sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

SP tem 1/3 dos docentes temporários do País



São Paulo é um dos três Estados que mais têm os chamados professores temporários entre os docentes que atuam em suas escolas estaduais. O índice chegou a 47,8% dos professores em dezembro de 2008. Além disso, o Estado sozinho tem um terço de todos os 300 mil profissionais nessa situação no País, segundo levantamento feito pelo Estado nas secretarias da Educação.

Os temporários são aqueles que não fizeram concurso público para atuar como professores e teriam de ser chamados apenas em caráter emergencial. Minas, com 53,5%, e Mato Grosso, com 48,8%, são os únicos a apresentarem índices mais altos que os paulistas. Os contratados em caráter temporário têm sido o centro de um debate em São Paulo entre sindicato e governo.

A Secretaria do Estado da Educação criou pela primeira vez neste ano uma prova para selecionar os profissionais dessa modalidade - 1.500 dos temporários que já trabalhavam na rede tiraram zero no exame. Até então, os critérios para escolha eram tempo de serviço e titulação.

A Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), no entanto, impediu na Justiça que o resultado da prova fosse utilizado e a atribuição de aulas foi feita nos padrões antigos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Nenhum comentário: