quinta-feira, 4 de junho de 2009

Os professores e funcionários da rede estadual de São Paulo votaram, nesta quarta-feira (3), pelo fim da paralisação das atividades iniciada hoje. A reunião ocorreu no estacionamento da Assembleia Legislativa de São Paulo. Os docentes permanecerão em estado "pré-greve", com indicativo de nova assembleia para o dia 16 de junho, informou a assessoria de imprensa da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo). O sindicato não divulgou um balanço da adesão à greve desta quarta. Já a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo publicou nota afirmando que a paralisação de professores da rede não teve adesão no Estado. "Os professores mostraram maturidade, pois não há motivo para fazer greve e prejudicar, principalmente, as crianças, que seriam as principais afetadas pelo movimento", afirmou no documento à imprensa o secretário estadual de Educação, Paulo Renato Souza. O sindicato estimou, ao final desta quarta, que 5 mil docentes ficaram reunidos na Assembleia Legislativa do Estado. De acordo com a assessoria de imprensa da Assembleia Legislativa, cerca de 1,5 mil professores estiveram no entorno da casa, além dos docentes que lotaram as galerias do plenário Juscelino Kubitschek. Teve início, às 15h, uma audiência pública para debater dois projetos de lei complementar, do Executivo, que tramitam na Assembleia e tratam de questões relacionadas aos servidores da Secretaria Estadual da Educação: os projetos de Lei 19 e 20, que instituem novas regras para a contratação de professores e apresenta a criação de duas novas jornadas de trabalho.

Um comentário:

ღ єиєι∂α ღ ●~ઇ‍ઉ~● disse...

Oi amiga! passando pra ver as novidades,te desejar um belíssimo fim de semana, e oferecer o selinho do dia dos namorados!! beijos perfumadinhos