sábado, 27 de abril de 2013

A GREVE CONTINUA! SECRETÁRIO, A CULPA É SUA.


Queremos aumento real, além da reposição das perdas salariais
erca de vinte mil professores, reunidos em assembleia
estadual na Avenida Paulista, vão livre do MASP, decidiram
pela continuidade da greve da categoria, iniciada
em 22 de abril. Ao final da assembleia, seguiram em passeata
até a Praça da República.
Como divulgamos no boletim APEOESP Urgente nº 19,
o Secretário da Educação não atendeu nenhuma de nossas
reivindicações e ainda teve a ousadia de propor que agendássemos
uma conversa para daqui a “dois ou três meses”.
A escola pública e os professores não podem mais esperar.
Queremos aumento real, além da reposição de nossas
perdas salariais.
Queremos a implantação da jornada do piso, contratação
de temporários com os mesmos direitos dos docentes da
categoria “F”, soluções para a violência nas escolas, para as
péssimas condições de trabalho, para a saúde dos professores.
E não admitimos a privatização do Hospital do Servidor
e do IAMSPE.
Para tanto, a APEOESP está solicitando negociação diretamente
com o governador do Estado.
A assembleia decidiu que os professores em greve devem
retornar às escolas na segunda-feira, dia 29, para conversar
com os estudantes. Na segunda e na terça-feira devem ser
intensificados os comandos de greve nas regiões, visitando
escolas, paralisando-as e realizando manifestações em locais
de grande concentração popular, com o apoio dos ônibus
que participam da Caravana em Defesa da Escola Pública.
No dia 1º de maio, a categoria participará massivamente
dos atos do Dia do Trabalhador, levando as bandeiras da
entidade e divulgando as razões da nossa greve. Na quinta-
-feira, 02 de maio, serão realizadas assembleias regionais e, na
sexta-feira, DIA 03 DE MAIO, às 14 HORAS, GRANDE
ASSEMBLEIA ESTADUAL no vão livre do MASP.
A APEOESP estará presente na terça-feira na Assembleia
Legislativa, para participar da reunião do Colégio de Líderes,
onde solicitará a convocação de audiência pública para discussão
do Projeto de Lei Complementar nº 11/2013, que
estabelece os reajustes salariais para o magistério.
No dia 06 de maio, realizaremos vigília no TJSP por
ocasião do julgamento do mérito da sentença da jornada
do piso e, em data a ser definida, vigília também na Praça da
República, onde se localiza a Secretaria Estadual da Educação.
As subsedes da APEOESP devem também intensificar os
contatos com as Câmaras Municipais, para solicitar apoio dos
vereadores à nossa luta e, ao mesmo tempo, ampliar seus
contatos com os pais, solicitando que apoiem o movimento
não enviando seus filhos à escola durante a greve, garantindo
assim a reposição de aulas a todos.
Estão sendo enviados novos materiais às subsedes, como
cartazes e cartas abertas à população. Também será enviado
boletim com informações sobre os reajustes diferenciados
que estão sendo concedidos a professores, dirigentes regionais
de ensino, diretores e vice-diretores de escola e
professores coordenadores pedagógicos.
Nossa greve está forte e cresce a cada dia. Para chegarmos
à vitória, contamos com o trabalho dos diretores
estaduais, conselheiros, representantes da APEOESP e todos
os demais professores e professoras.
O governo quer derrotar a nossa categoria. Não vamos
permitir!!!

Nenhum comentário: