sexta-feira, 3 de maio de 2013

Professores da rede estadual de SP decidem manter greve

Lucas Rodrigues
Do UOL, em São Paulo

Professores da rede estadual de SP fazem manifestação na avenida Paulista120 fotos

80 / 120
03.mai.2013 - Professores da rede estadual de São Paulo fazem nova manifestação na avenida Paulista, nesta sexta-feira (3). Os docentes estão em greve desde o dia 22 de abril e votam em assembleia nesta tarde a continuidade ou não da paralisação. A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) pede que os motoristas evitem a região e informa que a faixa da direita da avenida Paulista apresenta lentidão no sentido Consolação por causa do carro de som Leonardo Soares/UOL
Os professores da rede estadual de São Paulo decidiram manter a greve da categoria, iniciada no dia 22 de abril. A assembleia foi realizada na tarde dessa sexta-feira (3), na avenida Paulista.
Ficou decidido que os professores farão uma nova assembleia, no mesmo local, no dia 10 de maio.
Entre as reivindicações dos professores estaduais estão o aumento salarial de 36,74% e a implementação de uma lei nacional, que prevê que 33% da jornada de trabalho dos professores seja destinada à preparação de aulas e à formação continuada.
A proposta de reajuste do governo, em projeto na Assembleia Legislativa, é de 8,1% neste ano. Além disso, a secretaria da Educação afirma que a rede prevê desde 2012 que 1/3 da jornada do professores seja de atividades extraclasse. Segundo nota enviada pela assessoria, os professores de jornada de 40 horas semanais têm 32 aulas de 50 minutos e o restante do tempo para outras atividades.
A secretaria de educação informou que "dados parciais dos períodos da manhã e da tarde desta sexta-feira apontam que o registro de faltas teve oscilação de apenas 1,7% do total de docentes em relação à média diária de ausências de aproximadamente 5%".

Rede municipal 

Os professores da rede municipal de São Paulo também decidiram manter a greve da categoria, que foi iniciada hoje. A próxima assembleia está marcada para as 14h do dia 8 de maio, em frente à prefeitura.
Segundo o Sinpeem (Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo), a greve teve adesão de cerca de 45% dos professores nesse primeiro dia.
A categoria reivindica os seguintes reajustes: 6,55% retroativo a maio de 2011; 4,61% retroativo a maio de 2012 e 6,51% referente a esse ano. A Prefeitura de São Paulo informou que os sindicatos ligados à Educação tiveram a primeira reunião setorial para negociação no dia 30 de abril, quando foi apresentada a pauta de reivindicações da categoria. Em nota, a prefeitura destaca que a data-base da categoria é no final de maio, "o que garante tempo hábil para as negociações".

Professores da rede municipal de SP protestam em frente ao prédio da prefeitura30 fotos

12 / 30
03.mai.2013 - Professores municipais protestam no viaduto do Chá, em frente à prefeitura de São Paulo, na tarde desta sexta (3). Os docentes reivindicam os seguintes reajustes: 6,55% retroativo a maio de 2011; 4,61% retroativo a maio de 2012 e 6,51% referente a esse ano. A categoria aprovou na última segunda-feira (29) o início da greve marcado para hoje. A Prefeitura de São Paulo se reuniu com os sindicatos no dia 30 de abril, quando foi apresentada a pauta de reivindicações da categoria Leia mais Fernando Donasci/UOL

Nenhum comentário: