terça-feira, 29 de junho de 2010

Ultimas da Educação

Apeoesp

Fax 61, leia aqui
Fax 62, leia aqui


UDEMO
Audiência com o Secretário da Educação 16/6/2010
Resumo

1. Questão Salarial.
R. Sem novidade.

2. Questão dos aposentados: discriminação e perdas.
R. Sem novidade.

3. Aposentadoria especial dos diretores e supervisores.
R. Aguardando manifestação da PGE.

4. Abertura de novos concursos - diretor de escola.
R. A SE está estudando novas regras para a direção da escola, assim como um novo perfil para o diretor. Só depois de concluídos esses estudos haveria novos concursos, e já dentro do novo perfil.

5. Faltas da greve: reposição, pagamento e acerto da vida funcional.
R. Com relação à reposição e o pagamento dos dias parados, já está tudo certo. Com relação à regularização da vida funcional, o assunto será discutido, e uma consulta será feita à PGE.

6. Incorporação da GAM e desconto previdenciário.
R. A Fazenda entende que o desconto é devido, e sobre o total (15%). Um novo projeto de lei está em estudo para tentar resolver o problema. Até lá, permanece o desconto sobre os 15%.

7. Evolução funcional: processos parados no DRHU.
R. O Gabinete vai se inteirar do problema e dar uma resposta à Udemo. O que se alega é a falta de pessoal para trabalhar nos processos.

8. Promoção por Merecimento.
R. Não estava na pauta; porém, como o Secretário da Educação entrou no assunto, para falar de ganho salarial, a UDEMO aproveitou para fazer as mesmas observações, sugestões e críticas que faz desde a apresentação do projeto. A questão não é o mérito, mas sim a discriminação e as restrições que existem no projeto, conforme vimos denunciando no nosso site e nos nossos materiais.

Observação:
Você está achando esse resumo muito lacônico? É porque não há o que comentar; ou melhor, sem comentários! Pior que as respostas foram as justificativas! Vamos poupar você, colega, desses absurdos!

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Estamos verdadeiramente sós?

Ontem, uma querida professora da Unidade em que trabalho foi ter seu encontro pessoal com Deus. Uma pessoa doce, dedicada, alfabetizadora... ensinou a muitos as primeiras letras.......... tranqüila, quieta, meiga, trabalhadora, esforçada.......... sonhava em ter um carro............. Estava esperando a aposentadoria.........
Foram cinqüenta dias internada no Servidor Publico, e nesse período, com a mudança de banco, seu pagamento ficou bloqueado e sua família, precisou se virar em duas para conseguir ir visitá-la todos os dias..................
Após 25 anos de trabalho seu sonho de um carrinho estava quase chegando perto....... já estava doente por um problema respiratório, mas com certeza sua maior dor era a de não ter uma sala pra chamar de sua, após mais de vinte e cinco anos dedicados a alfabetização, porque por causa de uma prova que lhe excluiu da classificação que tinha, após tantos anos, não lhe sobrara nada................... Cumpria seu horário de permanência.....
Hoje, sua família esperava em seu velório que já passava mais de 24horas, que amigos da escola e alunos lhe fossem dizer adeus, mas estes lá não estavam, pois estavam na unidade escolar trabalhando e estudando, “normalmente”.................
Eu, particularmente, não lido bem com a morte.......... o passamento das pessoas em abala profundamente............... mas meu coração doeu ao chegar lá e somente encontrar a família.................. eu tenho e sempre tive muita dificuldade a ir a velórios, mas sentia no coração a necessidade de ir.................. Onde estava todo mundo? Será que depois de tantos anos de dedicação, somente os de sangue lá estarão?
O mundo desumanizou as pessoas. Valores como amizade são postos de lado por causa do trabalho.......... assim como muitos pais que acham que o importante é o que se TEM, quando na verdade, o importante é o que se É.
Ultimamente estou só de desabafos........... mas ainda tenho a indignação como companheira...........................

sábado, 26 de junho de 2010

Concurso para Provimento de Cargos de PEB II - CLASSIFICAÇÃO FINAL: Lista Geral e Especial

Para abrir a págna do DOE e continuar a leitura, CLIQUE AQUI.
Para abrir a página da FCC CLIQUE AQUI

D.O. 26/6/2010 pg. 1-192 | Suplementos
DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS
CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE PROFESSOR EDUCAÇÃO BÁSICA II


O Diretor do Departamento de Recursos Humanos da Secretaria de Estado da Educação, nos termos das Instruções Especiais SE 01/2009, disciplinadoras do concurso em questão, observado o Decreto 55.144, de 10 de dezembro de 2009, torna pública a Classificação Final (Lista Geral e Lista Especial), em nível Regional, dos candidatos aprovados, no Concurso Público para provimento de cargos de Professor Educação Básica II, disciplinas: Arte, Biologia, Ciências Físicas e Biológicas, Educação Física, Filosofia, Física, Geografia, História, Inglês, Língua Portuguesa, Matemática, Química, Sociologia e Educação Especial - Deficiências Auditiva, Física, Mental e Visual.

Os candidatos foram classificados em nível Regional – 1ª Região - COGSP e 2ª Região - CEI, por Disciplina, por ordem decrescente da nota final obtida, correspondente à soma da nota da prova com os pontos atribuídos aos títulos 
Para abrir a págna do DOE e continuar a leitura, CLIQUE AQUI.

Resolução SE 53 de 24.6.2010 - Altera Res. SE 88/07 e Res. SE 21/10: Função de PC

D.O. 25/6/2010 pg. 55 | Seção I Resolução SE 53 de 24/06/2010

Altera dispositivos da Resolução SE 88, de 19-12-2007, e da Resolução SE 21, de 17.2.2010, que dispõem sobre a função gratificada de Professor Coordenador


O Secretário da Educação, considerando a necessidade de assegurar, em todas as unidades escolares, o efetivo e adequado preenchimento do posto de trabalho de Professor Coordenador, respeitada a regionalidade, no âmbito de cada Diretoria de
Ensino, resolve:

Artigo 1º - Os dispositivos da Resolução SE 88, de 19-12-2007, ficam alterados na seguinte conformidade:
I – o artigo 4º:
“Artigo 4º - São requisitos de habilitação para o docente exercer as atribuições de Professor Coordenador:
I – ser portador de diploma de licenciatura plena;
II – contar, no mínimo, com 3 anos de experiência docente na rede pública de ensino do Estado de São Paulo;
III – ser efetivo ou ocupante de função-atividade abrangido pelo § 2º, do artigo 2º, da Lei Complementar 1.010, de 1º.6.2007, na unidade escolar em que pretende ser Professor Coordenador;
§ 1º - A experiência docente, de que trata o inciso II deste artigo, deverá incluir, preferencialmente, docência nas séries/ anos do segmento/nível de ensino da Educação Básica referente ao posto de trabalho pretendido.
§ 2º - Na inexistência de candidato que atenda a qualquer um dos requisitos previstos no inciso III deste artigo, poderá ser designado, para o posto de trabalho de Professor Coordenador, docente efetivo ou docente ocupante de função-atividade abrangido pelo § 2º, do artigo 2º, da Lei Complementar 1.010/2007, de
outra unidade escolar da mesma Diretoria de Ensino.
§ 3º - Poderá ser designado Professor Coordenador o docente efetivo que se encontre na condição de adido ou o docente ocupante de função-atividade abrangido pelo § 2º, do artigo 2º, da Lei Complementar 1.010/2007, mesmo que se encontre sem aulas atribuídas, cumprindo apenas horas de permanência na
unidade escolar, desde que tenha sido aprovado no processo seletivo simplificado, previsto pela Lei Complementar 1.093, de 16.7.2009.
§ 4º - O docente efetivo ou docente ocupante de funçãoatividade abrangido pelo § 2º do artigo 2º da Lei Complementar 1.010, de 1º.6.2007, que pretende ser Professor Coordenador da Oficina Pedagógica deverá estar classificado ou ter sede de controle de frequência em unidade escolar da mesma Diretoria
de Ensino em que irá atuar.
§ 5º - Na inexistência de docente que atenda ao requisito previsto no parágrafo anterior, poderá ser designado, para o posto de trabalho de Professor Coordenador da Oficina Pedagógica, docente efetivo ou docente ocupante de função-atividade abrangido pelo § 2º do artigo 2º da L.C. 1.010/2007 que seja classificado, ou tenha sede de controle de frequência em unidade escolar de qualquer das Diretorias de Ensino pertencentes a mesma Coordenadoria de Ensino.” (NR)
II – o § 2º do artigo 6º:
“§ 2º - Cada credenciamento terá validade de 3 anos, contados da data de publicação dos resultados do respectivo processo, e só poderão participar os docentes da respectiva Diretoria de Ensino.” (NR)
III – o artigo 8º:
“Artigo 8º - O Professor Coordenador não poderá ser substituído e terá a designação cessada, em qualquer das seguintes situações:
I – A seu pedido, mediante solicitação por escrito;
II – Remoção para unidade escolar subordinada a outra Diretoria de Ensino;
III – A critério da administração, em decorrência de:
a) não corresponder às atribuições do posto de trabalho;
b) entrar em afastamento, a qualquer título, por período superior a 45 dias;
c) a unidade escolar deixar de comportar o posto de trabalho.
§ 1º - Na hipótese de o Professor Coordenador não corresponder às atribuições do posto de trabalho, a cessação da designação dar-se-á por decisão conjunta da direção da unidade escolar e do supervisor de ensino da escola ou por deliberação do Dirigente Regional de Ensino, no caso de designação junto à Oficina Pedagógica, devidamente justificada e registrada em ata.
§ 2º - O docente que tiver sua designação cessada somente poderá ser novamente designado Professor Coordenador após submeter-se a novo processo de credenciamento, com vigência posterior à data da referida cessação e para atuação a partir do ano letivo subsequente.
§ 3º - Exclui-se da obrigatoriedade de novo credenciamento o docente cuja designação tenha sido cessada na forma prevista na alínea “c” do inciso III deste artigo ou o docente com designação cessada em virtude da concessão de licença gestante, mantendo-se, em ambos os casos, os demais procedimentos necessários à nova designação, na conformidade do disposto nos incisos II, III e IV do artigo 5º desta resolução.” (NR)

Artigo 2º - O caput do artigo 3º da Resolução SE 21, de 17.2.2010, passa a vigorar com a seguinte redação:
“Artigo 3º - Os docentes que se encontram designados nas Oficinas Pedagógicas das Diretorias de Ensino ou no posto de trabalho de Professor Coordenador e que não alcançaram os índices de pontuação fixados no artigo 2º da Resolução SE 91, de 8.12.2009, poderão permanecer designados até a divulgação
dos resultados do processo de avaliação anual subsequente de que trata o inciso I do artigo 1º das Disposições Transitórias da Lei Complementar 1.093, de 16-07-2009.” (NR)

Artigo 3º - Esta resolução entra em vigor na data de sua publicação, ficando revogadas as disposições em contrário, em especial a Resolução SE 10, de 31.1.2008 Share/Bookmark

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Filhos da progressão continuada

Esta noite, após mais uma HTPC de pedidos, e de observar que havia falado grego, fui conversar com minha sábia e filosofa vice-diretora (o que é muito difícil de encontrar). Comentei da minha angustia ao ver alunos entrando e saindo sem autorização do professor por este se quer tomar ciência do fato. Comentei com ela, que ano passado esta em uma escola onde o corredor era mais cheio que as salas de aula, os palavrões e funks ecoavam por suas paredes e muitas vezes eu me refugiava na sala de porta fechada pra tentar continuar meu trabalho. Sempre fui durona (mas sem perder a ternura), gosto das coisas certas, nas horas certas...........
Somente me sentia professora quando ia para a outra escola, onde os alunos eram educados, disciplinados, criativos, ordeiros, jovens na medida certa. Sabiam diferenciar os horários............ Quando assumi a coordenação, por varias vezes eu subia no corredor superior e ficava olhando para o seu vazio..... as salas cheias, as aulas acontecendo........ os alunos participando........ projetos........... risos depois da explicação de algo engraçado.............
Esta noite fui ao mesmo corredor e não o reconheci........... minha sábia "chefa" me disse que estes são os filhos da progressão continuada (os professores)....... que eu poderia esperar dali para pior........
Pedi a difícil tarefa de dizer não ao aluno que acabou de sair do banheiro, mas pede para ir novamente, e o faz em todas as aulas......... dei o nome dos indivíduos e foi o mesmo que nada........... Pedimos que em alguns horários não haja tão livre acesso aos sanitários, até porque uma pessoa normal (segundo o que pesquisei) leva de três a quatro horas pra produzir xixi........... mas isto é uma missão impossível para alguns professores.......... Pedir pra desligar o celular é o mesmo que querer que o colega se torne um homem bomba e os colegas que querem verdadeiramente trabalhar, são obrigados a ouvir aqueles ruídos cariocas, em alto e bom tom........... Pedir pras alunas pararem de se maquiar na sua aula e não sujassem as cadeiras porque suja a roupa dos colegas.................... Mas mais importante que isso, é ser legal com o aluno.......... não importa se o profissional não exista......... não importa se ele não sabe nada da sua matéria ou da matéria que se esta eventuando, mas o importante é ser “suave” com o pessoal a sua volta...................... o importante pra alguns é o salário no fim do mês e quanto mais gente analfabeta funcional, pra ele melhor..................
Este ano recebemos vários professores novos, que colocaram (ou não) o X no lugar certo na prova de temporários e que acabaram "passando" na frente dos professores mais calejados (ano passado só haviam os calejados). Filhos do "passa sem aprender", "passa sem precisar saber", "passa por estar presente", "passa porque a mãe veio aqui e fez um escândalo", "finge que aprende que eu finjo que te ensino"........... São esses, queridos amigos, os novos professores que estão pipocando aí......... muitas vezes vindos de Universidades onde basta esquecer o RG em algum lugar e pagar as mensalidades, que ao final de três anos o diploma vem com seu nome......... É claro que há exceções, ótimas por sinal, mas o que esperaremos são professores de português que escrevem FASSO e ainda se dão o direito de exigir os melhores horários............ Usando a política do "não pode vencê-los, junte-se a eles"............... Excelentes professores ficaram sem aulas, ou com aulas em muitas escolas............. a falta de profissionais da educação vai acabar por exterminar o resto de dignidade que a escola paulista ainda tem.............
Este é o panorama que encontramos e encontraremos em nossas escolas............... fruto da política educacional vergonhosa implantada pelo PSDB em nosso Estado. Sei que até fui dura nas palavras, mas é o que sinto e sempre tenho o hábito de externar meus sentimentos.................... e sei que muitos dos que estão lendo aqui também concordarão.............. SALVEMOS A ESCOLA PÚBLICA!

Que saudade da geração Coca-cola do Renato.........................

sábado, 19 de junho de 2010

Final de semana

Se você decidiu neste final de semana ficar em casa, eis minhas sugestões para assistir filmes e seriados online (sem precisar baixar e deixar sua HD abarrotada).

http://www.armagedomfilmes.biz/?cat=21

http://www.armagedomfilmes.biz/

vale a pena.
Ah! no outro post esqueci de deixar o truque.... o megavideo gratis é de 72minutos, aí ele trava e diz q vc tem que esperar mais 54minutos pra continuar vendo, mas isso nao é necessario, basta desligar e ligar o computador e voltar a assistir de onde parou............
bjks e otimo final de semana

sábado, 12 de junho de 2010

Mudança Nossa Caixa-Banco do Brasil

tem uma cartilha pra tentar ajudar a entender toda a loucura. A maioria dos professores já perdeu limite e limite de cartão...............

Dá para acreditar?

"Reajuste salarial diminui salário no magistério"!

Que Estado é esse, onde o governo anuncia um reajuste salarial e os beneficiados passam a receber menos? É o que aconteceu com o pessoal do magistério, que está na ativa e ainda não recebe o abono de permanência. O "reajuste salarial" anunciado pelo governo - 5% pela incorporação da GAM - além de não ser reajuste algum, para quem já recebia a GAM, ainda implicou em diminuição do total de vencimentos líquidos. Isso porque, por uma "mágica" do governo, a contribuição previdenciária passou a incidir sobre a GAM. E, ainda pior, sobre a totalidade dessa gratificação. Incorporaram 5% e lançaram o desconto previdenciário sobre 15%.
Portanto, 1. fizeram incidir o desconto previdenciário sobre a GAM, o que não acontecia antes, e 2. fizeram incidir esse desconto sobre a integralidade da GAM (15%) e não apenas sobre os 5% incorporados.

Malandragem! Desrespeito! Sacanagem!

Será que cabem outros substantivos e/ou adjetivos?
Dá para levar a sério esse governo?
Vem aí mais uma ação judicial da Udemo contra o governo.

Mais uma!

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Qualidade da educação básica depende do Estado, aponta Ibope

Pesquisa mostra que eleitores consideram governos responsáveis pelo ensino e colocam área entre prioridades para eleições 2010

Priscilla Borges, iG Brasília | 09/06/2010 22:00

Para a maioria dos eleitores brasileiros, o poder público é o grande responsável pela qualidade da educação brasileira. É o que revela pesquisa realizada entre 13 e 18 de maio pelo Ibope Inteligência, Campanha Todos pela Educação e Fundação SM com 2 mil eleitores com mais de 16 anos em todo o País.
Os resultados mostram que, para apenas 10% dos eleitores, os professores - muitas vezes apontados como responsáveis pelo fracasso ou sucesso do ensino - são os mais determinantes para a qualidade da educação. Em 2006, quando a mesma pesquisa foi feita, 27% dos entrevistados consideravam os docentes tão responsáveis pelo sucesso do ensino quanto o governo federal (também com 27% das afirmações). Os professores só perdiam para o Ministério da Educação, avaliado por 29% da amostra como o principal ator nesse processo. A margem de erro é de dois pontos percentuais.


Foto: Arte/iG
Governo é responsabilizado pela educação, aponta Ibope
De acordo com os pesquisadores, a população deixa claro que o papel de assegurar educação básica de qualidade aos brasileiros é do Estado. “É um dado que chama a atenção porque mostra um amadurecimento da sociedade ao reconhecer que existem responsáveis pela qualidade da educação e eles são os gestores que a gente elege”, ressalta a diretora-executiva do Todos Pela Educação, Priscila Cruz.
Cada eleitor podia citar os três órgãos que consideravam mais determinantes para a educação brasileira. A maioria dos entrevistados (55%) afirmou que o governo federal é o órgão que mais pode contribuir. O Ministério da Educação foi citado por 39% dos entrevistados.
A importância das outras instâncias de governo para garantir bom ensino público às crianças também aumentou. Em 2006, 23% dos eleitores citaram as prefeituras como grandes responsáveis por isso. Agora, o índice subiu para 42%. Os governos estaduais, que foram citados em 2006 por apenas 16% dos entrevistados, foram indicados por 33% da amostra. As secretarias municipais e estaduais aparecem em 25% e 18% das respostas, respectivamente.
Prioridades

Áreas problemáticas do País

Pesquisa estimulada com escolha de três opções (margem de erro: 2 pontos percentuais)
Ibope
A educação básica também subiu em posto não satisfatório, mas considerado importante pelos especialistas: o dos problemas do País. A etapa educacional aparece em 27% das respostas à pergunta sobre quais são as áreas mais problemáticas do Brasil (cada um podia escolher até três), colocando o tema em terceiro lugar nas preocupações junto com drogas e emprego. Na pesquisa realizada em 2006, a educação aparecia em 7º lugar.
“É uma boa notícia porque as mudanças dependem da consciência de que há algo para ser melhorado. Esse é um movimento importante que a sociedade fez”, ressalta Priscila. Ana Lima, pesquisadora do Ibope responsável pelo estudo, ressalta que, com a estabilidade da economia, as preocupações dos brasileiros estão mudando. “Há 15 anos, as pesquisas apontavam que o desemprego era considerado o pior problema. Agora as prioridades estão mudando”, diz.
Ana ressalta outro aspecto que considera importante na pesquisa: as soluções para os problemas do País. Ela conta que os entrevistados foram perguntados sobre quais áreas deveriam receber atenção especial do próximo presidente da República para saná-los. A educação apareceu 28% das respostas. Um crescimento de 13 pontos percentuais em relação a 2006, quando ela foi apontada por 15% das pessoas.

Áreas que devem ter atenção do próximo presidente

Pesquisa estimulada com escolha de três opções (margem de erro: dois pontos percentuais)
Ibope
“Esse é um recado que os brasileiros estão dando aos candidatos. A educação é uma pauta emergente, que deve estar entre as prioridades deles também. Eles precisam dar mais transparência aos programas de governo, apresentar melhor as propostas à população”, afirma a diretora do Todos pela Educação.
O objetivo da pesquisa era avaliar, principalmente, como a educação é percebida pela população que vai eleger os novos governantes e quais as expectativas dela em relação ao próximo presidente. Os entrevistados também opinaram sobre pontos fortes e fracos do sistema educacional brasileiro.