83. Com o reajuste de 5,41% e a incorporação, passará a R$ 1.617,54. "Não existe 12%", afirma o presidente da Apeoesp, Carlos Ramiro. "A gente quer a incorporação das gratificações, sim, mas não adianta isto contar como um reajuste que a gente não tem há anos."
O aumento do piso foi anunciado quinta passada, quatro dias após o início da greve da categoria, embora a Secretaria da Educação afirme que estudava a medida desde março. O último reajuste ocorreu em 2005, na gestão Geraldo Alckmin (PSDB). Desde então, a inflação foi de 13,6% segundo o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor).
A Secretaria de Estado da Educação confirma que a Gratificação por Trabalho Educacional será extinta após o reajuste. A assessoria do órgão, no entanto, argumenta que outras gratificações são calculadas sobre o salário-base -portanto, com a incorporação da gratificação, o salário final aumenta.
A Apeoesp também reclama que o reajuste é divulgado sobre um salário-base de 40 horas, quando a maioria dos professores trabalham menos. "Esta carga horária é inventada, a gente tem de fazer uma conta lá e descobrir quanto é que vai ganhar", diz Ramiro.
Os concursos para rede estadual de ensino são para trabalhos de 24 horas ou 30 horas. Não existe concurso para 40 horas. A Secretaria de Educação, porém, diz que um número grande -não especificado- de professores trabalha 40 horas.
Ontem, no primeiro dia da segunda semana de greve, a Folha visitou 29 escolas das zonas leste e oeste de São Paulo e constatou que 11 estavam com professores a menos (38%). A secretaria diz que apenas 2% aderiram; a Apeoesp, 70%.
Funcionários e alunos das escolas visitadas pela reportagem disseram que havia professores ausentes por conta da greve, mas só duas escola estavam com anúncios da paralisação. A E.E Pereira Barreto, na Lapa, tinha uma faixa. Alunos do 2º ano do ensino médio, Geise da Silva, 16, e Camila Souza, 15, estavam na porta do colégio por volta das 12h30. Não tiveram aula pela manhã nem na semana passada, afirmam. Foram ao colégio, dizem, porque achavam que a greve teria terminado. A Gabriel Ortiz, na Penha, zona leste, estava parada.
A greve começou por causa de um decreto do governador que impede a transferência de professores durante o ano e institui uma prova para classificação de professores temporários na escolha de aulas. Hoje, a classificação é feita por número de pontos. Quem tem mais experiência escolhe primeiro. Agora, os professores pedem reajuste de 45% para elevar o piso a cerca de R$ 2.000. Na sexta haverá uma passeata em protesto.
Férias
Quando a greve terminar, as escolas que tiverem cancelado aulas terão de fazer reposição. Cada diretor escolherá a maneira de repor as aulas perdidas. Isso poderá ser feito no recesso de julho, aos sábados ou no fim do ano. O importante é chegar aos 200 dias letivos.
Colaboraram RICARDO WESTIN, BRENO COSTA, AMARO GRASSI e Folha Online

terça-feira, 24 de junho de 2008

Epitafio Titas

Viva, lute, sonhe, ame.....................

engodo

O governo do PSDB pode ser definido por uma palavra: engodo.
Tudo o que é dito por eles, não corresponde a verdade. Nem a matemática é uma matéria exata.
Eles tem o dom de distorcer tudo, como ilusionistas. Você vê, mas não é verdade. Você ouve, mas o som não ecoa.
Nem Chris Angel é tão bom, apesar de andar sobre as águas, os tucanos conseguem enganar toda a população com mentiras, mídia comprada, e migalhas dadas à população.
Exemplos: Os 12%, não chegam a 6%. O sálario prometido aos coordenadores que passava de 1900, não chega a 1400, (to com o holerith de um amigo aqui - R$1350,75). O bônus que ele anuncia de mais de 5mil pros professores não passa de mil e tenho amigas que no dia que receberam o bônus em fevereiro, viram valores negativos (tiveram que pagar).
Outro dia vi na tv, em um programa do partido, que eram contra a CPMF, mas se bem me lembro, foram eles que a criaram.
E os genéricos? Além de ser um projeto do governo anterior, o Serra conseguiu deixá-los 40% mais caros devido a um acordo com as empresas.
Não sabem administrar. Administrar significa resolver problemas, gerenciar o que está, sem necessitar de mudanças drásticas. Demissão não é drástico? Venda de estatais que dão lucro a preço de banana, também não o é?
E ainda tem gente que vota nesse lixo de politico.................

aviso aos navegantes




O que é um favicon?


Estava me perguntando como conseguiria fazer um iconezinho pra marcar este blog. Bom, pedi novamente ajuda ao amigos do Yahoo responde e em menos de 11 minutos, já sabia o que era e como fazia. (Se voce usa o firefox como eu, ja ta vendo um iconezinho rosa).


Favicons são os pequenos ícones associados a um site web ou página web particular, que se mostram junto aos marcadores na barra de endereços da maioria dos navegadores. Os tamanhos mais utilizados para favicos são: 16x16, 32x32, 48x48, 64x64, 128x128.

segunda-feira, 23 de junho de 2008

A imagem do pelego







Pedi aos amigos do Yahoo responde, para mandarem a foto de um pelego. Eu pensei que iria receber desenhos de personagens fictícios, mas qual não foi a minha surpresa........ hehe.........

domingo, 22 de junho de 2008

Definição

Pelego é aquele trabalhador que se deixa montar pelo patrão; é o que não consegue reagir frente à humilhação; é quem não luta por seus direitos, por medo das conseqüências; é o pusilânime que se esconde atrás de desculpas esfarrapadas para justificar a própria covardia; o que não tem coragem de lutar, o puxa-saco de pai e mãe, o rapa-pés; o que se abaixa tanto que acaba mostrando o traseiro; o homem ou mulher sem espinha dorsal e que se dobra às intempéries da vida, o sangue-de-barata, o COVARDE, enfim, que se esconde atrás daqueles que lutam, aproveitando da peleja alheia como um parasita.

A imagem que me vem à mente quando vejo um pelego é a de um RATO, andando pelos cantos, assustado e medroso. Pelego é aquele trabalhador que não sabe o significado da palavra solidariedade, o egoísta que não consegue ver nada além de suas próprias e momentâneas necessidades; é aquele trabalhador que, terminada a greve, não consegue olhar nos olhos de seus companheiros, porque sabe que é uma sub-pessoa, pedaço de gente, pois lhe falta uma parte essencial de todo ser humano que se preze: o brio, a coragem, o amor próprio, a nobreza, enfim.

Professores de São Paulo - A Greve continua

Parabéns aos bravos companheiros(a) que lotaram a Paulista.

sábado, 21 de junho de 2008

Aos companheiros

Seguem alguns informes:

Direito de greve: art. 9º Constituição Federal e Lei nº 7.783/89, assegurando o direito do trabalhador o direito a greve.
Outro ponto é a questão dos eventuais que tratei em um post aqui.
O mais importante é que ao ser constrangido, ao ver que em sua escola a diretora está cerceando seu direito a greve e esta colocando ou contratando eventuais, comunique imediatamente a subsede da apeoesp mais próxima de você, para que possamos tomar as providências necessárias.
Continuemos em luta companheiro(a).

A GREVE CONTINUA!

Os cerca de 80 mil professores que participaram da assembléia geral estadual, realizada na sexta-feira, 20, no vão livre do MASP, na avenida Paulista, rejeitaram a proposta de reajuste – de até 12% -- anunciada pelo governo na quinta-feira, e decidiram manter a greve iniciada dia 13, exigindo a revogação do Decreto 53037 e da Lei 1041. Além disso, os professores reivindicam um reajuste que reponha as perdas salariais acumuladas desde 1998 – que chega a um índice de 35% --, a incorporação imediata de todas as gratificações, extensiva aos aposentados, e o fim da política de bônus. Estudos realizados pela subseção do Dieese, a arrecadação do ICMS vem batendo recordes, o que possibilita ao governo incorporar todas as gratificações imediatamente e ainda oferecer um índice de reajuste aos professores. Ou seja, dinheiro há. O que falta é vontade política para melhorar a Educação Pública no Estado de São Paulo.
A APEOESP mantém ainda a reivindicação pela realização de concurso público estadual classificatório, considerando-se o tempo de serviço de cada docente.
Ao final da assembléia, a APEOESP participou, na Praça da República, do ato unificado da Educação, junto com o CPP, a Udemo, a APAMPESP, a Afuse e a APASE. Estas entidades devem realizar assembléias a partir desta semana.
Calendário aprovado:
Dias 23, 24 e 25: visita às escolas e reunião com pais
Dia 24: Audiência Pública “Direito à Vida: a Lei 1041 e as doenças profissionais dos professores”, 14 horas, Assembléia Legislativa
Dia 26: assembléias regionais (as subsedes devem obedecer a data para a realização de assembléia)
Dia 27: Assembléia Geral Estadual, às 15 horas, no vão livre do MASP
Nossas reivindicações:
Revogação do Decreto 53037 e da Lei 1041
Reajuste salarial já, que reponha as perdas salariais
Incorporação das gratificações aos salários com extensão aos aposentados
Realização de concurso público classificatório para todas as disciplinas
Um novo Plano de Carreira;
Fim da aprovação automática;
Liberdade de cátedra;
Extensão do ALE para todas as unidades;
Gestão democrática e autonomia da escola;
No máximo 35 alunos por sala;
Melhores condições de trabalho;
Garantia de emprego e estabilidade a todos os professores.
DIA 27 DE JUNHO – 15 HORAS – VÃO LIVRE DO MASP

começou assim........... depois....... a Paulista ficou pequena


No vão do MASP


80 millllllllllllllllllllllllllllll


sexta-feira, 20 de junho de 2008

+ 80 milllllllllllllllllllllllllllllllll

Foram mais de 80 mil professores. A Secretária de Educação Maria Helena (Maria Louca) pagou pra ver, desdenhando do movimento e utilizando os meios de comunicação para mentir para a população. Eles apostaram que a categoria não conseguiria se mobilizar e a resposta foi uma enorme avalanche de pessoas tomando a Paulista.
Durante a caminhada os professores que se encontravam no meio da caminhada não conseguiam enxergar nem o início, nem o fim da mesma. EU, estava lá, eu vi, eu senti o que acontecia. Já estávamos na República e ainda tinha gente saindo da Paulista. A consolação inteirinha estava tomada pelos manifestantes.

Os professores querem que o governador José Serra (PSDB) revogue o decreto 53.037/08 que altera remoções, substituições e contratações temporárias da categoria. Além disso, os professores pleiteiam a incorporação das gratificações aos salários e que o piso seja reajustado com base em índice calculado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), que prevê um salário mínimo de R$ 2.000.

LEI NÃO PERMITE CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES EVENTUAIS DURANTE A GREVE

Há denúncias de que algumas escolas da Rede Estadual de Ensino estão contratando professores eventuais para dar aulas no lugar dos professores em greve.
Tal medida é ilegal, e será combatida pelo próprio movimento grevista, e, se necessário, também por via judicial.
O Supremo Tribunal Federal já regulamentou o direito de greve dos servidores públicos, determinando que nesses casos se aplicam as disposições da Lei Federal 7783/89. Assim, a greve é perfeitamente regular, pois as disposições da Lei foram todas cumpridas, inclusive pelo fato de no dia 13 de junho a Secretaria da Educação já estar ciente da greve a ser iniciada no dia 16, segunda-feira.
Ocorre que, para tentar esvaziar o movimento, algumas escolas, segundo denúncias que recebemos, estão contratando professores eventuais para dar aulas no lugar dos professores em greve.
A Lei não autoriza essa contratação. Está disposto no § 2º do artigo 6 º da Lei 7783/89: “É vedado as empresas adotar meios para constranger o empregado ao comparecimento ao trabalho, bem como capazes de frustrar a divulgação do movimento” Como o STF determinou que a Lei deve ser aplicada aos casos de greve no serviço público, onde o texto fala em “empresas”, é possível ler “governo estadual” ou “escolas”, e onde está “empregado”, ler “professor”.
Assim, caso haja a contratação de eventuais em razão da greve, a APEOESP moverá ações judiciais buscando a anulação da medida, desde que a subsede ou o professor envie à Sede Central documentos que comprovem tal contratação.

Secretaria de Legislação e Defesa dos Associados da APEOESP

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Professor na rua.................




Será que por estes dados serem antigos, podemos considerar que o problema esta maior ainda?

A greve continua................


Hoje passei o dia em comando de greve e também passeata pelas ruas da cidade. Aqui a paralisação foi de cerca de 80% da categoria. Eu sei, que a secretaria anuncia somente 2%, mas a melhor maneira de provar que é mentira é que a mesma secretina de educação que disse na semana passada que não ia negociar nada com os professores, que as reinvindicações não tinham coerência, correu rapidinho (em verdadeiros 3 dias de paralizações) e já ofereceu algumas "coisinhas" à categoria.

É claro que não vamos nos vender. Sem dizer que uma das propostas, vai prejudicar ainda mais a vida dos professores, principalmente dos efetivos, que acabarão podendo contar somente com a carga básica (20 ou 24 aulas), pois eles pretendem realizar concurso público com carga básica de 10 aulas. Ou seja, nem um, nem outro vai ganhar um salário descente.

Infelizmente, alguns colegas que se dizem professores, ainda não aderiram ao movimento. Depois se dizem educadores, que ensinam e exercitam a cidadania........... mas nem sabem o que é isso, ou seja, também não sabem ensinar.

Hoje, pelas ruas da cidade fizemos ato público na praça centra e depois fomos a diretoria de ensino (onde deviam estar a dirigente e os supervisores), mas não havia ninguém lá.........


Professor na rua. Serra a culpa é sua........... Olha a foto. Será que tinha só 2mil professores na rua?

Governo anuncia reajuste aos professores um dia antes de assembléia


Colaboração para a Folha Online

O governo de São Paulo anunciou nesta quinta-feira um reajuste no salário dos professores da rede estadual de ensino. A divulgação acontece um dia antes da assembléia que irá decidir se os professores continuam com a greve iniciada na segunda-feira.
O reajuste será de até 12,2%. Dessa forma o piso dos professores de primeira a quarta série, em jornada de 40 horas semanais, passa de R$ 1.166,83 para R$ 1.309,17. Para os professores que dão aulas da quinta série do ensino fundamental até o terceiro ano do ensino médio, em 40 horas, o piso vai de R$ 1.350,75 para R$ 1.501,50.
Os diretores e supervisores também terão aumento no piso. O salário-base dos diretores passará de R$ 1.409,26 para R$ 1.563,72 (aumento de 11%); o dos supervisores passará de R$ 1.638,03 para R$ 1.803,93 (10%). Segundo o governo, são gastos anualmente R$ 670 milhões nestes reajustes.
Paralisação
Os professores da rede estadual de ensino estão em greve desde segunda-feira (16) em protesto contra um decreto do governo que trata do sistema de contração e substituição de professores, além de prever a realização de concursos regionais para professores. A nova medida também impõe a avaliação de desempenho da categoria.
Além da revogação do decreto 53.037, que foi publicado no "Diário Oficial" do Estado no dia 28 de maio, a categoria reivindica reajuste salarial e melhorias nas condições de trabalho.
Apesar do reajuste anunciado hoje, a Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) informou que não encerrará a greve nesta quinta. Os rumos da paralisação serão definidos na sexta-feira (20) no vão livre do Masp (Museu de Arte de São Paulo), na avenida Paulista.
Segundo o sindicato, 68% da categoria está de braços cruzados. A Secretaria da Educação rebate o número e afirma que menos de 2% da categoria aderiu à paralisação. A secretaria acrescenta, por meio de nota, que a greve é infundada, pois o decreto traz "uma mudança que visa apenas a melhorar as condições de ensino".

19/06/2008 - 18h55

doente mas algemado

Hoje soube mais noticias do Depto. de Perícias Médicas. Doeu.
Uma professora conhecida, que está com sérios probelmas de coluna, tinha perícia marcada para a ultima terça-feira. Tinha, porque não havia perito e a perícia foi transferida para o dia seguinte. Ocorre que no dia seguinte também não haviam periciadores suficientes. Um deles se dignou a conversar com os presentes e explicou que o Estado (governo Serra), dispensou vários periciadores (com certeza os que tinham sensibilidade e davam as licenças para os necessitados).
Outro ponto também que ela colocou é uma grande quantidade de médicos estrangeiros (nós sabemos que muitos se quer tem CRM) que estão atuando na perícia (inclusive o que me atendeu)
Mas a pior de todas. A que mais me doeu, foi um caso de uma professora (paciente da psiquiatria) que teve um ataque e em vez de ser atendida por um profissional da saúde, foi algemada por um policial. Soube que na hora, fecharam as portas do setor de psiquiatria para que as pessoas não vissem o que ocorria, mas a lastimável cena, já havia sido vista.

EHHHHHHHH doente não precisa mais de médico, mas sim de policia......

AQUARELA - TOQUINHO

Ai que saudades de quando estudar era importante......... Fazer formatura........
Respeitar e tietar os professores era comum....
Que pena que a educação descoloriu............

O Caderno - Toquinho/ Chico Buarque

Hoje lembrei desta canção................
Pena que já não faça mais tanta parte da vida das pessoas

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Firefox 3 já disponível naquele que promete ser um verdadeiro “Download Day”


Mais rápido, versátil e seguro, segundo a Fundação Mozzila


17.06.2008 - 16h22 Filipa Jorge

O Mozilla e os seus utilizadores celebram hoje o “Download Day 2008” com a chegada do novo Firefox 3, um “browser” mais rápido, versátil e seguro, segundo a Fundação Mozilla. A nova versão do Firefox está já disponível para “download” desde as 18h00 de ontem no site oficial da Mozilla (hora portuguesa).

Segundo a Mozilla, manter a segurança das informações pessoais dos utilizadores é a sua principal prioridade. Por isso, a nova versão do famoso “browser” Firefox inclui protecção contra “phishing” e “malware” (ambos ligados ao roubo de informações confidenciais), assim como um botão de identificação instantânea de “sites”.

O novo “browser” tem também ferramentas que permitem a verificação ortográfica, a restauração de sessões e o novo “zoom” de "sites", ajudando o utilizador a trabalhar de uma forma mais rápida e eficiente. Com o Firefox 3, cada utilizador pode personalizar a navegação na internet, escolhendo entre os 5000 componentes disponíveis.

O novo Firefox chega depois de quase três anos de desenvolvimento. A lista de novas características é interminável: favoritos redesenhados, uma barra de navegação inteligente, um administrador de senhas...



para baixar http://pt-br.www.mozilla.com/pt-BR/firefox/?p=downloadday

terça-feira, 17 de junho de 2008

encino de qualidade é com o PSDB


Caderno com dicas para professores traz "ensino" com "c"
Estado afirma considerar a falha "menor" porque os alunos não têm acesso ao livro; erro foi de digitação, diz governo
"Eles entregam material sem nenhuma revisão", afirma presidente da Apeoesp; professores foram alertados sobre erro, diz gestão Serra.
Tratado como a bússola para uma educação de qualidade para São Paulo, o caderno distribuído pelo governo José Serra (PSDB) para ensinar os professores a dar aula traz um erro de português que causa arrepios nos educadores. Ensino é escrito com "c" de cebola: "encino".O erro está na página 11 do "Caderno do Professor" do segundo bimestre, entregue no mês passado aos professores de inglês das 8ª séries do ensino fundamental. Está lá: "Estratégias de encino", sobre táticas para trabalhar o tema "inventores famosos e suas invenções"."Meu Deus!", foi a reação do presidente da Apeoesp (sindicato dos professores estaduais), Carlos Ramiro. "Eles entregam o material sem nenhuma revisão", diz ele, crítico contumaz do uso dos cadernos.A Secretaria de Estado da Educação informou que o "encino" foi um erro de digitação que escapou dos revisores.Diz considerar uma falha menor porque, no mesmo livro, a palavra "ensino" foi escrita várias vezes da forma correta, e os alunos não têm acesso ao material -só os docentes. "A secretaria identificou pelo menos mais 350 palavras "ensino" escritas da forma correta em todos os [76] guias. Somente neste livro ("Inglês -8ª Série'), a palavra "ensino" é escrita quatro vezes corretamente."A pasta disse que não recolherá o material, embora os professores tenham sido alertados sobre o erro. A pasta não disse quantos livros distribuiu.



PS... vocês lembram do jornal do aluno? erros não faltavam e não era só de digitação............. eita encininho bãoooooooooooooooooooo

ASSEMBLÉIA NO MASP, DIA 20, SERÁ ÀS 14 HORAS



Em seguida, professores participam do ato público unificado na Praça da República

O horário da assembléia geral estadual marcada para a próxima sexta-feira, 20, foi alterado. Marcada inicialmente para acontecer às 15 horas, a assembléia realizar-se-á às 14 horas. Isto em função do Ato Público da Educação, que acontecerá na Praça da República.

A assembléia foi mantida para o vão livre do MASP. Logo após o término da nossa assembléia, desceremos em passeata até a Praça da República para nos juntarmos ao demais trabalhadores da Educação Pública para o ato unificado.

Nossas principais reivindicações:

*Revogação do Decreto 53037/08, que impõe vários prejuízos à categoria;
*Reajuste salarial;
*Um novo Plano de Carreira;
*Fim da aprovação automática;
*Liberdade de cátedra;
*Extensão do ALE para todas as unidades;
*Gestão democrática e autonomia da escola;
*No máximo 35 alunos por sala;
*Melhores condições de trabalho;
*Incorporação das gratificações com extensão aos aposentados;
*Concurso público estadual;
*Garantia de emprego e estabilidade a todos os professores;
* Pela revogação da Lei 1041/08 (lei que limita a falta médica).

Índices de paralisação

Cerca de 50% das unidades em todo o Estado já aderiram à greve contra o Decreto 53037/08 – alteração na contratação, substituição e remoção dos docentes -, e pela abertura imediata de negociação sobre a pauta de reivindicações da categoria. Várias unidades paralisaram as atividades totalmente.

ASSEMBLÉIA GERAL ESTADUAL DIA 20 DE JUNHO, ÀS 14 HORAS, NO VÃO LIVRE DO MASP

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Admirável Gado Novo - Zé Ramalho

Ofereço a todos os professores que mesmo perdendo tudo o que foi consquistado com anos de luta, preferem continuar com suas aulas GLS (giz, lousa e saliva), reclamando às paredes e não têm coragem de lutar.....

ÊHHHHHHHHHHHHH vida de gado. Professor marcado, professor feliz (só não sei por quê)

Desrespeito é pouco


Hoje estive no Depto. de Perícias Mèdicas do Estado. Infelismente tive que estar, pois ir lá deixa a gente mais doente ainda.

Acreditam que todos os funcionários do Estado têm que fazer perícias aqui? Hoje mesmo tinha gente de Ribeirão Preto, Sorocaba e Presidente Prudente (pelo menos que conversaram comigo).
Estavam preocupadas e nervosas, pois estavam lá desde as 11h00 (e já eram 15h19) e o médico/perito ainda não havia chego e elas nem sabiam se seriam atendidas. Tinha uma com uma criança de uns 3 anos nos braços e um outro senhor bem idoso com sonda em uma cadeira de rodas que estavam lá, esperando, esperando.......................
Uma das senhoras que acompanhava uma professora com problema depressivo foi pedir informações e uma das recepcionista que lhe mandou sentar e calar a boca.
Os peritos então, ou negam as licenças, ou mandam aguardar a comissão. Não sai mais nada de lá.
Também podia, o serviço de perícia médica não é mais vinculado à Secretaria de Saúde, mas sim a Gestão, e vocês sabem que os gestores entendem muito de saúde (hehe).
Tinha uma outra professora que chorava copiosamente por medo de ter sua licença negada, e a cada um que saía da sala do perito e balançava negativamente a cabeça informando ter a licença negada, esta mulher piorava. Eu ja fui preparada, ja levei um requerimento pronto para solicitar revisão caso a minha fosse negada, mas não foi............ preciso esperar a tal comissão. Comissão que vai analisar meu caso, mas se quer vai saber como eu sou, porque eu não estarei lá pra ser periciada.........................
Quantas pessoas eu vi chorando........ e sabe o que mais dói? Muitas saem tão desesperadas e angustiadas por não terem a quem recorrer, a quem gritar, a quem conversar, desabafar, que o fazem nas portas dos banheiros...........
Descrevem alí toda a sua dor e indignação. Eu até fotografei, mas camera de celular já viu...........
Depois dizem que funcionário públio tem vida boa................ é bom mesmo, porque quando ta morrendo sofre o triplo do que os outros..................
ai ai minha deprê......................................

Amizade



Quem me dera ser poeta para poder colocar em verso o sentimento de uma grande amizade...
Os amigos ocupam grande espaço do meu ser.
Os meus amigos choram e riem comigo, por vezes não importa se tenho muito, o que interessa é que cada qual é especial a cada momento da minha vida...
Não escolhi meus amigos, simplesmente os conquistei com o melhor que tenho para dar, a minha sincera amizade, na qual lhes dou o meu afeto, amor, respeito, carinho e cumplicidade.
Terminando com um beijo e um enorme abraço...

se amigo tem significado, ei-lo



Amigo é aquela pessoa com quem conversamos sem reservas, independente da hora ele sabe oferecer o aconchego do seu coração sem pedir nada em troca, e quando ele precisa sabe que pode fazer o mesmo sem objeção, não importa o tempo que estejam distantes fisicamente. Amizade é irmã do amor e não tem cara, tem reciprocidade, afetividade, respeito, carinho, confiança e alegria.

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Rosa de Saron Acústico - Chance

Pra todos que tem medo...............
A chance é agora............
lute.............
viva................
sonhe..................

Quem sabe faz a hora, não espera acontecer

quinta-feira, 12 de junho de 2008

A quem iremos nós?????


Bom, já é sabido que a situação do professorado paulista é calamitosa. Pior que incêndio em favela. O governo criou um monte de vielas... minúsculas para separar a categoria. São os efetivos mais velhos, os mais novos, os estáveis, os ACTs mais velhos, os mais novos, os eventuais formados, os estudantes..... Cada um lutando por si....................
Grupos que se perdem nos labirintos da favela-educação criada, ou melhor, sucateada pelo governo do PSDB (até dói escrever a sigla em maiúsculo).
Somos um dos (ou o) maior sindicato da América Latina.... mas não sabemos lutar.

Trabalhamos nos barracos que nos mandam.... cozinhamos o galo no fogareiro ou fogão de tijolos, fazemos "gato" pra iluminar as mentes da garotada que preferem o colégio fictício Múltipla Escolha/Ernesto Ribeiro que de escolha não lhe dá nada.
Reclamamos nas precárias salas de aula de nossa condição. Também o fazemos na cantina, na secretaria (da escola), na sala dos professores (que por sinal - algumas - até tem os computadores da TV, mas não se pode usar), reclamamos com os maridos/esposas, com os vizinhos, no transito...... mas normalmente é uma reclamação muda, porque não chega aos ouvidos de quem verdadeiramente deveria ouvir.............
Percorrendo a "favela" ainda encontramos a quadra de esportes onde só "os manos" brincam com os esporte oficial do país............. FUTEBOL................... mas a gente não liga, ainda não são as nossas cabeças rolando.

Neste paradisíaco viver (e não é a Portelinha) ainda sobra disposição pra criticar o sindicato - que por sinal não faz nada (gritam muitos professores prostrados aos desmandos do governo), mas quem é o sindicato? São eles ou somos nós?

Será que a voz de alguns diretores e mais alguns conselheiros será ouvida tão longe e tão alto quanto o necessário? Será que devo me sentar de braços cruzados e esperar que o outro lute pelo que também diz direito a mim? Será que eu também não devo elevar a minha voz?

Sim, eu e meu colega. Eu, meu colega e os amigos dele?

Será que toda uma categoria, de formadores de opinião e principalmente, de futuras gerações deveriam unir-se e lutar pelo que de fato é verdadeiramente e necessário?

- Dignidade, respeito, reconhecimento, saúde, salário dentre tantas e tantas dores que nos afligem?

O postinho de saúde da favela não funciona à noite e nem aos finais de semana(muitas vezes nem existe).......... onde correrei quando já não me agüentar de dor e desespero?

A quem iremos nós?

Aonde iremos nós?



Eu sei aonde vou, e você?


Vou me juntar a muitos que como eu não engolem qualquer coisa e lutam por seus direitos......... e você, vai continuar reclamando às paredes?

Se você é professor(a) de verdade, não deixe de participar






quarta-feira, 11 de junho de 2008

fazer filho é fácil.............. criar também....................


Esta semana uma criança menor de 5 anos caiu da escada rolante de um shopping. Culparam o shopping, o segurança, mas não os pais.
Eu tenho um sobrinho de 4 anos, mas não o deixo sozinho no shopping, muito menos em uma escada rolante.
Hoje em dia cabe aos professores educarem as crianças e aos seguranças cuidarem delas enquanto os pais passeiam no shopping....
O governo da leite, gás, bolsa família, material didático, merenda, uniforme, se a mãe doa o xixi ganha enxoval...................
O que sobrou aos pais? Só fazer bebê?............

Ela rouba e ele gosta


Hoje fui a uma cidade vizinha para uma consulta. Ao voltar um jovem de menos de 18 anos começou a chutar o onibus em que eu estava enquanto este fazia um balão. O motorista pediu pro rapaz parar, mas este preferiu se jogar na lataria. Foi tão forte que o barulho assustou o pessoal que pediu pro motorista parar porque este havia atropelado o menino.
O motorista disse que ia continuar seu caminho, mas o povo começou a xingar. Como eu estava olhando pela janela e vi tudo, pedi que as pessoas tivessem calma, porque não era atropelamento. O motorista gritava que o menino tinha se jogado e que em breve ele levantaria.
O interessante é que o balão foi feito sob os olhares apreensivos da população (claro, ja tinha juntado um montão de gente em cima do "cadaver"). Bom, o rapaz simplesmente se levantou e saiu cambaleando como se não tivesse acontecido nada. Sem camisa, sem identidade, sem noção do que estava a fazer, o menino saiu batendo e chutando outros carros.
Fiquei imaginando no que aconteceria se este infeliz tivesse morrido ou se machucado de verdade... A culpa seria do pobre do motorista? ai ai................... e o rapaz, doidão seria a vitima.....................

OneRepublic feat. Timbaland - Apologize

Se você não precisa dizer isso a alguém....
então é feliz.....................

Britney Spears - Piece of Me

Publicar postagem

Ta aí uma grande prova do que a perseguição pode fazer com as pessoas.... transforma deuses em demônios e vice-versa......

Essa música trata bem o que fazem com esta e outras pessoas......

terça-feira, 10 de junho de 2008

Promessas do Sagrado Coração

  • “A minha bênção permanecerá sobre as casas em que se achar exposta e venerada a imagem de meu Sagrado Coração”.
  • “Eu darei aos devotos de meu Coração todas as graças necessárias a seu estado.”
  • “Estabelecerei e conservarei a paz em suas famílias”.
  • “Eu os consolarei em todas as suas aflições”.
  • “Serei refúgio seguro na vida e principalmente na hora da morte”.
  • “Lançarei bênçãos abundantes sobre os seus trabalhos e empreendimentos”.
  • “Os pecadores encontrarão em meu Coração fonte inesgotável de misericórdias”.
  • “As almas tíbias tornar-se-ão fervorosas pela prática dessa devoção”.
  • “As almas fervorosas subirão em pouco tempo a uma alta perfeição".
  • “Darei aos sacerdotes que praticarem especialmente essa devoção o poder de tocar os corações mais endurecidos”.
  • "As pessoas que propagarem esta devoção terão o seu nome inscrito para sempre no meu Coração”.
  • “A todos os que comunguem nas primeiras sextas-feiras de nove meses consecutivos, darei a graça da perseverança final e da salvação eterna”.

Geraldo Vandré - Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores

No próximo dia 13 o professorado paulista (pelo menos os que têm consciência e descência) estarão nas ruas dizendo NÂOOOOO as atrocidades do atual (e ha muito tempo) governo do PSDB que como ja vem sido falado neste blog, continua (agora mais ferozmente) apunhalando e deteriorando a educação paulista, assim como os integrantes do magistério.

te convido: professor, aluno, cidadão a participarem conosco deste ato de repúdio e de reconquista à dignidade.

... QUEM SABE FAZ A HORA, NÃO ESPERA ACONTECER...

dia 13/06/2008 às 14h00

quinta-feira, 5 de junho de 2008

o massacre DO Serra elétricaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa


“O Massacre da Serra Elétrica” atingiu inacreditável sucesso ao chocar o público em 1974 com seu realismo cruel. A história aterrorizante, baseada em fatos reais, é considerada por muitos como um dos maiores suspenses de todos os tempos, tornando-se marca registrada do gênero de terror, o que influenciou incontáveis filmes.
Ainda que tenham sido filmadas várias seqüências do filme original através dos anos a que mais se iguala ao original é o que esta sendo escrito, dirigido e protagonizado pelo atual governador José Serra, que através de mais um de seus ataques a educação, retirou mais alguns "direitos" dos professores.
Mas calma, alguns direitos ainda foram preservados: Apanhar e ficar calado, ter seu veículo roubado e não encontrado, cumprir horário e ter que se apresentar além do mesmo, ser humilhado, achincalhado, dilapidado, etc etc.........

Quem sabe faz a hora ..... o problema é que já aconteceu..................