domingo, 5 de julho de 2009

Valores: responsabilidade de todos



Lourdes Maria Rosa

No decorrer dos tempos, mudancas culturais, economicas e sociais levaram nossa juventude a ficar cada vez mais independente e incoerente; ela não leva mais as leis, familiares e educacionais a serio; não se sente responsavel pelos proprios erros e não assume as consequencias de seus atos. Com isso, essa nova geracão se tornou mais livre e mais libertina, tendo como consequencia a violencia e a criminalidade.
Mas, que valores a sociedade passa a essa juventude? Valores materiais, seria a resposta, ao dar enfase a corrupcão, existente em todas as esferas sociais. Ou seja, o que importa e ter bens e dinheiro, n?o importando os meios para isso, incentivamos a agressividade e a irresponsabilidade dessa nova geracão.
Todos tem uma parcela de responsabilidade. O Estado que se preocupou com quantidade de alunos e não com a qualidade de ensino. A familia, com o corre-corre da vida atual, prioriza o trabalho como forma de suprir as necessidades materiais impostas pela sociedade capitalista. A escola, que usa um modelo retrogrado (fordismo), ou seja, a escola como linha de producão em serie, tendo como prioridade a aprovacão no vestibular, na melhor das hipoteses, ou simplesmente cumpriu a legislacão.
Sendo nossa maior realizacão humana a felicidade, so poderemos efetivamente caminhar em direcão a ela mediante uma capacitacão e um exercicio para o habito de pensar bem.
Cidadania se adquire de verdade quando o cidad?o tem parametros e condicães para exercitar plenamente sua cidadania, o que n?o pode fazer se houver impedimentos burocraticos ou de expressão pessoal.
Educar para a emancipacão e acreditar que merecemos formar estudantes preparados para uma vida mais razoavel, mais profunda, mais feliz. Não e simplesmente trabalhar para atender imposicães de prazos e metas e provas, a fim de gerar pessoas conteudistas e pragmaticas, grandes decoradoras de conteudos e maquinas de pouca reflexão.
Quando chegarmos ao ponto em que muitas pessoas tenham entendido isto, e quando pudermos todos discordar (filosoficamente) inclusive disto, procurando na interseccão das palavras o que melhor venha a construir um discurso coerente, então seguiremos, todos rumo a uma sociedade mais justa e mais igualitaria.
Como diz o existencialista Jean Paul Sartre: "Não importa o que fizeram com voce. Importa o que voce vai fazer com o que fizeram de voce". Vamos assumir nossa parcela de trabalho por um mundo melhor. Todos temos capacidade de nos tornamos um ser humano melhor. Boa sorte.
Lourdes Maria Rosa, pedagoga, pos-graduada em Gestão Escolar e Gestão Ambiental. Professora do Ensino Fundamental I e Mediadora Pedagogica em cursos EAD do SENAI-SP.
fonte:http://www.profissaomestre.com.br

Nenhum comentário: