domingo, 28 de setembro de 2008

Professor defende punição severa a aluno, diz pesquisa

FÁBIO TAKAHASHI da Folha de S.Paulo

Os professores brasileiros querem punições mais duras aos alunos, na busca por disciplina, aponta um pesquisa nacional feita pela Organização dos Estados Ibero-americanos e pela Fundação SM. Chegam, inclusive, a defender a expulsão de estudantes.

As conclusões estão presentes no estudo "A Qualidade da Educação Sob o Olhar dos Professores", que entrevistou 8.773 docentes da educação básica no país e que será apresentado hoje, em São Paulo.

Do total, 83% defenderam medidas mais duras em relação ao comportamento dos alunos, índice que chega a 94% se analisada apenas a rede pública.

O estudo não detalha o que são "medidas mais duras", mas outra questão apresentada indica uma possibilidade: 67,4% disseram que deveria chegar a haver expulsão de alunos.

"As escolas brasileiras são espaços desorganizados, pouco propiciadores de um ambiente facilitador para estudo e reflexão. Isso se deve a problemas de comportamento dos alunos e a problemas de gestão e organização [das escolas]", disse Maria Malta Campos, que coordenou o trabalho, ao citar o que pode influenciar na posição dos docentes.

Campos afirma que é contra a expulsão de alunos. "Muitos fatores precisam ser superados, mais abrangentes do que simples medidas punitivas."

Educadores afirmam que um dos principais problemas nas escolas, principalmente das públicas, é a falta de regras claras. Nos regimentos, por exemplo, existe a possibilidade de expulsão, mas ela é pouco aplicada.

"Somos agredidos verbalmente pelos alunos diariamente. Não há mecanismo para impedir indisciplina. O professor e a supervisão conversam com alunos e pais, mas não adianta", disse Ricardo Pinto, 41, que leciona história na rede estadual e municipal de São Paulo.

"Em tese, sou contra a expulsão, mas não tem outro jeito. Um aluno indisciplinado prejudica outros 40", completou.

O presidente da CNTE (confederação que representa os profissionais da educação), Roberto Franklin de Leão, diz que a pesquisa mostra "um pedido de socorro" dos professores.

"Estamos abandonados pelo Estado, sem condições adequadas de trabalho. Não há, por exemplo, ajuda psicológica para os alunos e os educadores."

Presidente do Consed (conselho de secretários estaduais de Educação), Dorinha Seabra Rezende diz que, para tentar atenuar o problema da indisciplina, o conselho tem feito capacitação de diretores para melhorar a gestão das escolas.

"Vivemos uma época em que não há limites para nada", disse o pesquisador da Universidade de Brasília, Wanderley Codo. "A expulsão é necessária em alguns casos, como exemplo."

Já a presidente da Apaesp (associação de pais e alunos da rede estadual de SP), Hebe Tolosa, diz que "não se pode expulsar essas crianças, elas também precisam de socorro, de ajuda psicológica do Estado".

Déficit nacional de professores na rede pública é de 246 mil; MEC quer sistema de formação

Da Redação Em São Paulo
Faltam 246 mil professores nas redes públicas de educação básica do país, de acordo com dados da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). O Conselho Técnico Científico da Educação Básica estuda a elaboração de uma minuta de decreto presidencial para instituir o Sistema Nacional de Formação de Professores.

A idéia é que esse instrumento possibilite a criação de uma rede de formação a partir da oferta de instituições públicas de ensino superior --federais, estaduais e municipais.

O Conselho, criado em fevereiro deste ano, vai discutir, propor e acompanhar as novas políticas para a formação de professores, como a oferta inicial e continuada. Nesta quarta-feira (24), o Conselho realizou, em Brasília, sua quinta reunião, para discutir a formação de qualidade dos profissionais que atuarão ou que já estão em exercício na educação básica.

Eixo estratégico
Segundo o ministro da Educação, Fernando Haddad, a União precisa tratar essa questão como um eixo estratégico. De acordo com Haddad, o decreto permitirá alinhar as ações do ministério que repercutem na formação e contribuir para um regime de cooperação sólido entre os governos federal, estaduais e municipais.

"É preciso expandir as licenciaturas e pedagogias e organizar a formação continuada de maneira coerente", propôs o ministro aos membros do conselho --composto por 30 integrantes, entre doutores, especialistas, professores e dirigentes educacionais da Capes e do MEC.

O ministro disse que a expansão das redes federais de ensino superior e de educação profissional e tecnológica levará a todo o país mais de 400 pólos federais de formação inicial com a oferta de cursos de licenciatura e pedagogia. "Fora os pólos da UAB (Universidade Aberta do Brasil) que são mantidos por estados e municípios", lembrou Haddad, em relação à oferta de educação a distância.

Urgência
O ministro sugeriu que o Conselho discuta a elaboração da minuta do decreto com urgência para que o documento possa ser colocado em discussão antes de ser aprovado pelo presidente da República. "Temos que estabelecer um prazo para a que o texto receba subsídios que nortearão o decreto presidencial. A sociedade precisa se apropriar dessa conquista", recomendou. A minuta deve ficar pronta nas próximas semanas.

Paralelamente à discussão do texto pela sociedade, o ministro pediu que o Conselho debata a formação de professores para as séries iniciais do ensino fundamental e para a educação infantil.

O Conselho Técnico Científico da Educação Básica faz parte das atribuições da Nova Capes, cujas atribuições estão previstas na Lei n° 11.502, de 11 de julho de 2007. Essa lei permitiu à agência ampliar sua missão e atuar na formulação de políticas públicas para a qualificação de professores de ensino básico.
Leia mais
Maioria dos professores apóia avaliação, indica pesquisa
Fracasso na aprendizagem é responsabilidade do poder público
Brasil precisa superar as deficiências da educação de base
Professor defende punição severa a aluno, diz pesquisa
1 em cada 4 docentes estaduais alvo de violência

Lula assina decreto sobre acordo ortográfico na próxima semana

Agência Lusa

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai promulgar o acordo ortográfico da língua portuguesa na segunda-feira (29), na sede da ABL (Academia Brasileira de Letras), no Rio. A data foi escolhida por ser o centenário da morte do escritor Machado de Assis (1839-1908), fundador da academia.

O governo brasileiro já havia definido que as mudanças na ortografia portuguesa seriam adotadas a partir de 1º de janeiro do próximo ano, inicialmente em documentos oficiais. Nos livros didáticos, as alterações serão graduais, e a transição deve ser finalizada até 2012.

A reforma ortográfica é resultado de um acordo de 1990 para padronizar a grafia do idioma português celebrado entre os países que integram a CPLP (Comunidade de Países de Língua Portuguesa): Brasil, Portugal, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique, Guiné-Bissau e Timor-Leste. O Brasil será o primeiro a implementar as novas regras oficialmente.

As mudanças mais significativas alteram a acentuação de algumas palavras, extingue o uso do trema e sistematiza a utilização do hífen. No Brasil, as alterações atingem aproximadamente 0,5% das palavras. Nos demais países, que adotam a ortografia de Portugal, o percentual é de 1,6%.

Na próxima segunda, Lula assinará quatro decretos de promulgação do acordo. Participarão na solenidade os ministros Fernando Haddad (Educação), Juca Ferreira (Cultura), o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e os embaixadores de Portugal, Angola e Moçambique.

Novas regras

O acordo incorpora tanto características da ortografia utilizada por Portugal quanto a brasileira. O trema, que já foi suprimido na escrita dos portugueses, desaparece de vez também no Brasil. Palavras como 'lingüiça' e 'tranqüilo' passarão a ser grafadas sem o sinal gráfico sobre a letra 'u'. A exceção são nomes estrangeiros e seus derivados, como 'Müller' e 'Hübner'.

Seguindo o exemplo de Portugal, paroxítonas com ditongos abertos 'ei' e 'oi' --como 'idéia', 'heróico' e 'assembléia'-- deixam de levar o acento agudo. O mesmo ocorre com o 'i' e o 'u' precedidos de ditongos abertos, como em 'feiúra'. Também deixa de existir o acento circunflexo em paroxítonas com duplos 'e' ou 'o', em formas verbais como 'vôo', 'dêem' e 'vêem'.

Os portugueses não tiveram mudanças na forma como acentuam as palavras, mas na forma escrevem algumas delas. As chamadas consoantes mudas, que não são pronunciadas na fala, serão abolidas da escrita. É o exemplo de palavras como 'objecto' e 'adopção', nas quais as letras 'c' e 'p' não são pronunciadas.

Com o acordo, o alfabeto passa a ter 26 letras, com a inclusão de 'k', 'y' e 'w'. A utilização dessas letras permanece restrita a palavras de origem estrangeira e seus derivados, como 'kafka' e 'kafkiano'.

Dupla grafia

A unificação na ortografia não será total. Como privilegiou mais critérios fonéticos (pronúncia) em lugar de etimológicos (origem), para algumas palavras será permitida a dupla grafia.

Isso ocorre principalmente em paroxítonas cuja entonação entre brasileiros e portugueses é diferente, com inflexão mais aberta ou fechada. Enquanto no Brasil as palavras são acentuadas com o acento circunflexo, em Portugal utiliza-se o acento agudo. Ambas as grafias serão aceitas, como em 'fenômeno' ou 'fenómeno', 'tênis' e 'ténis'.

A regra valerá ainda para algumas oxítonas. Palavras como 'caratê' e 'crochê' também poderão ser escritas 'caraté' e 'croché'.

Hífen

As regras de utilização do hífen também ganharam nova sistematização. O objetivo das mudanças é simplificar a utilização do sinal gráfico, cujas regras estão entre as mais complexas da norma ortográfica.

O sinal será abolido em palavras compostas em que o prefixo termina em vogal e o segundo elemento também começa com outra vogal, como em aeroespacial (aero + espacial) e extraescolar (extra + escolar).

Já quando o primeiro elemento finalizar com uma vogal igual à do segundo elemento, o hífen deverá ser utilizado, como nas palavras 'micro-ondas' e 'anti-inflamatório'.

Essa regra acaba modificando a grafia dessas palavras no Brasil, onde essas palavras eram escritas unidas, pois a regra de utilização do hífen era determinada pelo prefixo.

A partir da reforma, nos casos em que a primeira palavra terminar em vogal e a segunda começar por 'r' ou 's', essas letras deverão ser duplicadas, como na conjunção 'anti' + 'semita': 'antissemita'.

A exceção é quando o primeiro elemento terminar e 'r' e o segundo elemento começar com a mesma letra. Nesse caso, a palavra deverá ser grafada com hífen, como em 'hiper-requintado' e 'inter-racial'.

Leia mais

Especial

1 em cada 4 docentes estaduais de Campinas foi alvo de violência

MAURÍCIO SIMIONATO da Agência Folha, em Campinas

Pesquisa da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo) com docentes da rede estadual em Campinas (93 km de SP) mostrou que um em cada quatro professores ouvidos disse já ter sido agredido por alunos.

O levantamento foi realizado de abril a maio. Dos 580 entrevistados, 24% sofreram violência física, 43% foram alvo de xingamentos, 30% sofreram humilhações, 20% foram vítimas de agressões verbais e 7%, de outros tipos de agressão, como intimidação.

A pesquisa foi realizada por conselheiros da Apeoesp de Campinas. A rede estadual na cidade tem cerca de 6.600 professores. O sindicato também questionou se os professores já tiveram objetos pessoais danificados por alunos --42% afirmaram que houve danos a seus carros, 30% citaram danos a livros, 8% a celulares e 20% mencionaram outros danos.

Do total de professores, 523 disseram que a escola foi alvo de vandalismo, como pichações (37%), destruição de móveis (30%) e danos a banheiros (25%), entre outros.

O levantamento questionou sobre as causas da violência. Para 39%, o principal motivo é a estrutura familiar. Também foram citados fatores como impunidade, falta de funcionários e a política de governo para a educação (sem especificar quais seriam os problemas).

Na semana passada, três alunos da quinta série de uma escola estadual em Campinas colaram uma professora na cadeira. A docente teve queimaduras de 1º grau nas pernas.

A Secretaria da Educação do Estado questionou a metodologia da pesquisa. Disse que o levantamento não tem qualidade porque foi feito por conselheiros do sindicato. A secretaria também afirmou que o número de professores ouvidos é baixo em relação ao total. Em nota, o órgão informou que os casos de violência contra professores estão caindo "ano a ano em todo o Estado". Disse que houve 217 em 2006, 180 em 2007 e 36 no primeiro semestre de 2008.

Para secretários do MEC, fracasso na aprendizagem é responsabilidade do poder público

Da Agência Brasil
Brasília - Um milhão e 300 mil crianças e adolescentes brasileiros de 8 a 14 anos não sabem ler nem escrever. Desse total, 84,5% freqüentam a escola. Os dados são da Síntese de Indicadores Sociais 2008, divulgada nesta quarta-feira (24) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Para o secretário de educação continuada, alfabetização e diversidade do MEC (Ministério da Educação), André Lázaro, a responsabilidade por esse fracasso da aprendizagem é do poder público.

"A gente não pode falar em culpa, mas em responsabilidade. E a responsabilidade é do poder público. Quem não deu carreira e um piso nacional ao professor foi o poder público, quem deixou frouxa essa articulação entre avaliação e diretrizes curriculares foi o poder público. O único que não tem culpa é o aluno", indicou.

A secretária de educação básica do MEC, Maria do Pilar Lacerda, classificou o resultado como "grave" e defendeu que o problema é conseqüência de "uma escola que não sabe ensinar a todos".

"É o reflexo de um país que não priorizou a educação para todos e que, de 20 anos para cá, tem priorizado. Então nós temos uma dívida de séculos para pagar, junto com a agenda do século 21. A escola era muito elitista e seletiva, ela excluía milhares de alunos da aprendizagem. O desafio agora é garantir que todas as crianças estejam na escola e aprendendo", apontou.

Para a secretária, o contexto social também influencia diretamente nos resultados. "Nós temos que lembrar que o Brasil é profundamente injusto, tem uma iniqüidade muito grande. A distribuição de renda, a injustiça social, a diferença de oportunidade, isso tudo reflete no sucesso escolar. Em vez de lamentar, cabe ao poder público ter políticas concretas para diminuir essas injustiças", disse Maria do Pilar Lacerda.

Mais precisão
André Lázaro destacou que os instrumentos de avaliação criados recentemente pelo ministério, como a Provinha Brasil e o Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), permitem enxergar "com mais precisão" o problema.

"A gente agora pode ver onde estão essas crianças, qual é a formação de professores, que tipo de apoio essa escola vai precisar. O importante é não brigar com os dados, se nós ignorarmos, nós não melhoramos", defendeu.

Para Lázaro, o caminho para melhorar a qualidade da educação já está traçado. "Nós estamos criando o sistema nacional de formação para professores, a Provinha Brasil, o Ideb. A família e a sociedade estão mobilizadas", disse. A melhoria no acesso à educação infantil que, segundo a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra Domiciliar), passou de 67% para 70% de 2006 para 2007, fará diferença na qualidade do ensino, disse o secretário.

Desvalorizados
Pilar e Lázaro defendem que os professores não podem ser responsabilizados pelo baixo desempenho verificado na pesquisa, já que, por muito tempo, foram desvalorizados e não tiveram a formação adequada.

Para incrementar essa formação, Pilar destacou o curso Pró-Letramento, que capacita professores das séries inciais do ensino fundamental em matemática e português. Hoje, 350 mil professores participam do curso, que tem 240 horas de duração.

Sobre a constatação do IBGE de que aumentou a distância entre brancos e negros no acesso à educação, Lázaro disse que os dados foram uma surpresa.

"Me surpreendeu essa informação, a gente vai precisar de mais detalhes. Os números não expressam as políticas afirmativas que nós adotamos e que outras instituições adotaram voluntariamente. Essa perpetuação da diferença é constrangedora, não só para o MEC, mas para todo o país. Isso nos desmente como projeto de nação", avaliou.

Esta eu conheço e confio


Se você vota em Itaqua e quer alguem legal e verdadeiro pra votar, tomo a liberdade de apresentar minha irmã-amiga-comadre.

sábado, 27 de setembro de 2008

Elogios em excesso

25/09/2008


Muitas famílias têm transformado a educação dos filhos em um grande processo de barganha. Vale quase tudo para conseguir que as crianças e os adolescentes obedeçam, esforcem-se, dediquem-se, cumpram com suas obrigações e não façam o que não deve ser feito: oferecer presentes -que, conforme a idade do filho, chegam a ser bem custosos, dar dinheiro, prometer passeios, elaborar quadros de incentivos inspirados no programa de TV "Supernanny" e, principalmente, elogiar.

O elogio, em especial, virou moeda de troca fácil nesse processo equivocado. O filho fez um desenho? Dá-lhe elogio.Fez a lição, arrumou a cama, estudou, tirou nota boa, tomou banho no horário determinado ou dormiu em sua própria cama? Dá-lhe elogio. Agora, quase tudo o que as crianças fazem virou motivo para elogio.

Os pais acreditam que elogiar o filho ajuda a criança a se ter em boa conta e a enfrentar as novas aprendizagens que surgem a cada dia e, portanto, que se trata de um agente do bom desenvolvimento e crescimento. Na verdade, elogiar em demasia -e é isso o que tem acontecido atrapalha tal movimento. Por quê?

Em primeiro lugar, porque o elogio está sempre ligado a algum resultado: um comportamento, uma aprendizagem ou a finalização de alguma atividade. O elogio é a apreciação favorável de um produto considerado bom. Só que, para alcançar tal resultado, a criança precisou realizar um processo que exigiu mais ou menos esforço ou persistência, e, para o crescimento, isso é o que importa.

Do jeito que as coisas andam, crianças têm recebido elogios por coisas que não exigiram esforço nenhum. Além disso, é preciso lembrar que nem todo bom processo se converte em bons resultados, não é? Do modo como o elogio tem sido usado, todo o procedimento é ignorado em nome do resultado. A criança aprende que o importante é acertar, e não aprender, e isso não pode ser uma boa coisa. Afinal, para aprender, é preciso reconhecer a ignorância e correr o risco de errar, e quem visa ao elogio não quer correr tal risco.

Em segundo lugar, o elogio freqüente torna a criança quase dependente da aprovação dos pais -do outro, portanto-, e isso impede que se veja, que se auto-avalie e que reconheça o valor do que faz. O elogio em excesso infantiliza. Por sinal, podemos constatar o quão infantilizado está o mundo adulto justamente pela busca do elogio. Muitos adultos, mesmo na vida profissional, têm feito de tudo para ganhar elogios e reclamam quando não os obtêm. Há algo mais infantil? Afinal, do outro precisamos buscar reconhecimento da nossa existência, e não aprovação, e essas duas coisas são bem diferentes entre si.

Finalmente, o elogio não é da ordem do afeto, o eixo fundamental da educação familiar. É para garantir o amor dos pais que a criança se deixa educar. Por isso, muito mais efetivo para a criança é receber um beijo.

Ganhar um afago e perceber com clareza o quanto os pais estão orgulhosos -ou não- são manifestações de afeto que, além de solidificarem as relações amorosas, também funcionam como excelentes recursos educativos. Deixar os elogios para situações especiais só valoriza o seu uso.



Categoria: Folha Equilíbrio
Escrito por Rosely Sayão às 11h15

domingo, 21 de setembro de 2008

Show Pe. Fábio de Melo - Filho do céu

para sentir o amor de Deus

Professor ofendido pelo Orkut obtém indenização de pais

da Agência Folha, em Campo Grande

A Justiça de Rondônia condenou 19 pais de estudantes a pagar indenizações a um professor de matemática de Cacoal (500 km de Porto Velho) que, somadas, resultam em R$ 15 mil.

O professor foi alvo de ofensas dos alunos no Orkut. Eles criaram, em 2006, a comunidade virtual "Vamos Comprar uma Calça para o Leitão", ilustrada com a foto e o nome do professor Juliomar Reis Penna, 33. Na comunidade, dez alunos da oitava série, com idades de 12 a 13 anos, escreveram ofensas, piadas, questionaram notas e ameaçaram o professor.

"Eu ajudo a furar os pneus do Vectra dele [...] Vamos quebrar os vidros, jogar açúcar dentro do tanque de gasolina", foram alguns dos recados deixados pelos alunos.

Condenados em primeira instância, os pais dos alunos recorreram ao Tribunal de Justiça de Rondônia. Alegaram que o fato fora apenas uma "brincadeira infantil". O argumento foi rejeitado pelo juiz relator da 2ª Câmara Cível do TJ-RO, Edenir da Rosa, que avaliou como "grave" o teor dos comentários publicados na internet.

No recurso, os pais disseram ser "impossível" vigiar os filhos vinte e quatro horas por dia, justificativa considerada "frágil" pelo TJ-RO.

Denunciados pelo professor ao Juizado da Infância e da Juventude, os alunos reconheceram a criação da página e a autoria dos recados. Como medida socioeducativa, oito estudantes tiveram de apresentar palestras para adolescentes sobre o uso responsável da internet.

sensação




Adaptação para as telas da popular montagem da Broadway sobre uma jovem que acaba de ficar noiva e decide encontrar o pai que nunca conheceu. Isso porque pretende convidá-lo para que ele a leve ao altar no dia de seu casamento. Toda a história é narrada usando famosas canções do ABBA, grupo sueco de enorme sucesso nos anos de 1970.


Título Original: Mamma Mia

Gênero: Comédia

Ano de Lançamento: 2008

Qualidade: DVDRip

Formato: Avi

Áudio: Inglês

Legenda: Sem

Tamanho: 700 Mb

Servidor: Bitroad


Download










O Assassino 47, personagem central da franquia de videogame “Hitman”, ganha sua primeira adaptação cinematográfica. 47 é uma máquina de matar perfeita, criada através de pesquisas genéticas e reconhecida apenas por um código de barras na nuca. Trabalhando para uma organização secreta conhecida apenas como A Agência, este assassino começa a questionar suas origens e objetivos quando conhece uma misteriosa agente russa. Para qualquer pessoa que teve contato com o jogo original, o nome de Jason Statham rapidamente vem à mente como a melhor escolha para o papel. Mas após boatos de que Vin Diesel viveria o assassino nas telas (pelo menos não passou de um boato!), o nome escolhido foi o de Timothy , vilão de ” Duro de Matar 4.0”. Somando-se à má escolha do protagonista, a trama sofreu grandes alterações em relação ao que se via no videogame, envolvendo conspirações de uma ordem religiosa que tentam dar um ar de “justiceiro” a uma personagem que era, simplesmente, um assassino contratado. Pode valer pela ação, mas só.


Tamanho: 330 Mb

Hospedagem: BitRoad



Download



links com varios livros e utilitarios


Descrição: Seu computador já apresentou alguns detes sintomas?

* O [BP]sistema[/BP] travou subitamente e foi necessário desligar o PC.

* Ocorreram problemas ao utilizar o Windows Update.

* Uma tela azul ou preta com mensagens de erro foi exibida.

* O computador está muito mais lento do que quando foi comprado.

* O micro não desligou ou reiniciou corretamente.

* Não foi possível remover um programa com a ferramenta “adicionar/remover”.

* Necessidade de reiniciar o computador freqüentemente.

* A Internet fica lenta ou caindo a todo instante.

* Um programa travou e você perdeu o trabalho que estava fazendo.
Download Megaupload
Download Rapidshare
Download Badongo



http://muambeiros.blogspot.com/2007/11/livros-mais-de-700-livros-diversos.html

http://muambeiros.blogspot.com/2007/11/livros-mais-de-700-livros-diversos.html

http://www.muambeiros.net/search/label/Cds%20Completos

sábado, 20 de setembro de 2008

Dia do Gaucho


Parabéns a todos Gaúchos..
Aos de sangue.. e aos de alma tmb!! Que com certeza são muitos!! Parabéns pela tradição que encanta o país inteiro.. e pelo povo lindo que são! Tem meu respeito e admiração!! Parabéns.. !!


O dia 20 de Setembro é considerado dia do gaúcho. Isso pelo fato de que em 20 de Setembro de 1835 foi o início da Revolução Farroupilha que teve a duração de 10 anos e no dia 28 de Fevereiro de 1845 com a assinatura do acordo de Paz de Poncho Verde, em Dom Pedrito, quando o grande chefe farroupilha Davi Canabarro afirmou: “Acima de nosso amor à república, está nosso brio de brasileiro”.
A independência do Rio Grande não era a intenção dos Farroupilhas, visto que seu descontentamento com o Império antecedia à separação de Portugal. A República sul-rio-grandense foi proclamada somente um ano após da Revolução e dela resultou o lema de sua bandeira “Liberdade, Igualdade, Humanidade”, que sintetiza as madrugadas e noites mal dormidas, pelos quais passou o gaúcho na preservação dos destinos de nossa Pátria.A Semana Farroupilha é uma festa cívica que surgiu quando oito jovens, entre os dias 07 e 20 de Setembro de 1947, no Colégio Júlio de Castilho em Porto Alegre, realizaram a primeira “Ronda Crioula”. Estes jovens retiraram uma centelha de chama da Pátria, à meia-noite do dia 07 de Setembro, a colocaram em um candeeiro e saíram em desfile pelas ruas de Porto Alegre carregando aquela fagulha e realizaram a primeira guarda de honra da “Chama Crioula”. A Semana Farroupilha tem por objetivo promover atividades culturais que aumentam o conhecimento das tradições gaúchas como hospitalidade, coragem, nativismo, apego aos usos e costumes e o cavalheirismo.

Contra a avaliação de desempenho imposta pela Secretaria da Educação

Os professores, reunidos em frente à Secretaria da Educação, na Praça da República, nesta sexta-feira, 19, ratificaram posição contrária em relação à avaliação de desempenho, à bonificação por resultado e à Resolução 66, que determina avaliação aos docentes em estágio probatório, impostas pelo governo estadual de São Paulo.
Mais uma vez, a categoria exigiu a realização de concursos públicos classificatórios para todos os professores ACTs, considerando-se o tempo de serviço. É imperativo pressionar a Secretaria para efetivar todos os admitidos em caráter temporário.

Os professores também continuam exigindo a revogação do Decreto 53037 que poderá provocar demissão de milhares de docentes.

Como parte da continuidade da luta contra os ataques da Secretaria da Educação que adota políticas com o único intento em prejudicar os professores, sem qualquer preocupação com a valorização e a melhoria da qualidade do ensino, a categoria aprovou um calendário de atividades para o mês de outubro. A Sede Central organizará várias ações culturais, de luta e de lazer em comemoração ao Dia do Professor. Em breve, informaremos os detalhes destas atividades.

Em 15 de outubro, o Sindicato veiculará matéria-paga na mídia televisiva em referência à falta de valorização imposta aos professores pelo governo estadual.

Calendário de Luta

08 de outubro: reunião de representantes de escola
13 a 17 de outubro: semana nacional de luta organizada pela CNTE
16 de outubro: audiência pública sobre diretrizes curriculares nacionais
17 de outubro: CER ampliado com realização de mesas de debates
31 de outubro: assembléia estadual dos professores

Iamspe: APEOESP protocola pedido de audiência

A Diretoria da APEOESP está solicitando audiência com o Superintendente do Iamspe visando cobrar soluções para os vários problemas ocorridos no atendimento do Hospital do Servidor Público Estadual e também dos Ceamas. Também vai reforçar a denúncia de fechamento de convênios ocorrido em diversas regiões do Estado e exigir a reestruturação e ampliação dos Centros de Atendimento.

Orientamos as subsedes a enviar denúncias e apontamento de problemas ocorridos nas respectivas regiões para que a Diretoria apresente-os ao Superintendente. As informações podem ser enviadas no endereço secgeral@apeoesp.org.br.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

MEC libera contratação de 4.300 profissionais nas IFES

Reuni prevê a abertura de mais 14.931 vagas para docentes e técnicos


O MEC (Ministério de Educação) assinou na última quarta-feira, 3 de setembro, duas portarias que permitem a realização de concurso público para a contratação de mil docentes e a distribuições de 900 cargos de direção e 2.400 funções gratificadas nas IFES (Instituições Federais de Ensino Superior). A iniciativa faz parte do cronograma de atividades estabelecidas para o desenvolvimento do Reuni (Programa de Apoio ao Plano de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais).

Essas contratações, no entanto, representam apenas 22% das 19.231 vagas autorizadas pelo Ministério do Planejamento no âmbito do processo de expansão das federais previsto pelo Reuni. Haverá ainda a liberação de 14.931 novas oportunidades para docentes e técnicos administrativos. Os próximos editais ainda não têm previsão para saírem.

Segundo o presidente da Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior), Amaro Lins, a liberação dessas vagas é fundamental para atender ao pedido do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em antecipar as metas estabelecidas pelo Reuni. "Com a otimização do planejamento e a liberação dos recursos será possível acelerar as atividades e, consequentemente, antecipar o prazo das metas", afirma ele.

No entanto, na opinião de Lins, é preciso compatibilizar o planejamento das instituições com a contratação de pessoal. "Não é possível desenvolver as atividades de expansão, sem o reforço de professores e técnicos administrativos", alerta o presidente da Andifes.

O prazo para a realização das metas estabelecidas no Reuni, que se encerava em 2012, passou para 2010.

Decreto garante computador portátil para professores

O preço será de até R$ 1 mil e vendas começam em setembro

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou um decreto que cria o projeto Computador Portátil para Professores. Dessa maneira, professores de escolas de redes pública e privada vão poder comprar um computador especialmente desenvolvido para custar R$ 1 mil. Esse valor poderá ser pago à vista ou ser financiado em até dois anos por bancos credenciados junto ao programa. A idéia dessa proposta é permitir que professores que hoje não têm condições de comprar um computador que os auxilie no ensino, possam faze-lo.

O projeto tem como público-alvo somente professores que ministram aulas na educação continuada, desde o Ensino Básico ao Superior. O programa permitirá que cada professor compre um computador e o controle será feito através do número de seu CPF. A responsável pelo controle de CPF será a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT).

Para efetuar a compra, os professores devem ir a uma agência dos Correios ou a bancos credenciados, com documentos pessoais que provem sua profissão. Para quem for comprar à vista, só encontrará o equipamento à venda nas agências dos Correios. Nesse caso, o equipamento será entregue em até 20 dias, a depender da região em que reside o comprador. Se o professor preferir fazer um empréstimo para a aquisição, é preciso entregar os documentos exigidos nas agências dos Correios ou diretamente ao banco de sua preferência, desde que a instituição seja credenciada ao Projeto. Após a aprovação, o pedido será enviado aos Correios.

As características do computador serão: memória principal de no mínimo 512MB com possibilidade de expansão de, no mínimo, 1Gb; unidade de armazenamento com capacidade de 40Gb; tela plana LCD e CRT, comunicação com interface sem fio; software livre com mais de 27 aplicativos; além de aplicativos específicos da área educacional. O início das vendas do programa será em setembro deste ano.

domingo, 14 de setembro de 2008

computadores para professores

http://www.computadorparaprofessores.gov.br/

Neste site estão todas as informações para que os professores possam adquirir um notebook a preços e condições incríveis.

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

11 de setembro

Pensei em não escrever nada sobre a data, pois outros "desastres" aconteceram e acontecem em vários países. Não podemos esquecer o que aconteceu aqui no Brasil pelo legacy-americano, genocidios em outros lugares. vou colocar aqui, um texto sobre um outro 11 de setembro que ninguem fala.

11 DE SETEMBRO, dia internacional da infâmia.
É fundamental mantermos nossa memória viva. É fundamental relembrar e refletir sobre o sentido e os efeitos dos atos praticados neste dia, atos de minorias que pretenderam alterar as estruturas vigentes.
O primeiro ato a ser lembrado comemora 29 anos. Foi no dia 11 de setembro de 1973 que as elites chilenas, apoiadas no exército e pela CIA, agência de inteligência do governo norte-americano, deram um golpe e derrubaram o presidente Salvador Allende no Chile. Dessa maneira o governo da Unidade Popular começou a ser eliminado, assim como as conquistas, principalmente políticas. Nos dias 11 e 12 a
resistência implicou na organização popular nos bairros e fábricas, onde populares e operários tomaram em armas, porém sem infra-estrutura ou prepara, forma massacrados. Na primeira semana de golpe foram mortas cerca de 9000 pessoas; ao longo da ditadura de Pinochet forma cerca de 30.000.

manual do professor


Tá em duvida?
Aqui esta o link para o manual de leis sobre o magistério.

http://www.apeoesp.org.br/manual_professor_2007/manual_2007.pdf

domingo, 7 de setembro de 2008

meu blog de trabalho com os alunos



conheça

Em negociação no TRT, APEOESP reafirma posição contrária ao Decreto 53037

A reunião de negociação realizada nesta quarta-feira, 03 de setembro, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), teve como pauta o Decreto 53037 e a reposição das aulas do período da greve. APEOESP apresentou a necessidade de extensão do prazo para a reposição das aulas. O governo comprometeu-se a publicar comunicado até a próxima sexta-feira, 05, estendendo-o até dia 30 de novembro. Com isso, os professores que se encontram em licença terão a chance de repor suas aulas. No comunicado, também serão indicados critérios que possibilitem a reposição para os readaptados, coordenadores pedagógicos, diretores e vice-diretores.

Concurso público para todos os ACTs

A APEOESP reafirmou posicionamento contrário ao Decreto 53037 e reforçou a necessidade de aplicação de concurso público classificatório para efetivação dos professores que, há anos, estão admitidos em caráter temporário. Durante a reunião, construiu-se a seguinte proposta para reflexão: governo estadual deverá elaborar um cronograma para realização de concursos públicos com o objetivo de efetivar o maior n úmero possível de ACTs.

Também deverá definir um número mínimo necessário de contratados temporariamente para as demandas da rede de ensino. A proposta ainda contempla a instituição de uma comissão, formada por representantes do Sindicato e do governo, para debater os critérios do Decreto 53037 que só seria aplicado para os professores ocupantes de função-atividade após a realização dos concursos.
O governo estadual deverá apresentar o cronograma e posicionar-se acerca da
proposta em relação ao Decreto 53037 na próxima reunião de negociação, agendada
para o dia 11 de setembro, no TRT.

SEE descaracteriza concurso ao avaliar professor em estágio probatório

Mais um ataque do governo aos professores. Na quarta-feira, 3, a Secretaria da Educação publicou no “Diário Oficial” a Resolução SE 66, com a normas complementares ao Decreto 52344, de 9 de novembro de 2007, que disciplina o estágio probatório para os integrantes do Quadro do Magistério. De acordo com a Resolução, o estágio probatório vale para os docentes que ingressaram na rede por meio de concurso e que foram efetivados em novembro de 2007 e para os futuros professores efetivos. Os docentes serão avaliados por três anos, a partir de sete critérios: assiduidade, disciplina, capacidade de iniciativa, responsabilidade, comprometimento com o serviço público, eficiência e produtividade. Diga-se de passagem, critérios vagos e generalizantes.
Ao propor avaliação depois do concurso, a Secretaria da Educação descaracteriza o ingresso em cargo público por meio de provas e títulos; na medida em que propõe nova avaliação, não aceita o resultado do concurso público.

Assiduidade O que diz a Resolução:

“Índice de freqüência anual do servidor ao trabalho, excetuando-se as faltas abonadas, na seguinte conformidade: a) 0 falta = 10 pontos; b) 1 falta = 9 pontos; c) 2 faltas = 8 pontos; d) 3 faltas = 7 pontos; e) 4 faltas = 6 pontos; f) 5 faltas = 5 pontos; g) 6 faltas = 4 pontos; h) 7 faltas = 3 pontos; i) 8 faltas = 2 pontos; j) 9 faltas = 1 ponto; k) acima de 10 faltas = zero pontos.”

Posição da APEOESP:

Não há a necessidade de avaliar a assiduidade, uma vez que o professor cumpre sua jornada de trabalho.

Disciplina O que diz a Resolução:

“Cumprimento dos horários e entrega das solicitações feitas pela Unidade Escolar e Diretoria de Ensino, nos prazos estipulados e constantes dos calendários.”

Posição da APEOESP:

É norma do professor cumprir seu horário de trabalho, sem atrasos, fechar nota nos prazos estipulados etc, mesmo porque se isto não ocorresse, a escola não funcionaria.
Capacidade de Iniciativa

O que diz a Resolução:

“Apresentação de propostas novas, não rotineiras para as demandas oriundas de atribuições do servidor, nas relações com os alunos, com o Diretor de Escola, Professor Coordenador, Supervisor de Ensino e pais de alunos.”

Posição da APEOESP:

Critério extremamente generalizante. Quais iniciativas e o que a Secretaria da Educação quer dizer com propostas não rotineiras? Para a SEE, basta editar uma resolução para solucionar os problemas da Escola Pública. Como cobrar do professor propostas se não lhe dão autonomia! Um absurdo!

Responsabilidade O que diz a Resolução:

“Criação de condições para o bom desempenho dos alunos e demais responsáveis pelo processo de ensino e gestão escolar; comprometimento com os objetivos pactuados nos planos de trabalho da Unidade Escolar e da Diretoria de Ensino, de acordo com asmetas da Secretaria da Educação.”

Posição da APEOESP:

Enquanto gestora da Educação Pública de São Paulo, a Secretaria da Educação tem a responsabilidade de criar condições de trabalho didático-pedagógico tanto para os alunos quanto para os professores. Disponibilizar material pedagógico para além da lousa, carteira e giz.

Comprometimento com a Administração Pública
O que diz a Resolução:

“Participação nos projetos especiais da Secretaria de Estado da Educação, adotados pela Unidade Escolar e/ou Diretoria de Ensino; participação nos cursos de capacitação oferecidos pela Secretaria da Educação.”

Posição da APEOESP:

O professor tem interesse em participar de cursos de capacitação, uma vez que visa a evolução na carreira por meio da evolução pela via não-acadêmica, uma conquista da APEOESP. No entanto, a Secretaria da Educação deveria oferecer os cursos no próprio local de trabalho e não como faz hoje, aos sábados. Os horários de trabalho pedagógico deveriam ser utilizados para os cursos de formação continuada; a implantação da nova jornada proposta na lei do piso salarial nacional, que determina que o professor utilize-se de 33% de sua jornada em atividades extraclasse, possibilitaria a implantação dos cursos de capacitação nos locais de trabalho.

Eficiência O que diz a Resolução:

“Apresentação, na prática, de cumprimento do contido nas propostas curriculares; uso adequado dos materiais pedagógicos e outros materiais disponibilizados pela Secretaria da Educação; apresentação de bom nível de rendimento no exercício de suas atribuições.”

Posição da APEOESP:

A Secretaria de Educação confunde currículo com ações práticas. A concepção de currículo em São Paulo é voltada o desenvolvimento de habilidades, não para uma formação humanista do aluno. Portanto, torna-se urgente a realização de um amplo seminário sobre o que é currículo e para a construção de uma diretriz curricular.
Produtividade

O que diz a Resolução:

“Apresentação de contribuições para a melhoria do nível de desempenho dos alunos, da Unidade Escolar e da Diretoria de Ensino; contribuição para o bom relacionamento entre alunos, pais e servidores, no exercício de suas atribuições; demonstração de competência na superação de obstáculos não previstos.”

Posição da APEOESP:

Avaliar para incluir tem caminho contrário ao das sucessivas medidas implantadas pela Secretaria da Educação, que representa outra coisa senão a exclusão e não tem colaborado para a melhoria da qualidade do ensino. Avaliar para incluir exige investimentos no processo de ensino-aprendizagem e não nos resultados, além de oferecercondições didático-pedagógicas para que a aprendizagem de foto ocorra. É preciso ainda reduzir a jornada do professor, instituir planos de cargos e salários que realmente valorize os profissionais, considerando sua formação inicial e a continuada no próprio local de trabalho; reduzir o número de alunos por sala de aula (35 no
máximo), aumentar o tempo do aluno na escola, pôr fim à aprovação automática, implementar o ensino de Filosofia e Sociologia em todas as unidades do ensino médio.
Avaliar para incluir pressupõe também a adoção da gestão democrática na escola pública.

Há mais de uma década a política educacional do PSDB levou a escola pública à falência. Inoperante e incapaz de administrar a escola pública, o governo acabou jogando nas costas dos alunos e dos professores a responsabilidade pela falência do sistema: o professor é incapaz de ensinar e o aluno incompetente para aprender. A Secretaria da Educação coisifica o aluno e preocupa-se apenas com resultados estatísticos. A administração Serra persiste em tratar a Educação Pública com viés administrativo e contábil, considerando-a como gasto e não como investimento. Ou seja, preocupa-se apenas em gerenciar e não aumentar os investimentos em Educação em busca da melhoria da qualidade do ensino.

Ação Civil Pública

Lembramos aos professores que a APEOESP entrou na Justiça com uma ação civil pública para discutir o Decreto 52344, em novembro do ano passado. Se algum professor que for avaliado e sentir-se prejudicado, é possível entrar na Justiça com uma ação individual, por meio da Secretaria de Legislação e Defesa do Associado da APEOESP.

Seguraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa Peão!



Nossa cidade esta de aniversário..............
Fui pra festa do Peão ver Daniel......................
Hoje tem Edson e Hudson..................
eita trem bãoooooooooooooooooooooooo!

sábado, 6 de setembro de 2008

Metade de mim

Que a força do medo que tenho não me impeça de ver o que anseio.
Que a morte de tudo que acredito não me tape os ouvidos e a boca.
Porque metade de mim é o que eu grito, mas a outra metade é silêncio.
Que a música que ouço ao longe seja linda, ainda que triste.
Que a mulher que eu amo seja sempre amada, mesmo que distante.
Porque metade de mim é partida e a outra metade é saudade.
Que as palavras que eu falo não sejam ouvidas como prece nem repetidas com fervor, apenas respeitadas como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimento.
Porque metade de mim é o que ouço, mas a outra metade é o que calo.
Que a minha vontade de ir embora se transforme na calma e na paz que eu mereço, que essa tensão que me corroe por dentro seja um dia recompensada.
Porque metade de mim é o que penso e a outra metade é um vulcão.
Que o medo da solidão se afaste, que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável.
Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso que me lembro ter dado na infância,
porque metade de mim é a lembrança do que fui e a outra metade não sei.
Que não seja preciso mais que uma simples alegria pra me fazer aquietar o espírito
e que o teu silêncio me fale cada vez mais
porque metade de mim é abrigo mas a outra metade é cansaço.
Que a arte nos aponte uma resposta mesmo que ela não saiba
e que ninguém a tente complicar porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer,
porque metade de mim é platéia e a outra metade é a canção.
E que a minha loucura seja perdoada porque metade de mim é amor
e a outra metade também.

Lembrança

Desejo reter em minha memória a sua lembrança.
Cada sorriso que iluminava meu olhar.
Cada olhar que preenchia cada vazio de meu coração.
Cada toque que exasperava minha alma
com a suavidade de uma brisa
e as conseqüências devastadoras de um furacão.
Tocar suas mãos...
era ter a segurança do mais corajoso exército,
que também derrocava.
Derrotas que se tornavam vitórias
no aconchego acolhedor de teu abraço,
quando então voltava a ser criança aflita,
até que o beijo comburente de tua boca,
mais uma vez,
resgatasse a mulher em mim.
Nenhum átomo de meu corpo ousava manter-se inerte
a pirotecnia que fazia esplendor em meu ser,
quando nossas luzes coalesciam
e iluminavam, e dilatavam, e estremeciam,
e contraiam e vibravam
cada ínfimo espaço desse infinito universo.
Em meu âmago guardo tua lembrança,
que nunca hei de esquecer!