sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Concurso de PEB II de São Paulo, a saga continua

Gente, ontem fui fazer a tal perícia. Depois de 17 anos de magistério paulista (completo dia 15/02), tive que me submeter a mais uma etapa do processo. Antes, quem tivesse mais de 1780 dias trabalhados (5 anos) não precisava se submeter à perícia médica, mas por um decreto do Ex-governador, em julho que obrigou a todos de fazerem a perícia, onerando ainda mais os cofres públicos, não podendo esquecer-se da enorme quantidade de exames solicitados, que dependendo da idade do candidato poderiam chegar ao valor de R$2.000,00 e que segundo o governador do período deveriam ser pagos pelo candidato e depois ele disse que reembolsaria os valores.
Inclusive hoje, conheci uma das meninas do IAMSP que realizaram os cálculos dos valores reembolsáveis, usando as tabelas de lá e que não chegarão a R$300,00. Imagina, você gasta 2.000,00 e terá direito ao reembolso de 300,00. Por isso que o Serra e o PSDB não exigem que o aluno aprenda na escola, pois se ele conseguir calcular a diferença entre 2mil e os 300 que eles se propõem a devolver, o partido e seus candidatos, nunca mais seria eleitos.
Bom, mas voltando a perícia ocorrida ontem la no DPME, era desumana a visão de quem lá chegava já as 6h30 da manhã. Um fila de dava a volta no prédio do departamento, de professores (que em sua maioria) estavam lá pela segunda ou até, terceira vez.
Chegando lá (pra variar) a desorganização era tanta que não se sabia onde sentava, que ordem seria usada, nada nada. O pessoal foi dividido por ordem de comparecimento e eu, como era minha primeira vez, fui para o primeiro andar. Lá, nós mesmos nos organizamos, para que pelo menos a seqüência de chegada fosse respeitada. Imaginem mais de 500 pessoas chamadas para um procedimento com 3 ou 4 médicos e todas tendo que chegar no mesmo horário.
Claro que havia pessoas espertinhas querendo aproveitar a desorganização de lá, para furarem fila, então as indisposições começaram cedo. Já o primeiro perito, encontrava "problemas" em todos os presentes, e por incrível que pareça (pasmem) a maioria dos presentes estava com a pressão alta. Eu mesma esta com ela 18x14 (e nem entrei em coma, hehe). Médicos grossos, secos que nem ao bom dia respondiam. Uma das professoras teve metade de seus exames perdidos e teve que reagendar seu comparecimento a unidade.
Como já conheço as coisas lá, tirei copia de tudo (2 vias) e levei tudo comigo, além de outros exames, relatórios de outros médicos, carteirinha de vacinação, etc. Minha sorte por sinal. Depois de lá, os aprovados deveriam passar no oftamo, claro que demorava porque haviam dois e na maioria do tempo somente um.
Quando foi minha vez, depois de esperar muito, o oftalmo olhou pra mim, pra documentação e disse que eu não tinha que passar "nada" alí e que poderia ir pro próximo "especialista" que era o GO (ginecologista). Mandaram-me para uma nova sala, e lá havia três professores para serem atendidos (professores mesmo e não professoras), um deles, inclusive trabalha comigo na escola que coordeno. Claro que não perdi a oportunidade e comecei a zoar com ele que ia passar no ginecologista. Na verdade, alí era sala de um outro clinico geral que deve ter aprendido a clinicar com algum nazista ou torturador. O primeiro professor saiu de "boa" e ainda disse que ele era legal, depois a próxima vitima fui eu. Ele implicou com meu peso. O médico anterior queria que eu passasse no cardiologista, mesmo meus exames não acusando nada e o endócrino (como se resolvesse alguma coisa). Bom, o Dr. ali presente começou a questionar o meu tamanho, numa grossura sem fim. É claro que ele estava fazendo o que sempre faz com os pacientes que alí chegam para a pericia e que me cansei de ver: levando-os ao total descaso, desrespeito e menor humanidade, afinal os que alí vão, querem ganhar sem trabalhar. Respeito com a dignidade humana, zero.
Confesso que não me calei, questionei a indicação ao cardiologista e após minha reclamação e nova olhada nos exames que estavam todos dentro da normalidade, me dispensou de ter que passar por um quinto médico alí. Depois ele voltou a falar do meu peso e eu disse que faço acompanhamento endocrinológico e ele disse que era mentira, num tom mais grosso ainda. Foi quando peguei toda a documentação do endócrino que me consulto e mostrei pra ele, mesmo assim ele continuou falando e disse que iria auferir minha pressão novamente. Ele foi tão grosso quando segurou meu braço que me deixou na hora uma marca roxa. Mais uma vez eu o questionei sobre a necessidade de ter que ir a um medico (alí dentro do departamento) sendo que ele não faria nada além de olhar e que eu já fazia o acompanhamento necessário. Ele falou mais um montão sobre a situação e eu já estava mais que irritada, claro que a pressão tava bem mais baixa do que na auferição anterior. Eu perguntei a ele, o que minha obesidade iria atrapalhar nas minhas aulas de história, e qual era realmente o problema, já que todos os meus exames estavam dentro da normalidade. Inclusive, salientei que havia no dia anterior visitado minha médica e ela mesma já havia falado da normalidade dos resultados. Após isso e com todas as evidências que tudo estava normal, ele me perguntou: -quanto tempo você tem de Estado? eu respondi que tinha 17 anos. Ele parou, olhou, ficou pensando. Então aproveitei e já disse: se for pra me considerar inapta, já aproveita e me explica o processo para a readaptação ou aposentadoria.
Nesse momento, caindo em si, também ratificou a não necessidade de passar no endócrino.
Acham que acabou? nãoooooooooooo
Fiquei lá esperando pra me chamarem pro GO e depois de uns 30minutos, esse professor colega, me chama que o meu processo já estava La na frente, para a parte final. Então depois de mais de uma hora (pois só havia uma pessoa pra despachar todos os prontuários) me chamaram e viram que ainda faltavam o......... adivinhem?? GO? .......... também, mas também faltava o oftalmo.................. respira fundo.................., pois é, eu tinha que passar novamente no mesmo individuo que havia me dispensado. Bom, pegaram minhas coisas e levaram lá. Claro que teve gente que reclamou que iam me passar na frente. Na hora eu perguntei, de que horas eles eram........ das 9h00......... então eu disse: sou das 7h00, desviaram minhas coisas, não estou passando na frente. Bom, chegando lá o medico me mandou ler o que estava escrito na ultima linha de um cartaz, alternando com um pedaço de papel o olho usado. Depois um dos funcionários foi me levar para o GO................... que estava no prédio (ou devia estar). mas que não estava na sala. Então ele colocou meus documentos sobre o balcão e pediu que eu não tirasse os olhos deles, e que quando chegasse um especialista eu seria atendida.
Bom, uns 30 minutos depois e lá estando eu, como um dois de paus velando meus documentos, chaga uma médica que pergunta a uma das atendentes: - eu vou fazer o que hoje?............ é mesmo, não se espante................... a funcionária olhou para ela e disse: você vai ser oftalmo hoje............ não ria.......... descobri que os peritos de lá (pelo menos aqueles), viravam especialistas por indicação dos funcionários...............
Uma das funcionarias pegou meu documento e disse para acompanhá-la pois ela iria tentara arrumar alguém para me atender, e eu fui seguindo............. Essa perita, recém especializada em oftalmologia ia entrando em uma sala (do oftalmo) quando o oftalmo que lá deveria estar atendendo (aquele que havia me dispensado) chega e diz que aquela sala era dele........ ela então pergunta: você é oftalmo? (tadinha, na esperança que ele pudesse dar alguma dica para ela) e ele simplesmente responde....... hã.............
Naquela hora não havia ninguém para ele atender, nem ela......... então, com as duas mãozinhas juntas, implorei que ela "virasse" ginecologista e observasse minha documentação, pois eu estava sem dormir, sem comer e até passando mal. E........ advinhaaaaaaaaaaaaaaaaa, ela virou GO. Entrou na sala alegando que se tivesse algum problema não resolveria. Eu já estava tranqüilo, pois todos os meus exames foram com laudos e tudo estava normal, e aí, finalmente.......... ela carimbou o documento e eu pude voltar para o setor final, onde após mais uns 40minutos de cadeira, me chamaram, devolveram todos os meus exames, pediram para assinar que os estava recebendo e.................... pasmem.......... que aguardasse o resultado em casa por email e DO (diário oficial) que o resultado não sairia ali.
Ufaaaaaaaaaaaa............. imaginem as centenas de histórias que lá aconteceram.........
Ah! sabiam que o pessoal da CEI (interior) pode fazer a perícia em suas cidades e já saiam com o resultado na mão podendo assumir o cargo............. pois é, mais uma vez, dois pesos e duas medidas no trato....................
Havia muitos candidatos-novatos alí reclamando das coisas e claro, nós na hora avisamos que era daquilo pra pior, que eles se preparassem, pois o governo e suas instituições não estavam nem aí com eles.
Bom, a gente vai conversando mais depois. Bjks

Nenhum comentário: