domingo, 17 de outubro de 2010

Diversas sobre Serra

Faz 04 meses que alguns Conselhos Estaduais de Economia solicitaram junto ao Conselho Federal de Economia que se manifeste a respeito do diploma de Serra, se há ou não registro dele como economista. Serra não é formado em economia e muito menos em engenharia, pois cursou até o segundo ano na Poli/USP. Foi professor convidado da Unicamp graças ao então reitor Paulo Renato, que acabou sendo ministro e atual secretario da educação paulista.

Brizola Neto:
A Editora Abril, que publica a revista Veja tem, se quiser, vasto material sobre o ex-desconhecido e atual inocente PAULO VIEIRA DE SOUZA, o tal Paulo Preto, o homem a quem José Serra considera acima de qualquer suspeita e que está processando os dirigentes do PSDB que o acusaram de ter desviado dinheiro de uma suposta arrecadação de “caixa-2? em favor do candidato tucano.
É que hoje o jornalista Paulo Henrique Amorim publica uma narrativa sobre o apartamento de alto luxo e um automóvel jaguar, blindado, que o ex-funcionário público possuiria. Luxos altos para alguém que, inclusive, se defende da acusação que sofre por receptação de uma jóia roubada dizendo que estava comprando um bracelete de R$ 20 mil.
Não sei se Paulo Vieira de Souza está com esta “bola toda”. Mas a Abril pode informar, sem dificuldade. É que a repórter da revista Contigo!, Ana Paula Rafanini esteve na festa que Vieira promoveu, em 7 de março do ano passado, na Casa das Caldeiras, uma antiga instalação das Indústrias Matarazzo transformada em local de eventos sofisticados. A reportagem, sem as fotos – que foram retiradas – fala de um suposto namoro entre convidados, a atriz Daniella Cicarelli e o banqueiro Luiz Octavio Indio da Costa, está na internet. A repórter pode confirmar ou desmentir a afirmação do deputado Adriano Diogo, da bancada estadual do PT paulista, de que a festa teria custado R$ 1 milhão e teria tido até “camelos e odaliscas”.
Está aí uma boa oportunidade de mostrar que o “jornalismo investigativo” funciona para todos. Nem precisa ir longe para apurar a matéria, é só ligar para a repórter da mesma editora e recuperar as fotos que foram removidas do site.


O Serra é ético e do bem (bem hipócrita, bem mentiroso, bem bandido)

Se o assassino do próprio filho ZÉ SERRA for eleito, colocará como ministros : IEDA CRUSIUS, JOSÉ ROBERTO ARRUDA, DANIEL DANTAS, PAULO PRETO E SUAS FILHAS, e como ministro da justiça o GILMAR MENDES, pois assim ele e sua maravilhosa esposa ficaram impunes pelo assassinato do filho ( já tinha nome ?, era homem ou mulher ?, onde foi enterrado ? quem enterrou foi o amigo do Bruno ?).

A edição deste domingo (17) do jornal Folha de S. Paulo revela que o candidato do PSDB à presidência da República, José Serra, nomeou a filha do ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, no primeiro mês como governador de São Paulo, em 2007. Segundo a reportagem, Tatiana Arana Souza Cremonini, filha de Paulo Preto, foi contratada como assistente técnica de gabinete, com salário de R$ 4.595, com gratificações.
Ainda de acordo com a publicação, a Secretaria de Comunicação do governo do Estado de São Paulo "informou que Tatiana foi contratada por sua formação profissional e pela fluência em inglês e espanhol" e que José Serra, por meio de sua assessoria, afirmou que "os processos de nomeação de servidores de confiança 'são instruídos pelas secretarias responsáveis pela indicação, chegando às mão do governador após processo de avaliação criterioso, como ocorreu nesse caso". Serra também não respondeu à pergunta do jornal se conhecia o parentesco de Tatiana com o ex-diretor da Dersa na ocasião da nomeação.
O advogado José Luís Oliveira Lima, que defende Paulo Preto, disse à Folha de S. Paulo que seu cliente comentaria a contratação da filha pelo governo do Estado, mas não retornou o contato do jornal até o fechamento da reportagem.
Paulo Preto foi citado pela candidata à presidência da República Dilma Rousseff (PT) no debate realizado pela Rede Bandeirantes, no último domingo (10). A petista mencionou uma reportagem da revista IstoÉ, de agosto, em que o engenheiro da Dersa foi acusado por Eduardo Jorge (vice-presidente do PSDB) de ter arrecado e desviado R$ 4 milhões da campanha de José Serra (PSDB) - o dirigente nega categoricamente que tenha feito a declaração.
Na última quinta (14), Eduardo Jorge e o presidente do PSDB, o senador Sérgio Guerra (PE), garantiram, em entrevistas publicadas respectivamente pelos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo, que Paulo Preto nunca esteve autorizado a arrecadar fundos para o partido e que não há qualquer arrecadação paralela na campanha do candidato José Serra.
O nome de Paulo Preto também está envolvido em denúncias contra sua outra filha, Priscila Arana. O diretório estadual do PT questionou, junto ao Ministério Público, a atuação de Priscila Arana como advogada de empreiteiras contratadas pela Dersa, que executaram obras no Rodoanel. O jornal Folha de S. Paulo também lembra que Priscila e sua mãe, Ruth, "emprestaram R$ 300 mil ao senador eleito Aloysio Nunes Ferreira, para a compra de um apartamento", mas o "tucano disse que quitou o empréstimo neste ano".

e tem muito mais lama nesse lamaçal........................
   

Nenhum comentário: