quinta-feira, 29 de abril de 2010

Oieeeeeeeeeee, novidades da Interdidatica

DIA 29/04/2009 (QUINTA-FEIRA)
MANHÃ
FÓRUM - CONFERÊNCIAS
Horário Grande Auditório
09h30
às
10h30
Participação dos Pais e Melhoria da Qualidade
Palestrante: Prof. Dr. Mozart Neves Ramos
10h45
às
11h45
Vovó na Janela
Palestrante: Prof. Dr. Claudio de Moura Castro
12h00
às
13h45
Pausa para Almoço e Visitação da Feira
TARDE
CONFERÊNCIAS - FÓRUM
Horário Grande Auditório
14h00
às
15h00
Participação dos Pais, Qualidade da Educação e Democracia
Palestrante: Prof. Dr. Renato Janine Ribeiro
15h15
às
16h15
Os Determinantes do Desempenho Escolar do Brasil
Palestrante: Prof. Dr. Naércio Menezes Filho
16h30
às
17h30
Computador na Avaliação como Base para Testes de Audição e Compreensão Visual
Palestrante:
Prof. Dr. Olaf Köller


Gente, o Prof Mozart deu um show e disse muitas verdades. Mostrou um levantamento que diz que os pais representam 80% da aprendizagem do aluno ficando para a escola 20%. É o que sempre falamos, mas a SEE de São Paulo sempre coloca a culpa no professor. Também falou da necessidade do diálogo da SEE com os professores e que o professor deve ser muito bem remunerado. No final de Semana vou postar uns materiais e falar mais sobre o assunto, porque acabei de chegar e estou exausta.
O pior momento do dia, foi na 4ª palestra onde o palestrante criticou os professores e deu razão as politicas excludentes dessa SEE, parecia que estava lá (assim como no dia anterior) pra fazer propaganda do Sr. Nefasto/Serra. O pessoal ficou bravo. Ele caiu na besteira de dizer que o diretor é o culpado das coisas não andarem, que ele tem que liderar, escolher e citou como exemplo o Bernardinho. Um dos professores presentes lhe explicou que o Bernardinho ganha muito bem, pode escolher com quem trabalhar e só tem os melhores. Assim fica fácil.... até
Se tiver alguem lá, me procura, hehe..... bjks

clique aqui e conheça a sinopse das palestras e o curriculo dos palestrantes.

Participação dos Pais na Educação melhora aprendizado


Um dos principais impasses no engajamento dos pais na educação parece ser os limites dessa participação. O diálogo aberto entre pais, educadores e gestores é um desafio nas organizações e uma via capaz de conduzir ao entendimento, à superação e ao crescimento. As relações entre escola e família baseiam-se na divisão do trabalho da educação de crianças e jovens, envolvendo expectativas recíprocas.
A Participação dos Pais na Educação é uma tendência mundial imprescindível para otimizar o ensino e proporcionar crescimento cognitivo aos estudantes. A ausência dos genitores na educação é claramente visualizada em pesquisas que demonstram que os pais não conhecem a realidade dos filhos na escola. Muitos acreditam no bom aprendizado das crianças, enquanto exames avaliam desempenho insatisfatório.
Renomados palestrantes brasileiros e internacionais compartilham suas experiências com educadores durante o Fórum Educacional Interdidática, que acontece de 28 a 30 de abril de 2010, no Palácio das Convenções do Anhembi, em São Paulo.
O professor doutor Mozart Neves Ramos discorre sobre Participação dos Pais e Melhoria da Qualidade, no segundo dia do evento. Para ele, o Brasil só será verdadeiramente independente quando todos seus cidadãos tiverem uma educação de qualidade. Partindo dessa ideia, representantes da sociedade civil, educadores, organizações sociais, iniciativa privada e gestores públicos de educação se uniram no Todos Pela Educação, projeto presidido por ele.
Mozart Neves Ramos é doutor em química pela Unicamp com pós-doutoramento pela Politécnica de Milão. Pesquisador do CNPq, foi reitor da Universidade Federal de Pernambuco e Secretário de Educação de Pernambuco. Presidiu a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior e o Conselho Nacional dos Secretários Estaduais de Educação. É autor do livro “Educação Sustentável” e membro do Conselho Nacional de Educação, Vice-Presidente da Câmara de Educação Básica e Presidente-Executivo do movimento Todos Pela Educação.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Interdidatica 2010


Milhares de educadores participam da cerimônia de inauguração da Interdidática 2010

Mais de 4 mil educadores participaram da abertura oficial da Interdidática 2010, na manhã desta quarta-feira (28), no Palácio das Convenções do Anhembi, em São Paulo.
A cerimônia de abertura do Fórum Educacional aconteceu no Grande Auditório “Celso Furtado” e foi dirigida pelo presidente da Interdidática, Eduardo Vidal. Em seguida, deu-se início a conferência sobre Os Desafios do Uso dos Resultados da Avaliação com os especialistas Profa. Dra. Maria Inês Fini, Profa. Dra. Bernadette Gatti, Profa. Dra. Maria Helena Guimarães de Castro e Prof. Dr. Francisco Soares, com milhares de professores, coordenadores, diretores e gestores de ensino.
Compondo os Eventos Integrados da Interdidática, o Seminário de Tecnologia Educacional foi aberto pelo vice-presidente da Interdidática, Jorge Vidal, no Auditório 8 do Palácio das Convenções. A primeira palestra a ser assistida pelos educadores foi do Prof. Dr. Sugata Mitra, que falou sobre Uma Alternativa de Escolaridade: “Self Organizing Systems”na Educação.
Outros nomes nacionais e internacionais vão estar nos palcos dos auditórios durante a tarde deste primeiro dia da Interdidática 2010, falando de suas experiências.
A Exposição Internacional de Sistemas e Soluções em Tecnologia Educacional também teve início nesta manhã, com dezenas de expositores oferecendo novidades no setor de tecnologia educacional, atraindo milhares de visitantes para a área de exposição.

Observações de quem esteve lá: Eu!

Disseram que as escolas escolidas pela SEE para irem são as melhores do estado segundo o IDESP. Começou com uma mesa redonda mediada pela D, Maria Helena Botox e a Ines Fini, enaltecendo as mudaças da educação em São Paulo. Tiveram a coragem de dizer que a mudança do curriculo foi proposta em 2009 e com a aprovação efetivada em 2010 - proposta ou imposta? Falaram, mostraram, enalteceram, só falto falar o nome do Zé desgraça..........
A tarde as palestras sobre avaliação foram muito boas, com nomes internacionais (me senti chique usando foninho para a tradução simultanea). Inclusive Tom Loveless, que entre outros assuntos disse que aumentar a quantidade de dias (mais que 180) e não melhorar a qualidade, não faz diferença na aprendizagem do aluno (o ano letivo nos EUA é de 180 dias) e a Maria Botox, disse que para resolver o problema do Ensino Médio basta diminuir as matérias obrigatórias.... simples....................

Os Coordenadores foram convocados de suas escolas, bem no periodo de fechamento de notas e sequer receberam a ajuda de custo, e terão que se virar para comer. Uma refeição lá, custa R$28,00 (era 35,00, depois baixou) ou seja, 7 tiquetes (detalhe, apesar de ficar mais de 8 horas por dia na escola, o coordenador não ganha tiquete), pra comer um salgado e um cafezinho, se desembolça R$7,00, ou seja quase 2 tiquetes.... pergunto: Como faz pra se alimentar em um dia (horario das 08h30 as 17h30) com dois cafés e um almoço, gastando 11 tiquetes no dia?
Lá tem uma exposição do que há de mais moderno na área da educação, desde carteirinhas, a carteiras com computador para os alunos integrada com a lousa, lousa digital que eu quase morri ao ver, de tanto babar, softwares em 3D (tinham que ver o corpo humano e o processo de mitose), gente tudo do bom e do melhor, mas adivinhem?????? Não será instalado na sua escola, porque giz e lousa são suficientes........
Amanha trago mais noticias, o assunto será os pais. Já vi tudo..........
bjks

A escola que queremos


Publicada em 27/4/2010
Opinião

Como diretor de um curso pré-vestibular que atende 6 mil alunos por ano, 80% deles oriundos da rede pública de ensino, recebo anualmente a radiografia da Educação do Estado de São Paulo . O resultado é alarmante: uma grande parcela dos estudantes, apesar de concluir o Ensino Médio, é formada por analfabetos funcionais – gente que não consegue ler, interpretar ou escrever a sua língua materna e não domina as quatro operações básicas da matemática; gente sem preparo para os desafios da vida, excluída do universo da cultura e sem qualificação para o mundo do trabalho e para o ingresso na universidade. Fica evidente, portanto, que a escola precisa ser reformulada. E que escola queremos? A greve realizada pela Apeoesp, uma vez mais, suscita o debate.

A reposição salarial dos professores é o primeiro ponto: é inadmissível que o Estado de São Paulo pague aos seus educadores menos de R$ 8 por aula. Como exigir que um docente se atualize, estude e se aperfeiçoe quando sua remuneração não permite o básico? Torna-se fundamental o reconhecimento da importância do educador: se é senso comum que Saúde e Educação devem ser prioridades de um governo, por que esse abismo de status e de valorização entre um professor e um médico?

Mas a questão salarial é somente uma parte do problema. Como alertou o economista Marcio Pochmann, em artigo publicado recentemente na Folha (30/3), São Paulo não acompanhou a evolução da riqueza do século XXI, obtendo, dentre todos os Estados, o segundo pior desempenho econômico entre 1990 e 2005. Para Pochmann, a falta de investimento paulista em educação e na geração de conhecimento é a grande causa da situação em que se encontra o Estado – e o maior reflexo disso vemos nas escolas públicas. À falta de investimentos somam-se absurdos erros do sistema educacional, como a “aprovação continuada”, que forma alunos “semianalfabetos” e que não sabem aplicar, em sua vida cotidiana, o pouco que aprenderam na escola.

E a cultura, ferramenta fundamental para a formação intelectual do jovem, ficou distante da escola, como se não fizesse parte da educação. Nada mais longe da verdade, como afirmou o próprio ministro da Cultura, Juca Ferreira, em entrevista à edição brasileira do Le Monde Diplomatique (janeiro de 2010). Ao invés de contribuir para a preparação e formação do estudante, o ensino regular entrega uma carga de conteúdo mal-aplicado e excessivo. Com tudo isso, a escola acaba sendo vista pelos alunos como um lugar chato, sem sentido e obrigatório. Ou seja, “deseduca”.

O currículo escolar precisa ser revisto: é necessária uma nova proposta que aproxime a escola da vida cotidiana do educando, valorize as relações entre as diversas áreas do conhecimento, permita o desenvolvimento de competências, reconheça a cultura como um direito e prepare o aluno para o mundo do trabalho e para a vida acadêmica.

A valorização dos professores, a modificação do ambiente escolar, a relação com a comunidade e um projeto pedagógico claro e objetivo são caminhos iniciais óbvios. Vários diretores de escola, espalhados pelo Estado, conseguem fazer das suas escolas ambientes de convívio e aprendizagem. Experiências realizadas por entidades do terceiro setor demonstram que é possível estabelecer com o educando uma relação mais acolhedora, através do diálogo, levando as questões do dia-a-dia para a escola, respeitando as diferenças e as necessidades.

É hora de aproveitar o assunto em pauta para propor uma reforma em todo o ensino público paulista. Que o Governo de São Paulo faça a sua parte, valorizando a escola e acreditando que a educação deve ser pública, gratuita e de qualidade. Quem sabe assim, num futuro próximo, os estudantes não precisem mais fazer cursinhos pré-vestibulares para “recuperar” em nove meses o conhecimento que não aprenderam em uma década na escola.

Gilberto Alvarez Giusepone Jr., engenheiro metalurgista formado pela Escola Politécnica da USP, é diretor do Cursinho da Poli

É BOM SABER……….


a) votou contra a redução da jornada de trabalho para 40 horas;
b) votou contra garantias ao trabalhador de estabilidade no emprego;
c) votou contra a implantação de Comissão de Fábrica nas indústrias;
d) votou contra o monopólio nacional da distribuição do petróleo;
e) negou seu voto pelo direito de greve;
f) negou seu voto pelo abono de férias de 1/3 do salário;
g) negou seu voto pelo aviso prévio proporcional;
h) negou seu voto pela estabilidade do dirigente sindical;
i) negou seu voto para garantir 30 dias de aviso prévio;
j) negou seu voto pela garantia do salário mínimo real;
Fonte: DIAP — “Quem foi quem na Constituinte”;pag. 621.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Mérito

Os valores  com o mérito já estao disponiveis no pagamento deste mes, mas.............. o retroativo prometido, não apareceu.........
Os mais céticos, se quer acreditavam que o valor seria incorporado ou que este o seria feito em doses omeopaticas de 5 em 5% no longo dos proximos 5 anos.
A média para quem tem 40h é de R$370,00 em cima do salario base. Só não consegui observar sobre a GAM.
Bom, mais uma vez, a promessa fica pela metade. Pagou, mas não cumpriu o prometido, como tudo o que esse governo faz.

tabela novos salarios

domingo, 25 de abril de 2010

Padres e vítimas fazem jogo de esconde-esconde com gravações, diz promotor

Responsável pela apuração de supostos crimes de pedofilia e abuso sexual entre padres e ex-coroinhas de Arapiraca (AL), o promotor José Alves de Oliveira Neto afirma que o caso deu início a um “jogo de esconde-esconde” entre defesa e vítimas que dificulta a atuação das autoridades envolvidas nas investigações.

Matheus Pichonelli, enviado a Arapiraca | 24/04/2010 03:49
Segundo ele, a defesa dos párocos apresentou apenas recentemente à Promotoria e à polícia um áudio que supostamente mostrariam os acusadores tentando extorquir os religiosos. Há uma representação por crime de extorsão em que a defesa trazia o áudio que até então não tinha sido apresentado. E eu disse: 'por que não me apresentaram antes?'. E o advogado disse que era uma estratégia da defesa. Quer dizer, é um desespero, um jogo de esconde-esconde que a gente fica sem saber o que adotar.
O advogado Daniel Fernandes, que fez a queixa-crime, diz ter o material em mãos que confirma que os párocos foram extorquidos. Os rapazes negam e dizem que a ligação interceptada foi editada.
O promotor disse ter tido conhecimento das acusações de pedofilia em 4 de outubro do ano passado. Desde então, ele pediu que o Grupo Estadual de Combate ao Crime Organizado tomasse depoimentos dos envolvidos e solicitou a abertura de inquéritos policiais para apurar tanto a suspeita de pedofilia como de extorsão.
Uma delegada está tentando ouvir várias pessoas e investigando possíveis novos envolvimentos, disse.
Segundo Oliveira Neto, a ida da CPI da Pedofilia do Senado para Arapiraca para tomar depoimento dos suspeitos e possíveis vítimas, na última semana, deu um impulso na coleta de novas provas. Até então ninguém sabia ninguém viu. Mas um dos padres [Edílson Duarte] pediu delação premiada e começou a dizer coisas importantes, analisa.
O promotor concorda que os meninos que se dizem vítimas dos religiosos são tratados com hostilidade na cidade, mas diz que não pode solicitar segurança policial à Justiça porque este pedido foi feito por eles à própria CPI. O comandante do batalhão diz que não pode dar segurança aos meninos. Eles ficam andando pra tudo quanto é canto e não tem efetivo pra isso. Agora, esse assunto não passou pelo juiz e, se o batalhão não pode dar a segurança, deve prestar essas informações ao Senado, porque a decisão partiu do Senado, diz.
Segundo ele, o monsenhor Luiz Marques Barbosa, flagrado no vídeo praticando sexo com um garoto de 20 anos, tem prestígio imenso na cidade, o que explicaria a hostilidade contra os acusadores. Eles filmaram e ainda tem muita gente que diz até hoje que as imagens foram montadas. Até o padre confessou e o povo diz que não é. Agora, os fatos são graves, mas as pessoas confundem com fanatismo religioso. Um padre até disse que estava sendo crucificado como Jesus Cristo. Pra mim isso é falar o Santo Nome em vão, não é?
O promotor disse ainda que os outros acusados, o monsenhor Raimundo Gomes e o padre Edílson Duarte, tinham o mesmo comportamento que o pároco flagrado no vídeo. A meta era a mesma, o abuso sexual. Não tem vídeo, mas tem testemunhas.
De acordo com o promotor, até mesmo as famílias das supostas vítimas ajudaram, indiretamente, a acobertar os abusos. Os meninos dizem que contavam aos pais que estavam sendo abusados e os pais diziam que estavam mentindo. Quando se afastavam dos padres, os padres diziam na igreja que estavam indo pro caminho do Mal. Você vê até que ponto estavam se locupletando. O cara querer se afastar e a família mandava voltar porque padre estava acima de qualquer suspeita.



Minha opinião: Aqui não defendo a pedofilia nem os que a cometem, mesmo que sejam padres, pois a eles cabe o exemplo, mas me pergunto se jovens de mais de 20 anos não são garotos como diz o autor da matéria. E sinceramente, se estes rapazes não tivessem nenhum interesse nisso, não teriam se submetido a tanto tempo a esses atos. Outra parte que interessa é a filmagem. Qual o interesse em fazê-la? Mostrar que o padre transava com crianças não era, porque a pessoa que estava com ele tem 20 anos e não é mais criança faz tempo. Hoje na escola observo as meninas e os meninos da 5ª serie em diante, ouço as coisas que eles falam e a maneira que tratam sua sexualidade. As meninas quando veem um professor mais novo, se jogam em cima que chega a dar vergonha, vivem se insinuando pros colegas, se oferecendo. Contam coisas que se quer imaginavamos........ Pergunto: até onde podemos entender como pedofilia um cara que faz sexo com uma garota de 14 anos (exemplo), quando esta se ofereceu e quis o ato?
Hoje o nome pedofilia esta em alta, mas muito antes sabemos dos incestos e da pratica do casamento aos 12 anos que ocorria no mundo desde que este mundo é mundo.
Quando vemos na TV e midia em geral, os modelos de "mulher perfeita", são aquelas modelos de 13 e 14 anos, novinhas.... pergunto: não será a midia a maior responsavel por esta aberração? Será que o uso de mulheres normais, com suas gordurinhas, celulites, manchas na pele e etc não seria menos instigante a pedofilia?
As mulheres cada vez mais trocam de parceiros, e estes acabam por não ter nenhum vinculo afetivo-paternal com suas filhas, mas vevem estas meninas como possibilidades..... Temos que parar com modismos e respeitar a historia, o ser humano, o tempo................

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Os lobos das pesquisas eleitorais

Por José Dirceu
Recebeu pouco destaque na semana passada uma inusitada polêmica sobre os resultados das pesquisas eleitorais para a Presidência da República. Digo inusitada porque não se esperava que tanto tempo antes do primeiro turno das eleições que um dos lados revelasse tamanha perda de isenção.

O ponto de discórdia foram os resultados destoantes que o Instituto de Pesquisas Datafolha apresentou na corrida presidencial, com o tucano José Serra à frente (36% de intenção de voto) e a ex-ministra Dilma Rousseff nove pontos percentuais atrás (27%). Os dados referem-se a um levantamento feito no final de março, mas foram praticamente repetidos em meados de abril pelo Datafolha (Serra com 38% e Dilma com 28%).

Os números dos dois levantamentos são altamente contraditórios com a tendência verificada por todos os institutos em pesquisas anteriores, inclusive pelo Datafolha, que apontara em fevereiro 32% para Serra e 28% para Dilma, resultados que consolidavam a aproximação constante e consistente de Dilma registrada desde março de 2009.

A situação foi reforçada pelo Vox Populi no final de março deste ano (Serra 34% e Dilma 31%), mas também pelo Sensus no início de abril (Serra 32,7% contra 32,3% de Dilma). Ambos traziam um cenário de empate técnico, algo esperado pelos analistas.

Diante da divergência numérica, a Folha de S.Paulo, jornal do grupo do Datafolha, adotou comportamento altamente questionável para justificar seus números destoantes: passou a jogar suspeitas sobre o trabalho realizado pelos dois institutos de pesquisa concorrentes.

Em matérias com grande espaço no jornal e em notas de colunas, o Vox Populi e o Sensus viraram alvos da Folha. O primeiro passou a ser, nas linhas do jornal, suspeito de usar uma ordem de perguntas que poderia, supostamente, direcionar as respostas dos entrevistados. O segundo passou a ser criticado por um erro no registro do contratante da pesquisa.

Mas notem que até aquele momento a metodologia do Vox Populi não havia sido alvo de questionamentos. E não poderia ser, pois os resultados eram semelhantes aos apresentados por outros institutos, fato que confirma a correção com que o Vox Populi realizou seu trabalho. Da mesma forma, é leviana a insinuação de que o Sensus comprometeu seus resultados porque errou o nome do contratante, quando o que importa é a metodologia aplicada.

Qualquer analista de pesquisa sério que observe os dados apresentados por todos os institutos do último ano ficará intrigado com os números trazidos pelo Datafolha. Simplesmente porque há uma máxima analítica que diz ser necessário olhar a trajetória dos candidatos, não o resultado em si. Ora, a trajetória clara na disputa eleitoral é de estagnação e princípio de queda de Serra e crescimento de Dilma.

Ao contrário do que tentou propalar a Folha, as suspeitas recaem sobre o Datafolha, não sobre os seus concorrentes. É lógico que existe a possibilidade de o Datafolha ter indicado uma nova tendência, ainda não captada pelos demais institutos, mas é preciso que a mesma se confirme nos próximos dois meses.

Não nos esqueçamos, contudo, que a Folha fez questão de publicar em fevereiro que, embora a margem de erro fosse de dois pontos percentuais, os 32% de Serra contra os 28% de Dilma não era uma situação de empate técnico porque a chance de ambos com 30% era estatisticamente improvável. Ou seja, recorreu a instrumento estatístico inédito para justificar a opção por não levar à manchete o empate entre os candidatos.

Lembremos também que foi a Folha que publicou, em 1998, na semana das eleições e no dia da votação, pesquisa Datafolha para o Governo de São Paulo com o ex-governador Mário Covas bem à frente da candidata do PT, Marta Suplicy. Abertas as urnas, verificou-se que Marta quase foi para o segundo turno no lugar de Covas.

Esse conjunto de fatores provocou reação do Vox Populi e do Sensus, além de reparos também por parte da Abep (Associação Brasileira das Empresas de Pesquisa). Afinal, o adequado seria um debate profundo de metodologias e de resultados, não a tática de jogar suspeita sobre os concorrentes. Mas talvez o jornal soubesse que esse debate daria razão ao Vox Populi e ao Sensus.

Aos eleitores —e leitores—, vale o alerta do episódio: a campanha eleitoral será recheada de supostas controvérsias plantadas com o objetivo de evitar o real debate a ser feito no país, o das realizações no Governo e dos projetos para os próximos quatro anos. Neste 2010, há mais lobos em peles de cordeiro do que podemos imaginar.

José Dirceu, 64, é advogado e ex-ministro da Casa Civil

Velório do Serra

Ao lado do caixão do Serra tem vários soldados.
Nisso aparece uma professora com uma sacola e começa a pôr dentro do caixão umas cenouras, tomates, alfaces enquanto os soldados olham para ela surpresos.
Enquanto a professora continua a colocar alimentos no caixão, um dos soldados pergunta para ela:
- Senhora, por favor, o que está fazendo?
A mesma, enquanto continua a colocar a comida, responde:
- O que você quer, meu filho, que os coitados dos vermes comam somente essa merda?

IMPORTANTE: TODO AQUELE QUE RECEBER ESTA PIADA, TEM A OBRIGAÇÃO MORAL DE, EM DEFESA DA ÉTICA E DA DEMOCRACIA, RETRANSMITÍ-LA A PELO MENOS 10 PESSOAS.

SE VOCÊ ROMPER A CADEIA, O Serra PODE SE REELEGER...
 
ODEIO CORRENTES, MAS ESSA É POR UMA BOA CAUSA.

Incrivel

TROQUE 1 PARLAMENTAR POR 344 PROFESSORES

EU APOIO ESTA TROCA !
344 professores que ensinam = 1 parlamentar que rouba
Essa é uma campanha que vale a pena!

Prezado amigo!
Sou professor de Física, de ensino médio de uma escola pública em uma cidade do interior da Bahia e gostaria de expor a você o meu salário bruto mensal: R$650,00.
Eu fico com vergonha até de dizer, mas meu salário é R$650,00. Isso mesmo! E olha que eu ganho mais que outros colegas de profissão que não possuem um curso superior como eu e recebem minguados R$440,00. Será que alguém acha que, com um salário assim, a rede de ensino poderá contar com professores competentes e dispostos a ensinar?
Não querendo generalizar, pois ainda existem bons professores lecionando, atualmente a regra é essa: O professor faz de conta que dá aula, o aluno faz de conta que aprende, o Governo faz de conta que paga e a escola aprova o aluno mal preparado. Incrível, mas é a pura verdade! Sinceramente, eu leciono porque sou um idealista e atualmente vejo a profissão como um trabalho social. Mas nessa semana, o soco que tomei na boca do estomago do meu idealismo foi duro!
Descobri que um parlamentar brasileiro custa para o país R$10,2 milhões por ano... São os parlamentares mais caros do mundo. O minuto trabalhado aqui custa ao contribuinte R$11.545.
Na Itália, são gastos com parlamentares R$3,9 milhões, na França, pouco mais de R$2,8 milhões, na Espanha, cada parlamentar custa por ano R$850 mil e na vizinha, Argentina, R$1,3 milhões.
Trocando em miúdos, um parlamentar custa ao país, por baixo, 688 professores com curso superior !
Diante dos fatos, gostaria muito, amigo, que você divulgasse minha campanha, na qual o lema será:
'TROQUE UM PARLAMENTAR POR 344 PROFESSORES'.
COMO VOCE VAI VOTAR DEPOIS DE LER ESTA MATÉRIA?
REPASSEM, EU JÁ ADERI À CAMPANHA!

terça-feira, 20 de abril de 2010

90mil acessos, já não tenho dedos pra contar o tamanho da gratidão que sinto



Obrigada a todos pelo carinhho e confiança. Continuem sempre aqui. bjks

Propaganda dos 45 anos da Globo foi tirada do ar por acusação de suposto apoio a Serra

Primeiro, o número é o mesmo. A TV Globo está completando 45 anos, e 45 é o número do PSDB, de José Serra, na campanha presidencial. Segundo, o slogan de Serra diz: “O Brasil pode mais”, e, na propaganda da emissora, seus artistas contratados repetiam frases que reforçavam sempre a palavra “mais”. O coordenador da campanha de Dilma Rousseff na internet, Marcelo Branco, enxergou nesses fatores mais do que coincidências, e manifestou sua estranheza em sua página pessoal no twitter. Resultado: a Globo emitiu uma nota comunicando que tirará o anúncio do ar.
A Globo alega que o vídeo que começou a ir ao ar domingo, no meio da programação da sua revista eletrônica, “Fantástico”, foi produzido em novembro do ano passado, quando ainda não havia oficialmente candidatura à Presidência, muito menos slogans já criados.
“Qualquer profissional de comunicação sabe que uma campanha como esta demanda tempo para ser elaborada”, diz a nota da Central Globo de Comunicação. “Mas a Rede Globo não pretende dar pretexto para ser acusada de ser tendenciosa e está suspendendo a veiculação do filme”, completa.
Para Marcelo Branco, a mensagem subliminar estaria no número 45 e nas frases em que os atores repetem: “Todos queremos mais. Educação, saúde e, claro, amor e paz. Brasil? Muito mais”.
Após a nota da Globo, Marcelo Branco postou em seu twitter que aquela não era uma posição oficial da campanha de Dilma, mais “uma opinião pessoal”.
Fonte: AE

sábado, 17 de abril de 2010

A atuação dos fofoqueiros no contexto político-eleitoral

REVISTA FÓRUM

Por Maria Izabel Azevedo Noronha [Terça-Feira, 13 de Abril de 2010 às 12:33hs]
No contexto eleitoral, é natural que as pessoas expressem suas preferências partidárias e por determinadas candidaturas e assim também ocorre com aqueles que atuam na mídia.
Desta forma, não há, nem poderia haver, nenhum problema no fato de profissionais que atuam em revistas de circulação nacional, canais de televisão, rádio, internet e outros meios de comunicação terem simpatias, por exemplo, pela candidatura presidencial do senhor José Serra. O correto, aliás, seria que todos assumissem abertamente suas preferências. Com isso, determinados órgãos de comunicação e editores de blogs e sites na internet teriam mais leitores entre aqueles que comungam da mesma opção.
O que é intolerável é que tais órgãos e pessoas se escondam atrás de uma pretensa neutralidade jornalística para demonizar lideranças que incomodam os políticos de sua preferência, realizando verdadeira campanha de desqualificação, na qual inventam fatos, fazem ilações, disseminam boatos e fofocas e fazem acusações absolutamente descabidas. Mas eles não conseguirão destruir essas lideranças, pois elas possuem base social, algo que esses detratores jamais possuirão.
Estas pessoas são blogueiros, fofoqueiros alcoviteiros e comentaristas que não têm nenhum compromisso com a verdade, mas apenas com seus próprios interesses e os de seus financiadores.
Jornalistas de verdade possuem uma ligação intrínseca com os fatos sociais. Evidentemente, nenhuma pessoa é neutra. Ao noticiar os fatos, o jornalista os interpreta e, de alguma forma, emite sua opinião, mas ela não se destina a elevar nem a destruir pessoas. Esta opinião está relacionada com os fatos narrados e ajudam, muitas vezes, a identificar e resolver problemas. No caso da greve dos professores, por exemplo, que explicitou inúmeros problemas presentes na rede estadual de ensino de São Paulo, alguns jornalistas e veículos cumpriram papel importante, analisando estes indícios e promovendo um debate – ainda que limitado - sobre os assuntos abordados.
Diferentemente dos verdadeiros jornalistas, os blogueiros, fofoqueiros e alcoviteiros aos quais me refiro são incapazes de assim atuar. Eles jogam na lata de lixo a oportunidade de contribuir para melhorar a educação pública, pois não estão nem aí para isto. Absolutamente nenhum deles foi capaz de informar aos seus leitores que o salário do professor da rede pública de São Paulo ocupa a 14ª posição em um ranking salarial no país.
São pessoas como Reinaldo Azevedo, Arnaldo Jabor, Demétrio Magnoli, Denis Rosenfeld e outros do mesmo naipe, que participaram de um encontro financiado pelos seus patrões para defender a liberdade dos donos dos meios de comunicação para fazer o que bem entendem, sem nenhum controle governamental, judicial ou da sociedade. Juntamente com alguns outros, como Diogo Mainardi, são sustentáculos de um projeto político que nada têm a ver com os direitos e interesses da maioria da população. Eles atuam única e exclusivamente para salvar o que é deles, defendendo à morte o chamado “livre mercado”, ainda que às custas de tudo o que verdadeiramente importa do ponto de vista social.
Estes blogueiros, fofoqueiros e alcoviteiros jamais terão um texto seu reproduzido no nosso blog na internet, porque eles não merecem de minha parte nenhum respeito. Tenho pelos que divergem das minhas ideias, e que as discutem em nível elevado, o mais sincero respeito, mas essas pessoas a quem me refiro lançam à lama qualquer assunto no qual se imiscuem. Eles não toleram a diferença de opinião e outras formas de analisar a realidade. Mas as divergências permanecerão, porque elas são próprias da humanidade. O tempo que eu perderia lendo seus escritos e cometendo a insensatez de reproduzi-los, poderia gastar, com melhor proveito, lendo uma revista como “Carícia” ou qualquer outra.
* Maria Izabel Azevedo Noronha é presidenta da APEOESP e membro do Conselho Nacional de Educação.
Maria Izabel Azevedo Noronha

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Olimpiada de portugues

Pessoal, vale a pena participar, independente da disciplina.... clique aqui

REUNIÃO TÉCNICA DISCUTIRÁ REPOSIÇÃO DE AULAS

Na tarde desta quinta-feira, em contato com a Diretoria da APEOESP, a Secretaria da Educação confirmou que fará o parcelamento do desconto dos dias parados no período da greve a todos os professores. Nesta sexta-feira, acontecerá reunião técnica entre o Sindicato e a Secretaria para definir os procedimentos deste parcelamento e da reposição de aulas. Orientamos os professores a organizarem, junto à unidade escolar, a melhor forma e prazo para a reposição, buscando completá-la no menor tempo possível.
Categoria “O”
Em função das especificidades do contrato dos professores categoria “O”, poderá haver discrepâncias nos  critérios de pagamentos da reposição destes profissionais.
Para evitar tais problemas, orientamos as subsedes a informar nomes, registro e número de dias parados destes docentes para um tratamento específico junto à equipe técnica da S.E. Os nomes devem ser enviados para a Presidência da APEOESP, através do e-mail presiden@apeoesp.org.br .
Professores demitidos
Mais uma vez, a Secretaria informou que não orientou a emissão de qualquer comunicado de demissão aos professores que participaram da greve. Reafirmou também que reverterá os possíveis caso. Para tanto, é de suma importância que as subsedes informem nomes e registros destes professores à Sede Central para reencaminhamento à S.E. Os nomes devem ser informados o mais rapidamente possível para a Presidência da APEOESP, assunto professores demitidos, através do e-mail presiden@apeoesp.org.br. .

terça-feira, 13 de abril de 2010

Petrobrax

Pois é, eu escrevi a uns dias atras sobre as privativações que os tucanos querem fazer..........
Hoje, lendo as falas do lançamento da pré-candidatura do Serra a presidência, o ex-governador de MG, Aécio (cotado para ser vice), disse que é preciso reforçar as privatizações (foi o momento de maior aplauso entre os tucanistas)..........
Então.......... vocês acham que eles querem deixar a Petrobras nas mãos dos brasileiros??? NÃOOOOOOOOOOOOOO, querem venderrrrrrrrrrrrrrrrr pros gringos...................

Também houve a  fala de Dilma dizendo que não foge da luta e que, claro, já foi destorcida alegando que ela estava criticando os brasileiros que se exilaram.............. ooooooo povooooooooooooooooo......

Outro assunto, foi a fala de Lula sobre o acordo de redução de armas EUA X Russia. O presidente brasileiro  é uma das vozes que se levantaram para questionar a efetividade do novo Tratado de Redução de Armas Estratégicas (Start, na sigla em inglês), assinado em 8 de abril.
“Vou perguntar ao presidente Obama qual é o significado do seu acordo recente com o [presidente russo Dmitri] Medvedev sobre a desativação das ogivas nucleares. Desativar o quê? Porque se estamos falando de desativar o que já estava vencido não faz sentido. Eu também tenho na minha casa uma caixa de remédios e vou tirando as que estão vencidas”, afirmou Lula em entrevista ao jornal espanhol "El País"
Criticaram (pra variar) a fala dele, mas o que ele disse é a pura verdade, não é?
bjks

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Precisamos de professor eventual

Parece loucura, mas é verdade..... Estamos precisando desesperadamente de professores. Categoria F, L e O(que tenham feito cadastro na Diretoria de Ensino). Aguardo contato pelo email deacoordenadora@gmail.com (para todos os períodos, especialmente o noturno).


bjks

"Greve explicitou fragilidade da educação em SP", diz Apeoesp

FÁBIO TAKAHASHI   da Reportagem Local

Apesar de não ter conseguido reajuste salarial para os professores da rede estadual, a presidente da Apeoesp (sindicato dos docentes), Maria Izabel Noronha, afirma que foi vitoriosa a greve terminada na última quinta-feira, que durou um mês. "Explicitou a fragilidade da educação em São Paulo."
A categoria pedia reajuste de 34,3%. O governo dizia que o aumento desajustaria as finanças do Estado, mas se comprometeu a negociar após o encerramento dos protestos.
A reportagem solicitou entrevista com o secretário da Educação, Paulo Renato Souza, por dois dias, mas não obteve resposta.
Na quinta-feira, o governo tucano divulgou nota que chamou o protesto de "tentativa de greve" e disse que estava disposto a negociar, mas não abrira mão de ações como a lei que limita o número de faltas dos docentes e o programa que prevê aumento salarial de 25% aos 20% dos docentes mais bem avaliados em um exame.
Abaixo, a entrevista concedida pela presidente da Apeoesp, logo após o encerramento da greve.
FOLHA - Como a sra. avalia o movimento?
MARIA IZABEL NORONHA - Do ponto de vista financeiro, não houve avanço. Mas foi vitorioso porque explicitou a fragilidade da educação em SP. O discurso do governo é que todos estão contentes com a política de bônus. Não foi isso que apareceu.
Com a greve, também foram feitas matérias, como a que mostrou queda dos salários em São Paulo [refere-se a reportagem da Folha, que relatou que a rede estadual paulista tem o 14º melhor salário do país].
O movimento não foi mais à frente porque os professores foram intimidados por diretores. Mas qual categoria aguenta 30 dias de greve?
E o governo foi autoritário, não negociou. Houve um refluxo na adesão. Achei acertado ter suspendido a greve agora e marcar uma nova assembleia, para o caso de o governo não atender nada. Não dá para oferecer 0% toda hora.
FOLHA - O intuito da greve era política? A sra. disse que queria quebrar a espinha dorsal do PSDB.
NORONHA - Quando disse aquilo era quebrar a política de exclusão adotada pelo PSDB, que dá aumento para apenas 20% dos professores e exclui os outros 80% [refere-se a programa implementado neste ano].
Eles estão muito no salto alto. Mas serão enfrentados. Não pensem que terão sossego com a suspensão da greve. Onde estiver o secretário, o governador ou o Serra em campanha, os professores estarão lá.
FOLHA - Houve protestos de próprios professores contra a decisão de suspender a greve...
NORONHA - Isso foi organizado por pessoas que não têm credibilidade no movimento, não são sequer eleitos. Eles tentam desestabilizar. Mas ficou claro que a posição majoritária foi de suspender a greve.

Concurso PEB II São Paulo

Lembram daquela questão que falei aqui? Pois é, ainda não deram resposta e a alternativa errada continua valendo..........

Não saiu mais nada sobre a 2ª fase, sobre os titulos, sobre nada..............................
É tudo igual ao governo desse Estado........ como diz um locutor esportivo: péssimo dos péssimos......
Estamos aqui, com cara de ué, aguardando alguma coisa................
Desrespeito é a marca desse governo e de tudo que eles se colocam a fazer..........
Falando nisso, descobri que alem de pagar taxa pra Nossa Caixa, agora também foi descontado um valor para o BB. Olhem aí e vejam se também aconteceu com vocês...... O serviço ta péssimo, mas as taxas já estão se multiplicando...................
Ah! enquanto a Petrobras ainda é nossa, existem governos que estão se matando pra ficar com os lucros..... o problema é que se a população "sabida" do nosso país eleger o Serra, a primeira providencia será entregá-la ao Ike Batista (hehe - não necessariamente, mas é uma possibilidade, ele é pobrinho d+), a outro país ou grande empresa que não é dos brasileiros................
Ah! me perguntaram sobe o concurso ser classificatório...... até agora não, e foi é bem eliminatorio pq 95% das pessoas que conheço e prestaram não conseguiram os 50%........... bjks

Serra pediu ajuda em greve de professores, mas não cumpriu acordo, diz Lula


Clipping Educacional - iG São Paulo
que o pré-candidato do PSDB à presidência, José Serra, pediu sua ajuda quando ainda estava à frente do governo de São Paulo para debelar uma manifestação de professores grevistas, mas descumpriu o acordo. Serra teria se comprometido a receber pessoalmente os professores, mas mandou o secretário da Educação, Paulo Renato, como representante.
O pedido de ajuda teria ocorrido durante uma cerimônia de entrega de ambulâncias da qual ambos participaram em Tatuí, interior paulista, no dia 25 de março.
"Lá em Tatuí fomos procurados pelo seu adversário que dizia para nós tentarmos ajudar na greve dos professores que iriam ao Palácio dos Bandeirantes em determinado dia. Eu vim para cá e o nosso querido companheiro Edinho (Silva, presidente do PT-SP) ligou para o governador Serra. Eu assumi o compromisso de conversar com a Apeoesp (sindicato que representa os profesores estaduais)", disse Lula à pré-candidata do PT, Dilma Rousseff.
O presidente relatou ter conversado no mesnmo dia durante o 2º Congresso da Mulher Metalúrgica, também no sindicato do ABC, com a presidente da Apeoesp, Maria Izabel Azevedo Noronha, a Bel, e intermediado uma reunião entre os grevistas e o governador.
"A Bel, presidente da Apeoesp, estava aqui neste sindicato. Nós conversamos com a Bel, o Edinho ligou para o Zé Serra e eu havia dito para o Serra diretamente na conversa: `Serra, converse você diretamente com o sindicato. Não deixe o seu secretário da Educação conversar porque ele não conversava quando era ministro. Converse você, eles não querem muito e estão dispostos a fazer um acordo. Converse".
Segundo Lula, Serra teria prometido ao presidente do PT paulista receber pessoalmente os professores. O iG apurou que o governador sugeriu a possibilidade de enviar o secretário da Casa Civil, Aloyzio Nunes Ferreira, já que a Apeoesp não aceitava negociar com Paulo Renato.
"Cheguei aqui e o Edinho me comunicou: "presidente eu conversei com o Serra e ele vai conversar com os professores'", disse Lula.
De acordo com Lula, Serra não teria cumprido o acordo. "Conclusão: eu fui embora tranquilo. Conversamos com a Bel tranquilo de que o governador iria chamar os professores para conversar. Qual não foi minha surpresa quando no dia seguinte ele viajou, não conversou, e mandou um secretário seu conversar com os professores", disse o presidente.
A assessoria de Serra, que poucas horas antes teve o nome lançado pelo PSDB em Brasília, foi procurada, mas não se manifestou.
A repressão policial às manifestações dos professores grevistas foi explorada em vários discursos durante o encontro de Dilma com representantes da seis centrais sindicais, neste sábado. "Posso afirmar porque estive do lado de lá na eleição passada. O Serra não gosta de trabalhador", disse o deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, presidente da Força Sindical e do PDT-SP.
Fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br/
Ricardo Galhardo 

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Show da língua portuguesa


Um homem rico estava muito mal, agonizando. Pediu papel e caneta.
Escreveu assim:
 
'Deixo meus bens a minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do padeiro nada dou aos pobres".
Morreu antes de fazer a pontuação. A quem deixava a fortuna? Eram quatro concorrentes.

1)  O sobrinho fez a seguinte pontuação: Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.

2) A irmã chegou em seguida. Pontuou assim o escrito: Deixo meus bens à minha irmã. Não a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.
3) O padeiro pediu cópia do original. Puxou a brasa pra sardinha dele: Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.
4) Aí, chegaram os descamisados da cidade. Um deles, sabido, fez esta interpretação: Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro? Nada! Dou aos pobres.
  Moral da história: A vida pode ser interpretada e vivida de diversas maneiras. Nós é que fazemos sua pontuação. E isso faz toda a diferença.
                                                             Beeeeeeeeeeeeijos


Vejam a nova Jurisprudência do Tribunal de Justiça-SP.

Agora as Prefeituras pensarão duas vezes antes de licitar Zonas Azuis

 
Espero ter feito a minha parte na divulgação. 

Repassando.

TALONÁRIO DE ZONA AZUL
Revista Consultor Jurídico - O Estado de S. Paulo - Dever de Vigilância
Quem paga Zona Azul tem direito à segurança do carro 'Optando o Poder Público pela cobrança de remuneração de estacionamentos em vias públicas de uso comum do povo, tem o dever de vigiá-los, com responsabilidade pelos danos ali ocorridos'. Assim, a empresa que administra a Zona Azul de São Carlos, foi condenada a pagar indenização no valor de R$ 18,5 mil ao motorista Irineu Camargo de Souza de Itirapina/SP, que teve o carro furtado quando ocupava uma das vagas do sistema de Zona Azul da cidade de São Carlos, serviço explorado pela empresa.

A decisão é da 1ª Câmara de Direito Civil do Tribunal de Justiça de São Paulo confirmando sentença da comarca de Itirapina.


Agora já existe jurisprudência firmada!
Para se exercer a plena cidadania, é imprescindível a informação.
Fique ciente!!!! INDEPENDENTEMENTE DO SEGURO PARTICULAR, AGORA PODEREMOS EXECUTAR AS PREFEITURAS!!!!
Esta vale a pena circular, mas tem gente que não tem interesse em tornar isso público. Esta informação é muito válida para nós contribuintes.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Adorei... Aulas de gestão

AULA 1

Um homem está entrando no chuveiro enquanto sua mulher acaba de sair e está se enxugando.
A campainha da porta toca.
Depois de alguns segundos de discussão para ver quem iria atender a porta a mulher desiste, se enrola na toalha e desce as escadas.
Quando ela abre a porta, vê o vizinho Nestor em pé na soleira.
Antes que ela possa dizer qualquer coisa, Nestor diz: - Eu lhe dou 3.000
reais se você deixar cair esta toalha!
Depois de pensar por alguns segundos, a mulher deixa a toalha cair e fica
nua.Nestor então entrega a ela os 3.000 reais prometidos e vai embora.
Confusa, mas excitada com sua sorte, a mulher se enrola de novo na toalha e volta para o quarto.
Quando ela entra no quarto, o marido grita do chuveiro: - Quem era?
- Era o Nestor, o vizinho da casa ao lado, diz ela.
- Ótimo! Ele lhe deu os 3.000 reais que ele estava me devendo?

Conclusão: *Se você compartilha informações a tempo, você pode prevenir
exposições desnecessárias*


AULA 2

Um padre está dirigindo por uma estrada quando vê uma freira em pé no acostamento.
Ele pára e oferece uma carona que a freira aceita.
Ela entra no carro, cruza as pernas revelando suas lindas pernas.
O padre se descontrola e quase bate com o carro.
Depois de conseguir controlar o carro e evitar acidente, ele não resiste e coloca a mão na perna da freira.
A freira olha para ele e diz: - Padre, lembre-se do Salmo 129!
O padre, sem graça, se desculpa: - Desculpe, Irmã, a carne é fraca...
E tira a mão da perna da freira.
Mais uma vez a freira diz: - Padre, lembre-se do Salmo 129!
Chegando ao seu destino, a freira agradece e, com um sorriso enigmático, desce do carro e entra no convento.
Assim que chega à igreja, o padre corre para as Escrituras para ler o Salmo 129, que diz: ' Vá em frente, persista, mais acima encontrarás a glória do paraíso'.

Conclusão: *Se você não está bem informado sobre o seu trabalho, você pode
perder excelentes oportunidades* .

AULA 3

Dois funcionários e o gerente de uma empresa saem para almoçar e na rua encontram uma antiga lâmpada a óleo.
Eles esfregam a lâmpada e de dentro dela sai um gênio. (Oh, que original!)
O gênio diz: - Eu só posso conceder três desejos, então, concederei um a cada um de vocês!
- Eu primeiro, eu primeiro. ' – grita um dos funcionários – Eu quero estar nas Bahamas dirigindo um barco, sem ter nenhuma preocupação na vida '
... Pufff... e ele foi.
O outro funcionário se apressa a fazer o seu pedido: - Eu quero estar no Havaí, com o amor da minha vida e um provimento interminável de pinas coladas!
Puff, e ele se foi.
- Agora você - diz o gênio para o gerente.
- Eu quero aqueles dois de volta ao escritório logo depois do almoço para uma reunião!

Conclusão: *Deixe sempre o seu chefe falar primeiro*.

AULA 4

Na África, todas as manhãs, o veado acorda sabendo que deverá conseguir correr mais rápido do que o leão se quiser se manter vivo. 
Todas as manhãs, o leão acorda sabendo que deverá correr mais que o veado se não quiser morrer de fome.

Conclusão: *Não faz diferença se você é veado ou leão, quando o Sol nascer,
você tem que começar a correr.*

AULA 5

Um corvo está sentado numa árvore o dia inteiro sem fazer nada.
Um pequeno coelho vê o corvo e pergunta: - Eu posso sentar como você e não fazer nada o dia inteiro?
O corvo responde: - Claro, porque não?
O coelho senta-se no chão embaixo da árvore e relaxa.
De repente, uma raposa aparece e come o coelho.

Conclusão: *Para ficar sentado sem fazer nada, você deve estar no topo *.
 
AULA 6

Um fazendeiro resolve colher algumas frutas em sua propriedade, pega um balde vazio e segue rumo às árvores frutíferas.
No caminho, ao passar por uma lagoa, ouve vozes femininas que provavelmente invadiram suas terras.
Ao se aproximar lentamente, observa várias belas garotas nuas se banhando na lagoa.
Quando elas percebem a sua presença, nadam até a parte mais profunda da lagoa e gritam: - Nós não vamos sair daqui enquanto você não deixar de nos espiar e for embora.
O fazendeiro levanta o balde e responde: - Eu não vim aqui para espiar vocês, eu só vim alimentar os jacarés!

Conclusão: *A criatividade é o que faz a diferença na hora de atingirmos nossos objetivos mais rapidamente* .

domingo, 4 de abril de 2010

Mais do que o sabor delicioso do chocolate, o sabor que deve ser experimentado nesta época é o sabor do amor imensurável de Deus-Pai por todos nós. As imagens do vídeo revelam uma parte da dor, mas não conseguem revelar nem a milésima parte do amor derramado.
Páscoa é ressurreição, renascimento........... eu sei o que é isso....... viver a angustia de não saber o dia de amanhã, mas Deus sempre o fez mais suave do que poderia ter sido........ 
A solidão que Jesus sentiu ao ver seus amigos dormindo, quando Ele havia pedido que permanecessem acordados é a mesma solidão que muitos de nós sentimos quando olhamos para os lados e vemos centenas de milhares de pessoas, mas nenhuma delas olham com amor para nós. O Cristo na cruz, mesmo dilacerado, nos olhou e nos olha todos os dias, fita nossos olhos com amor incalculável......... deixe que este olhar de amor cure suas feridas, sua vida e a vida dos seus....................... renasça........ sempre é possivel........
Muitas bençãos! SHALOM!



Num recado a Serra, Lula elogia greve dos professores

SIMONE IGLESIAS
Clipping Educacional - DA SUCURSAL DE BRASÍLIA
Presidente não cita SP, mas diz que paralisações ajudaram a melhorar ações do governo
Sobre as multas que levou do TSE por propaganda antecipada, petista ironiza e diz que precisa se "conter" durante os seus discursos
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou sua ida a um evento de educação para defender o direito de greve dos professores, dizer que a categoria não é valorizada e afirmar que não se conforma com os baixos salários pagos a eles.
Apesar de não ter citado a situação em São Paulo, a fala de Lula foi uma provocação ao governador e pré-candidato tucano à Presidência, José Serra, que enfrenta uma greve de professores há 25 dias. Os tucanos alegam que a greve é política.
Lula fez duas referências ao direito à greve, ao falar para cerca de 3.000 pessoas que estavam na 1ª Conferência Nacional de Educação.
Primeiro, ao listar uma série de ações do seu governo na área, disse: "Não pensem que a gente chegou até aqui apenas por nossa vontade. É porque as cobranças de vocês, as conferências de vocês, as greves de vocês, as conversas de vocês é que fizeram a gente entender que um governo bom não é aquele que governa dissociado do povo. Um governo bom é aquele que tem capacidade de colocar em prática como políticas públicas o que ouve em cada rua, em cada escola, em cada fábrica, em cada banco".
Depois, fez elogios ao ministro Fernando Haddad (Educação), chamando-o de "dádiva de Deus" e dizendo que ele soube formar uma boa equipe na pasta, capaz de atender às demandas do setor.
Para Lula, os professores em greve agem como uma "torcida organizada" para serem valorizados. "Um técnico não ganha jogo, é preciso que tenha bons jogadores do seu lado, e da torcida organizada, que são os educadores deste país que vão à luta, que brigam, que exigem, que fazem greve, que negociam, mas que, muitas vezes, não são valorizados."
Lula afirmou que, nos últimos 30 anos, os professores tiveram a profissão "judiada", "sucateada" e "maltratada". De acordo com ele, os educadores costumam ser lembrados apenas no dia 15 de outubro-Dia do Professor.
"Não me conformo é alguém achar que um piso de R$ 1.020 é alto para uma professora que toma conta dos nossos filhos", disse, em referência ao valor nacional de referência do Ministério da Educação para professores da educação básica.
Ontem, a Folha mostrou que São Paulo caiu quatro posições no ranking de salário de docentes, ocupando a 14ª posição entre os 27 Estados. No sistema paulista, o salário é de R$ 1.834, para uma jornada de 40 horas semanais.

Multas
No evento, o presidente ironizou as multas que recebeu do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). "Hoje eu vou ler o meu discurso porque estou sendo multado todo dia, e daqui a pouco eu vou ter que trabalhar o resto da vida para pagar multa. Eu vou me conter", disse, ao ser aplaudido. Os professores gritaram palavras de apoio à candidatura de Dilma Rousseff: "O povo decidiu. Agora é a Dilma presidente do Brasil".
Lula disse ainda que rejeita a ideia de se tornar "ex-presidente" e que, quando acabar seu mandato, continuará "andando pelo país".
fonte: http://www1.folha.uol.com.br/

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Contradições na educação


A Secretaria da Educação do Estado (SP) lança um projeto formidável, que acredito pioneiro, de introdução do cinema nas escolas.
Me parece até um tanto utópico, na medida em que o cinema deixa de ser um apoio confortável ao trabalho com disciplinas mais "áridas", para ser considerado em sua especificidade de objeto estético. Mas sem sonhar não há o que vá em frente.
O trabalho é forte, embora se possa fazer ao menos um reparo: me parece que todo um programa antigo da FDE, em que se desenvolviam cadernos sobre filmes específicos, ficou de lado. E ali havia coisas muito, muito boas.
O projeto está feito e lançado, isso é importante. Pode não dar certo inteiramente, mas é um passo muito forte para a introdução da preocupação com a imagem na educação, o que não é nenhuma perfumaria, considerando a presença e importância da imagem em nosso mundo.
Ao mesmo tempo, ouço me dizerem que o salário inicial do professor em SP está na casa de R$ 7,00 por hora, a 40 horas por semana. No total, dá coisa de R$ 1.800,00. Se eu estiver errado, por favor alguém me corrija, porque achei que estavam me gozando.
Com esse salário não vejo como esperar que professores ensinem uma coisa tão nova quanto imagem. Aliás, não vejo como esperar que ensinem o que quer que seja.
Então, a iniciativa da Secretaria vem essa contradição clara: propõe uma inovação disciplinar interessante e bem desenvolvida, mas não cria condições mínimas para que seja testado e desenvolvido.
Não estudo o assunto, mas me parece evidente que, no Brasil, ou se ataca a questão do ensino e da cultura (isto é, da educação) a sério, coisa que se perdeu há uns 40 anos, ou nossos sonhos de país desenvolvido vão para o buraco.
Por Inácio Araujo às 04h45

quinta-feira, 1 de abril de 2010

São Paulo cai quatro posições em ranking salarial de docentes


1ª de abril pra esses 6mil, hehe

da Folha Online
A rede estadual paulista de ensino caiu quatro posições desde 2007 no ranking nacional de salários iniciais, para professores da educação básica. Ocupa hoje a 14ª colocação entre os 27 Estados, segundo reportagem de Fábio Takahashi, Luiza Bandeira e Silvia Freire publicada na edição desta quinta-feira da Folha (íntegra somente para assinantes do jornal ou do UOL).
De acordo com o levantamento feito pela Folha, no sistema paulista, o salário é de R$ 1.834, para uma jornada de 40 horas semanais. Foi considerada a remuneração inicial (que abrange metade da rede estadual de SP) dos docentes com formação superior. A hora-aula paga em São Paulo equivale à metade da de Roraima, unidade com a melhor remuneração.
Parte dos docentes paulistas está em greve há quase um mês. Eles exigem reajuste de 34,3%. Desde 2008 não há aumento e desde 2005 os reajustes aos docentes estão abaixo da inflação.
Em resposta a reivindicação dos professores, a política implementada pelo governo Serra, que seguirá com Goldman (ambos PSDB), foi dar dinheiro extra aos docentes mais bem avaliados. Ontem, por exemplo, a Secretaria da Educação anunciou que 20% dos docentes ganharam aumento de 25% --eles tiveram as maiores notas numa prova.