domingo, 8 de abril de 2012

O SURGIMENTO DO CALENDÁRIO CRISTÃO


O tempo não começou a ser contado a partir do nascimento de Cristo, logo no começo do
cristianismo. Foi preciso antes que as cristãos tivessem se aproximado do poder e ampliado sua capacidade de influenciar decisões, o que ocorreu tanto com a conversão de milhares de pessoas ao cristianismo, quanto com a aproximação das lideranças cristãs aos imperadores de Roma.
Já após o fim do Império Romano do Ocidente, em 525 d.C., o abade de Roma Dionísio, o Exígo, baseado na informação sobre a idade de Roma desde a sua fundação e em detalhes históricos do período do nascimento de Cristo, estabeleceu o ano e que isto
teria acontecido.
Com esses dados, Dionísio definiu o ano 1 do calendário cristão como o ano 754 da fundação de Roma. Este calendário passou a ser usado pelos cristãos e ganhou maior importância com a reforma empreendida pelo papa Gregório XIII, em 1582, motivo pelo qual o calendário cristão ocidental é chamado de gregoriano, apesar de existirem calendários cristãos diferentes.
Mas o importante a considerar é que, como este calendário foi adotado pelos povos europeus, e como eles expandiram seu poder econômico e político por todo o globo, tornou-se referência para vários outros povos. Os líderes chineses, por exemplo, adotaram o calendário gregoriano em 1912 , por causa das relações comerciais com o Ocidente, mas entre o    povo continua valendo o calendário tradicional que já é usado há mais de 5 mil anos (embora não tenha
um ano inicial, como o judaico, o muçulmano ou o cristão). A festa do ano novo chinês, por exemplo, ocorre no mês de fevereiro do calendário gregoriano.
Não menos importante, também, é que o calendário gregoriano carrega erros de cálculo em relação ao ano de nascimento de Cristo, que provavelmente deve ter acontecido entre 4 a.C e 7 a.C.
Fonte(s): historiageraledobrasil.blogspot.com.

Nenhum comentário: